Posts Tagged ‘Somália’

Balanço do Primeiro Turno

29/08/2011

A vitória de virada, por 2 a 1, sobre o Fluminense, ontem no Engenhão, pela 19ª rodada, no encerramento do primeiro turno do Campeonato Brasileiro pode ser considerada uma síntese da campanha alvinegra sob o comando de Caio Júnior. O time que começou a competição sendo derrotado pelo Palmeiras, no Teixeirão, pelo placar magro de 1 a 0, e sem mostrar nenhum poder de reação ficou no passado. Naquela ocasião, a comissão técnica estava formando a base do que viria a ser o estilo de jogo no Botafogo e a pressão da imprensa e, principalmente, das arquibancadas exigiam resultados imediatos. A diretoria não comprou a ideia e continuou apostando no trabalho de médio e longo prazo.

As primeiras dez rodadas foram difíceis e cheias de altos e baixos, algo normal para uma equipe em formação e ainda sem contar com os principais jogadores. Loco Abreu e Herrera estavam suspensos, Fábio Ferreira machucado, Maicosuel retornando aos poucos, Marcelo Mattos na Grécia e as contratações aprimorando a parte física e técnica. Mesmo nas turbulências Caio Júnior seguiu firme nas suas convicções e acreditava na posse de bola como um diferencial em relação aos adversários. Nada de chutões para o alto e estava proibido o chuveirinho! A ausência de Loco Abreu, então na Copa América, facilitou a adaptação do time ao novo jeito de jogar.

Loco Abreu não fez gol no clássico, mas teve atuação decisiva novamente!

Quis o destino que Loco voltasse exatamente contra o Cruzeiro de Joel Santana, pela 13ª rodada – olha quanta coincidência junta! – e aí o Botafogo encorpou de vez, sapecou 4 a 0 no Vasco, passou pelo Atlético-MG na Copa Sul-Americana, encontrou a escalação ideal, alugou vaga no G-4 e pode fechar o turno na terceira colocação do BR-11! Qualquer alvinegro sabe o time de cor e salteado: Jefferson no gol; Lucas e Cortês nas laterais; Antônio Carlos e Fábio Ferreira na zaga; Marcelo Mattos e Renato na proteção do meio campo; Elkeson centralizado com Maicosuel e Herrera caindo pelas pontas; e no ataque, fazendo o pivô e, claro, os gols Loco Abreu.

Agora é defender a posição conquistada no primeiro turno e olhar para o líder Corinthians. Sim, é possível e temos elenco para isso. Renan, Alessandro, Márcio Azevedo, Gustavo, Léo, Somália, Bruno Tiago, Everton, Felipe Menezes, Alex, Alexandre Oliveira, Caio e o garoto Cidinho já mostraram que podem entrar e resolver. Devemos acreditar em título e empurrar a equipe para conquistar também a Sul-Americana! Esse é o melhor momento do Botafogo no campeonato e temos que aproveitar.

Vamos, FOGO!

Lucas agradece ao passe magistral de Loco Abreu: "Gracias"

Ficha Técnica:

19ª Rodada: Fluminense 1 x 2 Botafogo (27/08/2011)

Fluminense: Diego Cavalieri; Mariano, Gum, Márcio Rosário e Carlinhos; Edinho, Diogo (Martinuccio), Souza (Ciro) e Lanzini; Fred e Rafael Moura

Técnico: Abel Braga

Botafogo: Jefferson; Lucas, Antônio Carlos (Gustavo), Fábio Ferreira e Cortês;  Marcelo Mattos, Renato, Elkeson e Maicosuel (Cidinho); Herrera (Felipe Menezes) e Loco Abreu

Técnico: Caio Júnior

Gol do Fluminense: Fred, aos dez minutos do segundo tempo

Gols do Botafogo: Elkeson, aos 11, e Lucas, aos 18 minutos da etapa final

Local: Engenhão (RJ) / Público: 22.762 presentes / Renda: R$ 437.755,00

Árbitro: Felipe Gomes da Silva (RJ)

Cartão Amarelo: Márcio Rosário, Fred, Rafael Moura e Edinho (Fluminense)

Anúncios

Como é difícil fazer gols…

23/07/2011

A famosa frase que estava sumida retornou cedo neste Campeonato Brasileiro… Não, não essa que você está pensando e que diz: “Tem certas coisas que só acontecem ao Botafogo!” Acredito que ainda seja cedo para entoar esse mantra, mas o verdadeiro “Quem não faz, leva!” apareceu na Arena da Baixada. Foi um incrível festival de gols perdidos e outra vez consagramos o goleiro adversário e de quebra ressuscitamos o quase enterrado Atlético-PR.

Quantos gols perdidos! Não consegui sequer contar todas as oportunidades e que relato somente as mais claras. Alexandre Oliveira obrigou o goleiro a uma defesa fantástica, mas depois, sozinho, livre, sem impedimento, cabeceou uma bola na trave! Imperdoável! Antônio Carlos perdeu gol na pequena área, sem marcação e novamente de cabeça! A pressão botafoguense poderia ter se transformado em goleada se em campo tivesse um jogador com intimidade para balançar as redes adversárias! Por onde anda o Túlio Maravilha?

