Posts Tagged ‘Sneijder’

A batalha de Munique!

16/03/2011

Louis van Gaal deve ter acordado nesta quarta com um gosto amargo na boca. A vitória por 1 a 0, em pleno Giuseppe Meazza, no jogo de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões praticamente garantia uma sensação de tranquilidade para o time alemão. O Bayern de Munique entrou em campo completo, com os astros Ribéry e Robben em plena forma física e técnica e contando com a ajuda de quase 70 mil torcedores no Allianz Arena! Somente uma catástrofe poderia tirar a classificação das mãos do técnico holandês.

Ao fim do primeiro tempo – e que primeiro tempo! – Louis van Gaal estava com a costumeira posse arrogante e com o nariz apontado pra lua! “Sou o melhor treinador do mundo todo!” Ah, essa frase certamente passou pela cabeça do homem que dispensou o zagueiro Lúcio, por e-mail, antes do fim do contrato, em 2009, durante a Copa das Confederações. A vingança de Lúcio viria com o título da Champions League justamente contra o ex-time na temporada passada, mas o destino preparou outra amarga surpresa para o Luizinho holandês.

A terrível falha de Júlio César no gol de Mário Gomez desestabilizou a Internazionale que sofreu a virada, minutos depois, em novo erro da zaga, desta vez com Thiago Motta. Parecia que não seria uma noite muito boa para os brasileiros. Como nada é definitivo no esporte, Júlio César fez duas grandes defesas e a primeira etapa terminou em bom momento para os italianos.

Nota 10! Samuel Eto'o jogou muito e desequilibrou a partida em Munique!

O caminho para o vestiário não deve ter sido nada agradável, mas a Inter de Milão mostrou que sabe lidar com a pressão e com o resultado adverso, afinal não se conquista três títulos na mesma temporada sem méritos. Vale lembrar que esse mesmo time, com Mourinho no comando, faturou o Campeonato Italiano 2009/2010, a Copa da Itália 2009/2010 e a Liga dos Campeões 2009/2010. E mesmo a turbulenta passagem de Benítez rendeu dois títulos: a Supercopa da Itália 2010 e o Mundial Interclubes da Fifa em dezembro de 2010.

Logo aos cinco minutos do segundo tempo, Leonardo arriscou tudo e colocou o jovem Philippe Coutinho na vaga do nervoso Stankovic. Coutinho tratou de colocar a bola no chão e começou a trocar bons passes com Sneijder. Mas a principal arma italiana para empatar e conseguir o gol da histórica classificação foi Samuel Eto’o. O camaronês abriu o placar logo aos 3 minutos e deu duas assistências perfeitas para Sneijder e Pandev! Uma partida para levar a nota 10! E o Júlio César? Fez duas defesas impressionantes na segunda etapa e se redimiu das falhas cometidas nos dois jogos contra o Bayern de Munique.

Ah, não posso me esquecer de avisar ao Luisinho holandês qual é o problema dele! Louis van Gaal, essa dor de estômago tem nome e sobrenome: Lucimar da Silva Ferreira! Você o conhece como Lúcio mesmo e… ele jogava no seu time, não é incrível como o mundo dá voltas?

Emoção! O brasileiro Leonardo comandou a Inter numa partida histórica!

Liga dos Campeões da Europa

Oitavas de Final – Bayern de Munique 2 x 3 Inter-ITA (15/03/2011)

Bayern de Munique: Kraft, Lahm, Breno (Kroos), Van Buyten (Badstuber) e Pranjic; Luiz Gustavo, Schweinsteiger, Robben (Altintop), Müller e Ribéry; Gomez

Técnico: Louis van Gaal

Inter-ITA: Julio César, Maicon, Lúcio, Ranocchia e Chivu (Nagatomo); Thiago Motta, Cambiasso e Stankovic (Coutinho); Sneijder; Pandev (Kharja) e Eto’o

Técnico: Leonardo

Gols do Bayern de Munique: Mário Gomes, aos 20, e Müller, aos 30 do primeiro tempo

Gols da Inter-ITA: Eto’o, aos quatro iniciais. Sneijder, aos 17, e Pandev, aos 42 minutos do segundo tempo

Local: Allianz Arena (ALE) / Árbitro: Pedro Proença (POR)

Cartão Amarelo: Luiz Gustavo e Breno (Bayern de Munique); Lúcio, Thiago Motta, Pandev e Kharja (Inter-ITA)

Nagatomo aproveita para mandar uma mensagem aos compatriotas!