O adversário não teve esse problema. Com um futebol limitado, na base do chutão e do bumba-meu-boi, o Furacão contou o oportunista Morro Garcia para empurrar a bola para dentro. Simples assim. De que adianta posse de bola, toque bonito, inversão de jogo, mudanças táticas… Para quê? O importante no futebol não é a vitória? Não é o resultado? O time parou de fazer gols, mas não de levar. Foram quatro gols sofridos em duas partidas e apenas um anotado. Aliás, golaço do garoto Alex que mostrou ser mais matador do que o time todo. Derrota injusta? Outra vez?

Descalibrado? Elkeson não finalizou com perigo em nenhum momento!

Antes da falência do sistema ofensivo, o Botafogo estava em 3º lugar e agora, quatro rodadas depois, pode cair para oitavo e muito longe da zona de classificação da Libertadores. Caio Júnior armou bem a equipe, fez as alterações certas, mas o lado esquerdo parece que nunca irá se acertar. As jogadas dos dois gols foram por aquele setor em falhas de marcação de Márcio Azevedo e depois de Somália. Algo precisa ser feito para melhorar a equipe por ali e desde já adianto que não será com um esquema com três zagueiros!

Loco Abreu pode comemorar o título da Copa América amanhã – ou não – mas precisa voltar correndo para General Severiano e entrar em campo contra o Avaí nesta quarta! Nada de folga e nada de férias porque aqui é “Nada de Gols!” Nesse tempo, o Túlio já teria marcado uns dez gols contra Bahia, Atlético-GO, Corinthians e Atlético-PR! E falo isso sem medo de errar!

Vamos, FOGO!

Maicosuel melhorou na segunda etapa, mas está longe de ser "O Mago!"

Ficha Técnica:

11ª Rodada: Atlético-PR 2 x 1 Botafogo (23/07/2011)

Atlético-PR: Renan Rocha; Edílson, Gustavo, Fabrício e Paulinho; Deivid, Cleber Santana, Kleberson (Fransérgio), Marcinho (Branquinho) e Madson; Morro García (Edigar)

Técnico: Renato Gaúcho

Botafogo: Jefferson; Alessandro, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Márcio Azevedo (Felipe Menezes); Marcelo Mattos, Renato, Elkeson e Maicosuel; Léo (Somália) e Alexandre Oliveira (Alex)

Técnico: Caio Júnior

Gols do Atlético-PR: Morro Garcia, aos 39 do primeiro tempo e aos 28 do 2º

Gol do Botafogo: Alex, aos 43 minutos da etapa final

Local: Arena da Baixada (PR) / Público: 12.740 pagantes / Renda: R$ 206.510,00

Árbitro: Paulo Cesar Oliveira (SP)

Cartão Amarelo: Gustavo Araújo, Deivid e Fransérgio (Atlético-PR), Antônio Carlos e Márcio Azevedo (Botafogo)

Cartão Vermelho: Marcelo Mattos (Botafogo)

A torcida precisa ter confiança no elenco!

11/07/2011

O Botafogo esteve muito perto de conseguir os três pontos que colocariam o time dentro do G-4. Essa foi a segunda oportunidade seguida para colar no líder Corinthians e entrar de vez na briga pelo título. Os dois últimos empates tiveram sabor de derrota e agora uma vitória na próxima rodada, contra o “Curintia”, em palco emprestado, São Januário, será uma obrigação para os comandados de Caio Júnior. É hora da equipe engrenar de vez!

O primeiro tempo terminou com a vantagem alvinegra por 1 a 0, mas o placar deveria ter sido maior: Herrera foi o protagonista de duas jogadas que poderiam ter decidido o jogo. Logo aos dois minutos o argentino brigou com dois defensores, invadiu a grande área e com a bola dominada bateu forte sobre a meta de Marcelo Lomba. O detalhe é que Somália estava completamente livre ao lado. O outro lance surgiu com o Fogão já em vantagem: após lançamento longo, Herrera bateu de primeira e a pelota explodiu na trave. No rebote, por pouco Maicosuel não empurra para as redes.

O esquema tático de Caio Júnior mais uma vez se mostrou acertado. O Bahia teve a posse de bola, mas não teve volume de jogo para assustar o goleiro Renan que praticamente fez apenas uma defesa nos 90 minutos. As substituições também foram feitas na hora certa e de forma coerente. Somália estava pendurado com o cartão amarelo e se mostrava muito afoito em campo, a estreia de Léo pode ter sido discreta, mas o volante mostrou categoria e será muito útil no decorrer da competição.

Márcio Azevedo é uma boa opção ofensiva, mas não tem poder de marcação!

A lateral-esquerda continua sendo um problema crônico no Glorioso, já que Marcio Azevedo vai bem no apoio, mas deixa uma verdadeira avenida que o novo esquema ofensivo do time não consegue bloquear. Vendo a vitória escapar por ali, Caio Júnior improvisou o ótimo Lucas Zen para conter os avanços do tricolor baiano. A longa jornada do Campeonato Brasileiro exige um elenco forte para suportar os desfalques e Côrtes já está fazendo falta nesse início de competição.

O empate com um gol de cabeça de Fahel foi um castigo e tanto para a torcida alvinegra. Uma total desatenção da zaga, já que o Bahia só iria ameaçar mesmo através das bolas alçadas na área. Lição para aprender e não ser esquecida: os gols perdidos fazem muita falta e o futebol cobra um preço muito alto pela incompetência! Os três pontos seriam suficientes para recolocar a equipe no G-4 e até assumir a vice-liderança de forma provisória.

Nada está perdido! O importante é somar pontos agora, não deixar o líder escapar e depois apostar nas diversas peças novas que ainda irão estrear como Renato, Alexandre Oliveira, Gustavo e mesmo o volante Léo que entrou nos minutos finais. Não podemos nos esquecer de Jéfferson, Loco Abreu e Marcelo Mattos! A torcida precisa acreditar que o Botafogo tem elenco para ser Campeão Brasileiro de 2011!

E parabéns aos juniores do Botafogo que bateu o time da Lagoa e ficou com o caneco de Campeão Carioca 2011!

Vamos, FOGO!

Ficha Técnica:

9ª Rodada: Bahia 1 x 1 Botafogo (10/07/2011)

Bahia: Marcelo Lomba; Jancarlos, Titi, Paulo Miranda e Marcos (Maranhão) (Rafael); Fahel, Marcone, Diones e Ricardinho (Gabriel); Lulinha e Júnior

Técnico: Renê Simões

Botafogo: Renan; Alessandro, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Márcio Azevedo (Thiago Galhardo); Somália (Léo), Lucas Zen, Marcos Vinícius, Elkeson e Maicosuel; Herrera (Caio)

Técnico: Caio Júnior

Gol do Botafogo: Elkeson, aos 30 minutos do primeiro tempo

Gol do Bahia: Fahelm aos 32 da etapa final

Local: Pituaçu (BA) / Público: 32.157 pagantes / Renda: R$ 787.897,50

Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (Fifa/RS)

Cartão Amarelo: Marcone e Lulinha (Bahia); Somália e Márcio Azevedo (Botafogo)

Só a vitória interessa!

10/07/2011

Um grande jogo diante do São Paulo, no Morumbi, e um empate amargo contra o Atlético-GO, em casa, na última rodada. O Botafogo ainda procura a regularidade no Campeonato Brasileiro, mas encarar o Bahia não será missão fácil, mesmo com a ausência de Jobson que não poderá atuar devido a um acordo entre os dois clubes.

Caio Júnior terá trabalho para arrumar o meio de campo sem Everton e a vaga está entre Lucas, Caio e Thiago Galhardo. O time deve entrar em campo com: Renan; Alessandro, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Márcio Azevedo; Lucas Zen, Somália, Maicosuel, Elkeson e Thiago Galhardo (Lucas); Hererra.

Um empate em Salvador não será ruim, mas a vitória dará tranquilidade para o clássico contra o Corinthians, no domingo que vem, lá na capital paulista. Caio Júnior poderá ter novamente Everton, uma possível estreia de Renato e quem sabe o retorno de Marcelo Mattos. Precisamos segurar o Bahia hoje para disputar a liderança na próxima semana!

Vamos, FOGO!

Vamos, Somália! Volante tenta encontrar o bom futebol!

Ficha Técnica:

7ª Rodada: São Paulo 0 x 2 Botafogo (29/06/2011)

São Paulo: Rogério Ceni; Ilsinho (Rivaldo), Xandão, Luiz Eduardo e Juan; Rodrigo Souto, Jean, Casemiro e Marlos; Willian José e Fernandinho (Henrique)

Técnico: Paulo César Carpegiani

Botafogo: Renan; Alessandro, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Marcio Azevedo (Araruama); Lucas Zen, Somália, Everton (Cidinho), Elkeson e Maicosuel (Caio); Herrera

Técnico: Caio Júnior

Gols do Botafogo: Elkeson, aos 35 iniciais, e Herrera, aos 6 minutos da etapa final

Local: Morumbi (SP) / Público: 8.361 pagantes / Renda: R$ 185.419,00

Árbitro: Elmo Alves Resende da Cunha (GO)

Cartão Amarelo: Rodrigo Souto, Henrique e Willian José (São Paulo); Renan, Antônio Carlos e Somália (Botafogo)

Elkeson foi muito marcado e não encontrou espaços contra o Atlético-GO!

8ª Rodada: Botafogo 1 x 1 Atlético-GO (07/07/2011)

Botafogo: Renan; Alessandro (Cidinho), Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Márcio Azevedo; Somália (Caio), Lucas Zen, Maicosuel, Elkeson e Everton (Lucas); Herrera

Técnico: Caio Júnior

Atlético-GO: Marcio; Rafael Cruz, Gilson, Anderson e Thiago Feltri; Agenor, Bida, Pituca (Renato Augusto) e Thiaguinho (Adriano Pimenta); Anselmo e Juninho (Felipe)

Técnico: PC Gusmão

Gol do Botafogo: Herrera, aos 4 minutos da etapa inicial

Gol do Atlético-GO: Anselmo, aos 15 do primeiro tempo

Local: Engenhão (RJ) / Público: 13.649 presentes / Renda: R$ 197.905,00

Árbitro: José Caldas de Souza (DF)

Cartão Amarelo: Herrera (Botafogo) e Anderson, Thiaguinho, Agenor e Pituca (Atlético-GO)

Tua estrela solitária te conduz!

26/06/2011


Apagão, Grêmio, Renato Gaúcho e Rafael Marques… Os motivos para temer um desastre eram muitos nesta tarde de domingo no Engenhão, mas o Botafogo de Caio Júnior não carrega o fardo dos empates que o time comandado por Joel Santana enfrentava no ano passado. Com um futebol de toques rápidos e sempre buscando o campo adversário, o Alvinegro conquistou uma vitória importante e deu um grande passo na luta pela afirmação no cenário nacional.