Anúncios

O bom futebol retornou!

16/01/2011

Qual o peso de um treinador nas vitórias de uma equipe? No caso da Inter de Milão podemos dizer que a chegada do brasileiro Leonardo, ex-treinador do arqui-rival Milan, foi fundamental para a volta do bom futebol e das vitórias. José Mourinho venceu todos os torneios que disputou com a Inter na temporada 2009/2010, mas Rafa Benítez, apesar de vencer o Mundial de Clubes da Fifa, não emplacou no time milanês e foi demitido. O espanhol saiu atirando para todos os lados, dizendo que a Inter tinha um time velho e que não recebeu os reforços que pediu ao presidente Massimo Moratti.

Leonardo assumiu a equipe na sétima posição no Campeonato Italiano e após quatro vitórias seguidas já recolocou a Inter na briga pelo título. Mas qual foi o milagre? O zagueirão Materazzi – sempre ele! – deu uma declaração dizendo que Benítez era um guarda de trânsito dirigindo uma Ferrari! O certo foi que Benítez quis inventar e mudou o padrão de jogo de um time que venceu tudo o que disputou: Campeonato Italiano, Copa da Itália, Liga dos Campeões e a Supercopa da Itália – já sob o comando do espanhol. A derrota na final da Supercopa da Europa, 2 a 0 para o Atlético de Madrid, já mostrava que as mudanças feitas na equipe não estavam dando resultado. Benítez seguiu inventando, mudando e mexendo no time até ser demitido!

Campeão do mundo e demitido! Benítez não emplacou na Inter!

Assim que assumiu o time nerazurri, Leonardo deu liberdade para que Maicon e Eto’o voltassem a jogar abertos pela ponta e forçou as jogadas pelas laterais do campo, algo que não ocorria na formação desenhada pelo espanhol. Leo não tem todos os titulares disponíveis, Sneijder, Júlio César e Samuel estão lesionados, mas mesmo assim fez a equipe emplacar cinco vitórias seguidas, quatro pelo Italiano e uma pela Copa da Itália, e mostrar um padrão de jogo parecido com a Internazionale de José Mourinho.

A vitória deste sábado sobre o Bologna, por 4 a 1, foi construída de forma natural e com a participação efetiva de Samuel Eto’o que deu um passe preciso para Stankovic abrir o placar e ainda fez dois golaços – o segundo uma pintura em cobrança de falta. As comemorações alegres após os gols só reforçam que o bom ambiente está de volta e junto com ele vieram as vitórias que estavam em falta na gestão de Rafa Benítez.

Inter vence a Supercopa da Itália 2009/2010!

23/08/2010

No sábado, a Internazionale de Milão venceu, de virada, o Roma, por 3 a 1, e conquistou a Supercopa da Itália, o primeiro título da temporada 2010/2011 do futebol italiano. Esse é também o primeiro título do novo técnico da equipe, o espanhol Rafa Benítez que tem a difícil missão de substituir o português José Mourinho, agora no Real Madrid.

O título desse fim de semana dá sequência aos impressionantes resultados obtidos por Mourinho na temporada 2009/2010: campeão da Copa da Itália, do Campeonato Italiano e da Liga dos Campeões da Europa. Por outro lado, o Roma foi vice-campeão da Copa da Itália e segundo colocado no italiano, ou seja, o adversário perfeito a ser batido numa final pelo Inter de Milão: são três vices campeonatos em menos de um ano!

O espanhol Rafa Benítez adota o esquema tático da moda: 4-3-2-1

Após a decepção italiana na Copa do Mundo da África do Sul, os jogadores só pensam nos clubes e a nova formação do Internazionale, sob comando de Rafa Benítez, promete ser tão eficiente quanto a da temporada passada. Os destaques da conquista foram o zagueiro Lúcio, o meia Sneijder e o camaronês Samuel Eto’o que anotou dois gols na etapa final – Pandev, no primeiro tempo, empatou a partida. O novo treinador fez alterações no esquema tático, mas a liberdade de criação para Sneijder continua. O camisa 10 interista deu belo passe para Eto’o fazer 3 a 1 e enterrar uma possível reação do Roma.