O Campeonato Brasileiro disputado nos moldes dos pontos corridos não permite que um clube leve o caneco sem ter peças de reposição ou um elenco forte e equilibrado. Montar um bom time já é difícil, agora imagine ter um elenco para suportar a pressão de 38 rodadas combinadas com a Copa Sul-Americana. Caio Júnior armou o Botafogo com o que tinha de melhor e soube usar o banco de reservas na hora certa e da forma certa. Everton e Maicosuel jogaram bem, buscaram o gol, mas mostraram cansaço na segunda etapa e as entradas de Cidinho e Caio foram fundamentais para a vitória.

Cercado: Herrera jogou sozinho no ataque e foi sempre perigoso!

O ataque precisa ser mais efetivo para aproveitar as muitas oportunidades criadas pelo ótimo meio de campo formado por Everton, Maicosuel e Elkeson, mas é inegável a luta e a entrega do argentino Herrera. A torcida tem que entender que essa não é a posição camisa 17 e o apoio vindo da arquibancada é um combustível extra em busca da superação e essa é a palavra de ordem no elenco: superação.

Jogadores que antes estavam barrados e eram sistematicamente vaiados, como Márcio Azevedo e Alessandro, mostraram que podem ajudar e muito na longa jornada do BR-11. As vaias por sinal não foram esquecidas só iniciaram tarde dessa vez, apenas na metade do segundo tempo, mas incomodaram da mesma forma. O Grêmio não é um time qualquer e os jogadores alvinegros esbarraram num forte esquema de marcação com três zagueiros e dois volantes numa clara demonstração de que Renato Gaúcho queria o empate no Rio.

Everton, Maicosuel, Elkeson e ainda falta o Renato! Que meio de campo!

Marcelo Mattos levou o terceiro cartão amarelo e não joga na próxima rodada contra o São Paulo, no Morumbi, mas deu um presente para a torcida ao escorar o chute violento de Elkeson e recebeu em troca os gritos de “Fica! Fica! Fica!”. O “Dia do Fico” ainda está longe, as negociações com os gregos não evoluíram nas últimas semanas, porém a diretoria sabe que não adianta reforçar o ataque e depois perder um importante titular no sistema defensivo.

O treinador alvinegro terá que quebrar a cabeça para escalar o time contra o líder São Paulo. Entra o Somália? Recua o Lucas Zen? Improvisa o Alessandro no meio com a volta do Lucas na lateral? Promove a estreia de Leo? Enfim, Caio Júnior irá dormir tranqüilo hoje, mas amanhã já acordará com uma pequena dor de cabeça. Esse é o Campeonato Brasileiro: uma decisão em cada partida. E só para registrar: que atuação do Renan! É, os ventos mudaram em General Severiano!

Vamos, FOGO!

Ficha Técnica:

6ª Rodada: Botafogo 2 x 1 Grêmio (26/06/2011)

Botafogo: Renan; Alessandro, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Márcio Azevedo; Marcelo Mattos (Thiago Galhardo), Lucas Zen, Everton (Cidinho), Elkeson e Maicosuel (Caio); e Herrera

Técnico: Caio Júnior

Grêmio: Marcelo Grohe; Mário Fernandes, Rafael Marques e Neuton; Gabriel, Fernando, Willian Magrão, Marquinhos (Roberson), Douglas e Lúcio; Lins (Leandro)

Técnico: Renato Gaúcho

Gols do Botafogo: Marcelo Mattos, aos 25, e Elkeson, aos 58 minutos da etapa final

Gol do Grêmio: Rafael Marques, aos 65 minutos do segundo tempo

Local: Engenhão (RJ) / Público: 13. 983 presentes / Renda: R$ 235.895,00

Árbitro: Jailson Macedo Freitas (BA)

Cartão Amarelo: Fernando e Mário Fernandes (Grêmio); Marcelo Mattos, Elkeson e Caio (Botafogo)

Cartão Vermelho: Fernando (Grêmio)

Em busca do equilíbrio perdido

04/06/2011

O empate em 2 a 2, neste sábado, pela 3ª rodada do Campeonato Brasileiro, não foi um resultado ruim. É verdade que a vitória esteve próxima, a bola na trave aos 45 do segundo tempo foi cruel, mas o padrão de jogo imposto por Caio Júnior permite ao torcedor alvinegro alimentar esperanças de voos mais altos na competição. O Botafogo ficou trinta dias sem uma competição oficial, disputou dois amistosos, mas sem os esperados reforços prometidos pela diretoria. O elenco montado no primeiro semestre não conseguiu ser competitivo e as críticas da torcida e da mídia caíram como uma bomba em General Severiano. Eles estavam errados?

O certo é que o meio de campo alvinegro passou a funcionar após a chegada de Elkeson, porém não podemos nos esquecer que a volta de Maicosuel, mesmo longe da forma física ideal, é um fator de desequilíbrio e de constante preocupação para o adversário. Everton, que também estava rendendo bem abaixo do esperado, conseguiu atuar bem em dois jogos seguidos e, com a companhia de Cortês, pode fazer ainda mais. O grande problema continua sendo o banco de reservas. Tiago Galhardo e Caio aparecem como opções ofensivas, mas é importante que Caio Júnior resgate o futebol de Somália, pois o Botafogo vai precisar muito de um jogador polivalente e rápido para o segundo tempo.

É pela esquerda!! Cortês e Everton são a principal força ofensiva do time!

O erro no gol de empate do Ceará deve ser ignorado. Antonio Carlos e Fábio Ferreira não irão falhar novamente tão cedo e é bom lembrar que os dois fizeram gols nos dois últimos jogos. A falha aconteceu pela mudança no comando técnico do time, já que Caio Júnior pede que os jogadores evitem os chutões e que tentem encaixar o contra-ataque com a bola no pé. Marcelo Mattos e Lucas Zen correram muito e Alessandro foi correto na marcação, mas não conseguiu dar velocidade na hora de armar os ataques – nada muito longe do esperado. Renan fez boas defesas e mesmo sendo um jargão terrível do jornalismo esportivo lá vai: ele não teve culpa nos gols.

O ataque continua preocupando e o treinador alvinegro não sabe o que fazer para consertar o setor. A troca de posição entre Maicosuel e Everton piorou o time no segundo tempo e Herrera ficou muito isolado lutando com os zagueiros. O argentino jogou no sacrifício e só melhorou depois da entrada de Caio e Galhardo que passaram a encostar no atacante. Caio Júnior terá problemas para acertar o esquema ofensivo e a equipe só irá se entrosar durante a competição, por isso pontuar nesse momento é fundamental.

Vamos, FOGO!

Ainda sem entrosamento: Elkeson observa Everton avançar pela esquerda!

Ficha Técnica:

3ª Rodada: Ceará 2 x 2 Botafogo (04/06/2011)

Ceará: Fernando Henrique, Murilo (Sinho), Fabrício, Erivélton e Vicente; Michel, João Marcos, Eusébio e Iarley (Geraldo); Osvaldo e Marcelo Nicácio (Júnior)

Técnico: Vagner Mancini

Botafogo: Renan, Alessandro, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Cortês; Marcelo Mattos, Lucas Zen (Somália), Everton (Thiago Galhardo), Maicosuel (Caio) e Elkeson; Herrera

Técnico: Caio Júnior

Gols do Ceará: Osvaldo, aos 35 minutos do 1º tempo, e Michel, aos 17 da 2ª etapa

Gols do Botafogo: Elkeson, aos 28 iniciais, e Antonio Carlos, aos 28 da etapa final

Local: Presidente Vargas (CE) / Público: 9.945 pagantes

Árbitro: Sálvio Spínola (SP)

Cartão Amarelo: Antônio Carlos (Botafogo) e Erivélton (Ceará)

Quando o Botafogo voltará a campo?

21/04/2011

Quando o torcedor botafoguense terá o seu maior prazer de volta? Quando será possível vaiar time, treinador, dirigente e o que mais vier pela frente? Será neste sábado, pela Taça Carlos Alberto Torres? Ou apenas no mês que vem, pelo BR-11? O torcedor que vai ao Engenhão espera por isso a semana toda: “Hoje vou xingar e vaiar ate ficar rouco!” Acredito que alguns até façam fonoaudiologia, como os cantores, para poderem gritar mais alto e por mais tempo. É incrível! A pancadaria de ontem, pela Copa do Brasil, é reflexo de uma equipe nervosa e que não conta com o apoio da própria torcida quando joga em casa.

O Botafogo foi eliminado da competição na partida aqui do Rio e não lá em Florianópolis. Arbitragens polêmicas e confusão já são marcas registradas dos jogos na região Sul do Brasil. Eu não me esqueço dos dois gols legítimos anulados na final da Copa do Brasil, em 1999, contra o fraquinho Juventude – que hoje está na Série C do Brasileirão. Contra esses timinhos é preciso se impor e golear, ou ao menos vencer! E isso poderia ter acontecido se o time não tivesse que jogar contra o adversário e contra a própria torcida… Parece que esse atual torcedor alvinegro não quer vencer, não quer taças, não quer goleada, quer apenas sofrer e reclamar da vida…

Fahel jogou muito bem ontem, mas aqui no Rio seria vaiado mesmo assim...

Caio Júnior, o Ofensivo, entrou no lugar de Joel Santana, o Retranqueiro, mas é obrigado a conviver com os mesmos problemas e isso inclui a exigente torcida botafoguense. Exigente? Exigente ou burra? Exigente ou mesquinha? Exigente ou ingrata? Leandro Guerreiro foi para o Cruzeiro antes de ser crucificado como aconteceu com o Lucio Flavio. Quem bate as faltas agora? Que sabe fazer um bom lançamento? Quem cobra escanteios? Quem coloca a bola na cabeça do Loco Abreu? Quem absorve a culpa pela derrota? O Lucio Flavio? Querem contratar o Ricardinho, saído do Atlético-MG, para ser o dono da 10, mas ele não é um “Lucio Flavio piorado”?

O Botafogo deveria jogar com o time principal neste sábado, contra o Boavista, pela Taça Carlos Alberto Torres, e deixar a eliminação na Copa do Brasil no passado. Esse deve ser o início da preparação para a disputa de duas competições importantíssimas no próxmo semestre: o Campeonato Brasileiro e a Copa Sul-Americana! São duas oportunidades para conseguir a sonhada vaga para a Taça Libertadores, em 2012 – o inegável objetivo da atual diretoria!