O próximo desafio do Inter de Milão, ainda colhendo os frutos da excelente temporada passada, será encarar o Atlético de Madrid, campeão da Liga Europa 2009/2010, na disputa pela Supercopa Européia, nesta sexta, 27/08, em Mônaco, com transmissão da ESPN. O título é inédito para as duas equipes e o confronto promete ser de alto nível!

Samuel Eto'o x Diego Fórlan: quem vai levar a melhor nesta sexta?

Gol irregular garante a Holanda na final

07/07/2010

Não era um caso de “Davi contra Golias”, mas passava um pouco perto disso. O Uruguai sem o capitão Lugano, o jovem Lodeiro e o artilheiro-goleiro Luisito Suaréz enfrentou de igual para igual a badalada seleção holandesa recheada de astros como Arjen Robben, Wesley Sneijder (parece nome de artista hollywoodiano!) e Van Persie.

O belíssimo Green Point foi o palco da semifinal entre Uruguai e Holanda

O técnico Oscar Tabárez foi obrigado a mudar o esquema de jogo e entrou em campo apenas com dois atacantes, já que durante todo o torneio atuou com três atacantes. E ainda dizem que o futebol moderno só pode ser refém da retranca! Os uruguaios exerceram uma forte marcação na saída de bola, o que deixou a equipe holandesa nervosa nos primeiros minutos de jogo.

O atacante Luis Suárez foi lembrado pela torcida uruguaia no Green Point

A marcação desde a saída de bola foi um recurso utilizado pelas seleções americanas neste mundial, com exceção para Argentina e Brasil que deixavam o adversário jogar sem ser pressionado. Uruguai, Paraguai, Chile e até o México se fechavam na defesa, mas começavam a marcar com os atacantes e homens de criação do meio-campo. Não se tratava apenas de uma retranca, com chutões para frente, a estratégia era roubar a Jabulani perto do gol adversário.

Os uruguaios fizeram um primeiro tempo impecável e o gol de Van Bronckhorst, aos 18 minutos de jogo, foi um presente dos céus para os holandeses que não conseguiam criar nada no ataque. Gol não, golaço com aço, aço! Um chute maravilhoso e com rara felicidade que acordou a coruja da trave esquerda de Muslera.

Forlán acerta um chutaço de canhota e agradece o erro do goleiro holandês

Quando tudo indicava que o Uruguai iria para o vestiário em desvantagem, o que seria injusto, a estrela do craque Diego Forlán brilhou forte no Green Point. Aos 41 minutos, após boa troca de passes do ataque uruguaio, Forlán dominou com a canhota e soltou uma bomba de fora da aérea. Defensável, mas o goleirão Stekelenburg foi enganado pelas idas e vindas da bola e falhou no lance. Tudo igual no fim do primeiro tempo.

O dono do time: Diego Forlán bate o escanteio e corre pra cabecear!

O Uruguai manteve a forte pegada durante quinze minutos, mas aos poucos a Holanda conseguiu avançar suas linhas e encurralou o time de Tabárez no campo defensivo. Dessa pressão surgiu o gol que decidiria a partida. Aos 25 minutos, Sneijder recebeu dentro da área, chutou fraco, a bola resvalou em dois zagueiros e Van Persie, completamente impedido, tentou dar um cutucão e desviar para o gol, ele erra a Jabulani, mas é o suficiente para enganar o goleiro Muslera que pula atrasado no lance. A bola ainda bate na trave antes de entrar.

Esse é o ano dele! Sneijder luta pelo título e pela artilharia do mundial!

Todos olharam para o bandeirinha, até as câmeras da transmissão da Fifa, mas o sujeito correu da responsabilidade e foi direto para o meio de campo. Não adiantou a reclamação dos uruguaios. Gol irregular, completamente irregular. Mas como será o futebol no Uzbequistão?

O lance desestabilizou a seleção uruguaia e bastou um momento de desatenção para o prejuízo ser definitivo. Bola levantada na área e Robben, sem ser incomodado, cabeceia no canto direito de Muslera. Outra vez a Jabulani beija a trave e entra. Sorte em excesso para os holandeses. O relógio marca 28 minutos do segundo tempo e o placar: Uruguai 1 x 3 Holanda.