Acredito no time, acredito nos jogadores e acredito no trabalho do Caio Júnior. Temos Jefferson, o melhor goleiro do Brasil; Lucas e Cortês se acertando nas laterais; Fábio Ferreira retornando para compor a zaga com Antônio Carlos; Arévalo Ríos crescendo de produção ao lado de Marcelo Mattos; o ataque Mercosul, Herrera & Loco Abreu, voltou a fazer gols decisivos; e claro, o principal: a volta de Maicosuel! Precisamos apenas de um bom camisa 11 para ajudar na criação das jogadas! Pode ser o Everton? Pode ser o Fabrício? Pode ser o Andrezinho? Pode ser o Gilberto? A diretoria precisa buscar esse jogador! Eu farei a minha parte que é torcer e gritar:

Vamos, FOGO!

Volta Maicosuel! Loco Abreu não pode carregar essa cruz sozinho!

Copa do Brasil

Oitavas de Final – Jogo 02: Avaí 1 x 1 Botafogo (20/04/2011)

Avaí: Renan, Felipe (Evando), Gian, Cássio e Julinho; Bruno, Diego Orlando, Marcinho Guerreiro e Marquinhos; William e Rafael Coelho (Estrada)

Técnico: Silas

Botafogo: Jefferson, João Filipe (Everton), Fahel e Lucas Zen; Lucas, Arévalo, Marcelo Mattos, Cidinho (Caio) e Cortês; Herrera (Somalia) e Loco Abreu

Técnico: Caio Júnior

Gol do Botafogo: Loco Abreu, aos 37 minutos da etapa final

Gol do Avaí: Willian, aos 42 do segundo tempo

Local: Ressacada (SC)

Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG)

Cartão Amarelo: Diogo Orlando, Bruno Silva e Julinho (Avaí); Herrera (Botafogo)

Herrera parte para a briga, após ver Abreu chutado no chão! Porrada!

Torcedores do Botafogo em festa!

18/04/2011

A torcida do Botafogo está tendo uma maravilhosa manhã de segunda! Sol, calor na Cidade Maravilhosa e vitória do time com uma incrível eliminação na Taça Rio. Não, não escrevi errado! A torcida que ama vaiar o Fogão no Engenhão está rindo de uma orelha a outra – mereceu até essa rima ridícula! O Botafogo venceu o America, jogou bem, dominou o adversário e mesmo assim está fora da briga pelo Campeonato Carioca. Não era isso que o torcedor queria? Joel Santana tinha a meta de conquistar mais esse campeonato e ficar marcado na história como o definitivo “Rei do Rio”, mas os alvinegros implicaram com o treinador – até com alguma razão – e minaram o trabalho até o fim.

“Queremos a Libertadores! Queremos o Mundial de Clubes da Fifa!” Ah, esse é o sonho de dez entre dez torcedores alvinegros, e claro, é o meu, mas como vencer tudo isso sem ter a capacidade de se classificar na pequena e insignificante Taça Rio? Como vencer a Taça Libertadores de America sem conseguir vencer sequer uma Taça Guanabara? Sonhar é bom, mas conquistar o que é possível é melhor ainda! O clube não tem dinheiro e estrutura para contratar craques como Ronaldinho Gaúcho, Diego Forlán ou Luis Fabiano. A diretoria acertou ao repatriar Maicosuel e ao apostar em Jobson. Reafirmo com convicção: Maurício Assumpção fez a escolha certa!

Estilo Lucio Flavio! Lucas cobrou falta com categoria! Ufa, finalmente alguém!

O mundo do “E se…” só existe nos quadrinhos da Marvel Comics e no reino da especulação, mas com Maicosuel em campo e Jobson com a cabeça no lugar, penso que a conquista do Bicampeonato Carioca aconteceria de maneira natural e seríamos hoje apontados como candidatos ao título da Copa do Brasil. A atual situação da equipe, novo treinador e com muitos desfalques, praticamente vaticinou o fim do primeiro semestre para o futebol alvinegro. É possível vencer o Avaí, quarta, na Ressacada, e passar para a próxima fase da competição, esse é um resultado possível. Mas devemos avaliar que um empate, ou uma derrota, também são resultados possíveis e não seria nem um pouco surpreendente.

O próximo jogo do alvinegro aconteceria apenas no dia 22 de maio, na estreia do BR-11, contra o Palmeiras, ou seja, um mês inteiro sem realizar uma partida oficial! Seria um mês longe dos torcedores, mas a famosa desculpa da “falta de ritmo de jogo” apareceria de cara, na primeira entrevista em caso de derrota para o time de Felipão. Caio Júnior precisa de tempo para treinar, é justo, mas vai ficar treinando bola parada e fazendo coletivozinho o mês todo? Hoje a diretoria decide de participa ou não do Troféu Carlos Alberto Torres que reúne as equipes classificadas em 3º e 4º lugar na Taça Rio. Como assim? O Botafogo cogita desistir de jogar uma competição oficial para ficar batendo bola em General Severiano?

Título é título! Troféu é troféu! Tem que entrar para ganhar! Tem que entrar com disposição e conquistar essa taça e colocar lá na sede, exposta junto com as outras eternas conquistas alvinegras! Não se foge da luta! Não podemos abrir mão de escrever a nossa própria história! Caio Júnior poderá experimentar e mexer na equipe ao mesmo tempo em que pode levar a primeira taça para a prateleira! O Botafogo não deve desistir de competir, de vencer e não pode se recusar a entrar em campo com a gloriosa camisa alvinegra!