A alegria de Arjen Robben depois de marcar o terceiro gol holandês!

Oscar Tabárez resolve lançar o amuleto El Loco Abreu para tentar salvar a nação uruguaia, mas o craque Diego Forlán, sobrecarregado com a dupla função de armar as jogadas e ainda ter que concluir a gol, se arrasta em campo e é substituído por Fernandez. Tudo acabado para o Uruguai? A Holanda se prepara para dar uma goleada? Nada disso.

O Uruguai não se abate, sufoca a Holanda e consegue diminuir, já nos acréscimos, com Maxi Pereira, em jogada ensaiada de cobrança de falta. Nova falha do goleiro Stekelenburg e displicência dos zagueiros holandeses. A soberba pode custar caro ao time de Bert Van Marwijk na grande decisão da Copa do Mundo 2010.

Os uruguaios mantiveram a bola dentro da área holandesa até o apito final do arbitro queridinho da Fifa, Ravshan Irmatov, do Uzbequistão. Irmatov já trabalhou em cinco jogos neste mundial e foi fundamental para a vitória holandesa.

Hum, comemoração estranha essa... bundinha pra cima... vem, meu bem...

A seleção uruguaia precisa recolher os cacos e juntar forças para vencer a disputa pelo terceiro lugar. Voltar para Montevidéu com a medalha de bronze da Copa do Mundo é um justo prêmio ao talento de Diego Forlán e pode indicar um renascimento de uma das primeiras potências do futebol mundial.

Lugano cobra do juiz o segundo gol holandês: "Sacanagem, hein!"

Ficha técnica:

Uruguai 2 X 3 Holanda

Uruguai: Muslera, Maxi Pereira, Godín, Victorino e Cáceres; Perez, Arévalo Rios, Gargano e Álvaro Pereira (Loco Abreu); Forlán (Fernández) e Cavani.

Técnico: Oscar Tabárez

Holanda: Stekelenburg, Boulahrouz, Heitinga, Mathijsen e Van Bronckhorst; Van Bommel, De Zeeuw (Van der Vaart), Robben (Elia), Sneijder e Kuyt; Van Persie

Técnico: Bert Van Marwijk

Gols do Uruguai: Forlán, aos 41 minutos do primeiro tempo, e Maxi Pereira, aos 47 da etapa final

Gols da Holanda: Van Bronckhorst, aos 18 minutos iniciais. Sneijder, aos 25, e Robben, aos 28 minutos do segundo tempo

Estádio: Green Point, na Cidade do Cabo / Público: 62.479

Data/hora: 06/07/2010 – 15h30m (de Brasília)

Árbitro: Ravshan Irmatov (Uzbequistão)

Auxiliares: Rafael Ilyasov (Uzbequistão) e Bakhadyr Kochkarov (Cazaquistão)

Cartão Amarelo: Maxi Pereira, Caceres (URU), Sneijder, Boulahrouz (HOL)

A torcida do Botafogo esteve no Fifa Fan Fest para apoiar a seleção uruguaia

Mecânica, classificada, mas sem a laranja

19/06/2010

Goleiro de um lado e bola do outro... Não, não foi pênalti!

Sneijder acertou um belo chute de fora da área, aos oito minutos do segundo tempo, contou com a colaboração do goleiro nipônico e fez 1 a 0 sobre o Japão. Pronto. Esse foi o jogo. Nada mais a declarar. A Holanda, como tantas outras seleções neste mundial, está devendo uma apresentação digna dos caríssimos jogadores que manda para campo.

A Copa do Mundo de 2010 está recheada de craques e de jogadores habilidosos que se destacam por seus clubes, mas que pela seleção não jogam nada, nadinha mesmo. Sneijder correu e suou o suficiente para garantir a vitória holandesa e foi só.

Van Bommel é capitão do Bayern Munique e conquistou o titulo alemão da temporada 2009/2010, Van Persie atua pelo Arsenal, Huntelaar joga pelo Milan e Van der Vaart pelo Real Madrid. Já Sneijder, o camisa 10 holandês, foi campeão de tudo pelo Inter de Milão. É exagero pedir um pouco mais de inspiração para esses jogadores?