Vamos, FOGO!

Loco Abreu não joga a toalha! Esse é o espírito! Assim é que tem que ser!

Ficha Técnica:

Taça Rio – 8ª Rodada: America 1 X 3 Botafogo (17/04/2011)

America: Paulo Wanzeler; Michel, Alan, Arcelino e Assis; Léo Oliveira (Emerson), Leandro, Bruno Reis e Paulo Roberto; Guilherme (Ruy) e Wellington

Técnico: Marcelo Buarque

Botafogo: Jefferson, Lucas, Antônio Carlos, João Filipe e Guilherme (Lucas Zen); Arévalo Ríos, Somália, Cidinho e Everton (Bruno Tiago); Herrera e Loco Abreu (Caio)

Técnico: Caio Júnior

Gols do Botafogo: Lucas, aos 13 minutos iniciais, Loco Abreu, aos 10 do segundo tempo, e novamente Lucas, aos 36 minutos da etapa final

Gol do America: Bruno Reis, aos 45 minutos do segundo tempo

Local: São Januário (RJ)

Árbitro: Rodrigo Nunes de Sá

Cartão Amarelo: Guilherme (Botafogo) e Alan, Bruno Reis, Leandro e Michel (America)

Cartão Vermelho: Ruy (America)

Procura-se torcedor!

13/04/2011

O Botafogo de Futebol e Regatas, com sede em General Severiano, no Rio de Janeiro, procura torcedores que estejam dispostos a apoiar e amar um clube de futebol que já foi responsável direto por três títulos da Seleção Brasileira em Copa do Mundo, a saber, 1958, 1962 e 1970. Outros atrativos do pacote básico: conhecer a história de grandes craques do futebol mundial que atuaram pelo alvinegro como Nilton Santos, Mané Garrincha, Didi, Manga, Zagallo, Amarildo, Quarentinha, Jairzinho, Paulo César Lima, Gérson, Rogério e Roberto Miranda. Para os torcedores mais fanáticos temos a opção de ídolos recentes como Maurício, Paulinho Criciúma, Josimar, Valdeir, Gottardo, Gonçalves, Vágner, Sérgio Manoel, Donizete e Túlio Maravilha.

A diretoria do Botafogo não promete adiantamento de vencimentos, ou seja, os títulos podem demorar um pouco, mas apresenta uma bela sede social, no Palacete de General Severiano, na zona sul carioca, e atletas dispostos a honrar as tradições da Estrela Solitária, mas dentro do apertado orçamento que o clube dispõe. Não garante milagres e nem a compra da arbitragem – que historicamente sempre atrapalha a equipe. Só pede que esse “novo” torcedor vá para o moderno Estádio Olímpico João Havelange com a intenção de apoiar e torcer pelo time do coração! O Botafogo não precisa de vaias e apupos dentro de sua própria casa!

Ao contrário da torcida, Loco Abreu acreditou no lance e fez o gol de empate!

Esse novo torcedor já teria sido muito importante hoje, no primeiro mata-mata das Oitavas de final da Copa do Brasil. O Avaí atuou como se estivesse em campo neutro e voltará para Santa Catarina sem sentir “a pressão de jogar no Rio”. Os jogadores do Botafogo irão até a Ressacada felizes! Irão jogar longe dos palavrões e insultos de sua própria torcida e quem sabe até podem voltar com a classificação na bagagem. É certo que precisarão de um padrão tático e de muito inspiração para reverter a vantagem catarinense, mas longe do Engenhão e dessa terrível torcida tudo pode acontecer, até milagres…

Caio Júnior conferiu bem de perto o drama que Joel Santana viveu em 14 meses no banco de reservas alvinegro. Aos 13 minutos de jogo, João Filipe erra um passe bobo e o mundo desaba no estádio! Parte da torcida inicia inacreditáveis gritos de “Cuca! Cuca!” Como assim? O elenco é fraco e jogava na retranca no esquema Papai Joel, a torcida não gostava e clamava pela demissão do folclórico treinador. Caio Júnior chegou para mudar esse panorama, mas com os mesmos jogadores e os torcedores, muito inteligentes, acham que essa mudança será feita com varinha de condão… Parecido não é igual e Caio Júnior não é o Harry Potter!

Não é camisa 10! Everton não é articulador de jogadas e sim meia-atacante!

O João Filipe ficou nervoso com as vaias e atrapalhou toda a defesa no lance do segundo gol; o Antônio Carlos se perdeu com os erros do companheiro de zaga; o Alessandro voltou a ser sistematicamente vaiado a cada toque na bola; o Márcio Azevedo não se apresenta ao ataque com medo de ser xingado pela torcida e o Caio Júnior foi pressionado a mexer no time e acabou se enrolando todo nas substituições. É tudo culpa do torcedor? Claro que não, mas como dizem os norte-americanos, é “Fifty-fifty”.

O Tottenham foi eliminado pelo Real Madrid, na Liga dos Campeões, perdendo os dois jogos e mesmo assim o torcedor que lotou o White Hart Lane cantou e apoiou o time o tempo inteiro, do apito inicial ao apito final! Os jogadores ingleses, em retribuição, correram os noventa minutos, suaram a camisa, tentaram de tudo, mas não conseguiram vencer em casa, no jogo da volta. Claro que a superioridade de Cristiano Ronaldo & Cia era evidente, mas o torcedor compareceu em peso e incentivou o Tottenham mesmo em desvantagem! Pena ser tão caro importar torcida com cotação em Euro…

Vamos, FOGO!

Que sufoco! Cortês já pediu protetores de ouvido para jogar em paz!

Copa do Brasil

Oitavas de Final – Jogo 01: Botafogo 2 x 2 Avaí (13/04/2011)

Botafogo: Jefferson, Alessandro (Somália), João Filipe, Antônio Carlos e Márcio Azevedo (Cortês); Marcelo Mattos, Arévalo Ríos, Everton e Caio; Herrera (Lucas) e Loco Abreu

Técnico: Caio Júnior

Avaí: Renan, Felipe (Acleisson), Gian, Cássio e Julinho; Diogo Orlando, Marcinho Guerreiro, Bruno e Marquinhos Gabriel; Willian (Evandro) e Rafael Coelho (Fabiano)

Técnico: Silas

Gols do Botafogo: Herrera, aos 22, e Loco Abreu, aos 45 minutos iniciais

Gols do Avaí: Willian, aos 13, e Rafael Coelho, aos 21 minutos do 1º tempo

Local: Engenhão (RJ) / Público: 5.574 presentes / Renda: R$ 77.400,00

Árbitro: Fabrício Neves Correa

Cartão Amarelo: Gian, Cássio, Juninho, Diego Orlando (Avaí), Marcelo Mattos e Antônio Carlos (Botafogo)

Ainda o Campeão da Taça Rio!!!

12/04/2011

A derrota deste domingo para o time da Gávea pode ser considerado um resultado de jogo e não será determinante em caso de uma não-classificação para as semifinais da Taça Rio. O que custará uma possível eliminação não será uma derrota, e sim um empate – ou dois empates. O Botafogo perdeu os dois clássicos que disputou no returno, Vasco e Flamengo, mas a perda de pontos para equipes pequenas é que pesará na hora da definição.

Erro de marcação! É para rir? Jefferson não acredita na bobeada de Somália!

O empate em 0 a 0 com o Boavista até poderia ser considerado um bom resultado, já que o time tinha dez desfalques, mas jogamos melhor, tivemos oportunidades e, mesmo com os reservas, era possível ficar com os três pontos. Outro resultado catastrófico aconteceu diante do limitado Resende, na rodada passada, com o elenco completo e muitos gols pedidos! São esses quatro pontos que estão atravancando a classificação botafoguense para a próxima fase da Taça Rio.

Ricardinho, Marcinho, Andrezinho… Só isso? Apostar em jogadores velhos, que brilharam no passado e que agora só aparecem vez ou outra. Ricardinho recebia uma baba no Atlético-MG e arrumou confusão com três técnicos diferentes até ser demitido! Marcinho está passeando no Mundo Árabe de onde os jogadores sempre chegam fora de forma e demoram meses para conseguir entrar em campo.

Caio Jr. está reestruturando a equipe, mas ainda falta um camisa 10!

Das possíveis contratações a mais interessante é a de Andrezinho, reserva de luxo no Internacional, que pode atuar como meia de ligação e ainda tem a vantagem das excelentes cobranças de falta. Sim, podem reclamar, mas desde a saída de Lucio Flavio para o futebol mexicano que não temos eficiência na bola parada!

O Vasco vai bem na Copa do Brasil e já está na semifinal da Taça Rio; o Flamengo já levantou a Taça Guanabara, luta pela Taça Rio e deve ter vida fácil na Copa do Brasil até a semifinal; o Fluminense está classificado para as semifinais no Carioca, mas sonha mesmo com um milagre na Libertadores e o Botafogo se recuperou na Copa do Brasil e depende do Vasco para chegar até o mata-mata da Taça Rio. O futebol carioca parece ter reencontrado o bom caminho e as partidas da próxima semana devem garantir emoções fortes aos torcedores!

Vamos, FOGO!

O time partiu em busca do empate e cedeu muitos espaços na defesa!

Ficha Técnica:

Taça Rio – 7ª Rodada: Botafogo 0 x 2 Flamengo (10/04/2011)

Botafogo: Jefferson, Alessandro, João Filipe, Antônio Carlos e Somália (Guilherme); Marcelo Mattos, Arévalo Ríos, Bruno Tiago (Lucas) e Everton (Caio); Herrera e Loco Abreu

Técnico: Caio Júnior

Flamengo: Felipe, Léo Moura, Welinton, David Braz e Rodrigo Alvim; Maldonado, Willians (Fierro), Renato Abreu e Thiago Neves; Ronaldinho e Deivid (Diego Maurício)

Técnico: Vanderlei Luxemburgo

Gols do Flamengo: Thiago Neves (2)

Local: Engenhão (RJ) / Público: 21.422 presentes / Renda: R$ 487.905,00

Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães

Cartão Amarelo: Willians, Wellinton, Maldonado, David Braz, Ronaldinho Gaúcho e Felipe (Flamengo). Somália, Everton, Arévalo Ríos, João Filipe, Herrera, Loco Abreu, Antônio Carlos e Caio (Botafogo)