Sneijder ainda está devendo uma boa atuação neste mundial

Ficha técnica:

Holanda 1 X 0 Japão

Holanda: Stekelenburg; Van der Wiel, Hitinga, Mathijsen e Van Bronckhorst; Van Bommel, De Jong e Sneijder (Afellay); Kuyt, Van Persie (Huntelaar) e Van der Vaart (Elia)

Técnico: Bert van Marwijk

Japão: Kawashima; Komano, Nakazawa, Tanaka e Nagatomo; Abe, Hasebe (Okazaki), Endo, Matsui (Nakamura) e Okubo (Tamada); Honda

Técnico: Takeshi Okada

Gol da Holanda: Sneijder, aos oito minutos da etapa final

Estádio: Moses Madhida, Durban

Data/hora: 19/06/2010 – 8h30m (de Brasília)

Árbitro: Hector Baldassi (ARG)

Auxiliares: Ricardo Casas (ARG) e Hernan Maidana (ARG)

Cartão Amarelo: Van der Wiel (HOL)

Camarões é a primeira seleção eliminada do mundial!

Alegria ou desespero? Gol de Eto'o não evita a eliminação de Camarões

Foram 26 partidas, algumas muito chatas e outras legítimas peladas, mas finalmente um bom jogo na Copa do Mundo 2010! Camarões e Dinamarca lutaram até o apito final buscando o gol e fizeram o melhor jogo deste mundial.

Samuel Eto’o inaugurou o placar aos dez minutos num belo chute colocado, após bobeira da correta zaga dinamarquesa. O jogo seguia aberto e com boas possibilidades de gol para Camarões – que abusava das jogadas individuais – quando Bendtner escorou cruzamento preciso de Rommendahl para empatar e tirar o sorriso do rosto dos africanos.

Toca aqui parceiro! Agora é só fazer mais um e virar a partida

O empate não era um bom resultado para nenhuma das equipes, mas ao menos adiava a decisão da vaga para a última rodada. Camarões perdia uma chance atrás da outra, seja com Eto’o, Emana ou Webo e sofreu o castigo aos quinze minutos depois de um excelente contra-ataque dos dinamarqueses.

O camisa 19 Rommendahl, melhor do jogo, recebeu um lançamento longo pela esquerda, invadiu a área em velocidade, deu um drible desconcertante em Makoun e procurou o cantinho direito do goleiro Souleymanou para virar o placar. Golaço!

Samuel Eto’o mostrou que uma andorinha só não faz verão e a eliminação precoce será motivo de muitas críticas por parte do ídolo Roger Milla. A Dinamarca irá decidir a segunda vaga do Grupo E contra o Japão, na última rodada, num jogo que tem tudo para ser emocionante.

O gol da eliminação: Rommedahl bate de canhota, longe do goleiro

Classificação do Grupo E:

Seleção Pontos Jogos Vitória Empate Derrota GP GC Saldo
Holanda 6 2 2 0 0 3 0 3
Japão 3 2 1 0 1 1 1 0
Dinamarca 3 2 1 0 1 2 3 -1
Camarões 0 2 0 0 2 1 3 -2

Ficha técnica:

Camarões 1 X 2 Dinamarca

Camarões: Souleymanou; Ekotto, Bassong (Idrissou), Nkoulou e Mbia; Eyong, Geremi (Makoun), Emana e Alex Song; Webo (Aboubakar) e Eto’o

Técnico: Paul Le Guen

Dinamarca: Sorensen; Jacobsen, Kjaer, Agger e Simon Poulsen; Christian Poulsen, Gronkjaer (Kahlenberg) e Jorgensen (Jensen); Rommedahl, Bendtner e Tomasson

Técnico: Morten Olsen

Gol de Camarões: Eto’o aos dez minutos iniciais

Gols da Dinamarca: Bendtner, aos 33 do primeiro tempo, e Rommedahl, aos 15 da etapa final

Estádio: Loftus Versfeld, Pretória / Público: 38.074

Data/hora: 19/06/2010 – 15h30m (de Brasília)

Árbitro: Hector Baldassi (ARG)

Auxiliares: Ricardo Casas (ARG) e Hernan Maidana (ARG)

Cartão Amarelo: Bassong, Mbia (CAM) e Kjaer (DIN)