Posts Tagged ‘Mundial de Clubes da Fifa’

Torcedores do Botafogo em festa!

18/04/2011

A torcida do Botafogo está tendo uma maravilhosa manhã de segunda! Sol, calor na Cidade Maravilhosa e vitória do time com uma incrível eliminação na Taça Rio. Não, não escrevi errado! A torcida que ama vaiar o Fogão no Engenhão está rindo de uma orelha a outra – mereceu até essa rima ridícula! O Botafogo venceu o America, jogou bem, dominou o adversário e mesmo assim está fora da briga pelo Campeonato Carioca. Não era isso que o torcedor queria? Joel Santana tinha a meta de conquistar mais esse campeonato e ficar marcado na história como o definitivo “Rei do Rio”, mas os alvinegros implicaram com o treinador – até com alguma razão – e minaram o trabalho até o fim.

“Queremos a Libertadores! Queremos o Mundial de Clubes da Fifa!” Ah, esse é o sonho de dez entre dez torcedores alvinegros, e claro, é o meu, mas como vencer tudo isso sem ter a capacidade de se classificar na pequena e insignificante Taça Rio? Como vencer a Taça Libertadores de America sem conseguir vencer sequer uma Taça Guanabara? Sonhar é bom, mas conquistar o que é possível é melhor ainda! O clube não tem dinheiro e estrutura para contratar craques como Ronaldinho Gaúcho, Diego Forlán ou Luis Fabiano. A diretoria acertou ao repatriar Maicosuel e ao apostar em Jobson. Reafirmo com convicção: Maurício Assumpção fez a escolha certa!

Estilo Lucio Flavio! Lucas cobrou falta com categoria! Ufa, finalmente alguém!

O mundo do “E se…” só existe nos quadrinhos da Marvel Comics e no reino da especulação, mas com Maicosuel em campo e Jobson com a cabeça no lugar, penso que a conquista do Bicampeonato Carioca aconteceria de maneira natural e seríamos hoje apontados como candidatos ao título da Copa do Brasil. A atual situação da equipe, novo treinador e com muitos desfalques, praticamente vaticinou o fim do primeiro semestre para o futebol alvinegro. É possível vencer o Avaí, quarta, na Ressacada, e passar para a próxima fase da competição, esse é um resultado possível. Mas devemos avaliar que um empate, ou uma derrota, também são resultados possíveis e não seria nem um pouco surpreendente.

O próximo jogo do alvinegro aconteceria apenas no dia 22 de maio, na estreia do BR-11, contra o Palmeiras, ou seja, um mês inteiro sem realizar uma partida oficial! Seria um mês longe dos torcedores, mas a famosa desculpa da “falta de ritmo de jogo” apareceria de cara, na primeira entrevista em caso de derrota para o time de Felipão. Caio Júnior precisa de tempo para treinar, é justo, mas vai ficar treinando bola parada e fazendo coletivozinho o mês todo? Hoje a diretoria decide de participa ou não do Troféu Carlos Alberto Torres que reúne as equipes classificadas em 3º e 4º lugar na Taça Rio. Como assim? O Botafogo cogita desistir de jogar uma competição oficial para ficar batendo bola em General Severiano?

Título é título! Troféu é troféu! Tem que entrar para ganhar! Tem que entrar com disposição e conquistar essa taça e colocar lá na sede, exposta junto com as outras eternas conquistas alvinegras! Não se foge da luta! Não podemos abrir mão de escrever a nossa própria história! Caio Júnior poderá experimentar e mexer na equipe ao mesmo tempo em que pode levar a primeira taça para a prateleira! O Botafogo não deve desistir de competir, de vencer e não pode se recusar a entrar em campo com a gloriosa camisa alvinegra!

Vamos, FOGO!

Loco Abreu não joga a toalha! Esse é o espírito! Assim é que tem que ser!

Ficha Técnica:

Taça Rio – 8ª Rodada: America 1 X 3 Botafogo (17/04/2011)

America: Paulo Wanzeler; Michel, Alan, Arcelino e Assis; Léo Oliveira (Emerson), Leandro, Bruno Reis e Paulo Roberto; Guilherme (Ruy) e Wellington

Técnico: Marcelo Buarque

Botafogo: Jefferson, Lucas, Antônio Carlos, João Filipe e Guilherme (Lucas Zen); Arévalo Ríos, Somália, Cidinho e Everton (Bruno Tiago); Herrera e Loco Abreu (Caio)

Técnico: Caio Júnior

Gols do Botafogo: Lucas, aos 13 minutos iniciais, Loco Abreu, aos 10 do segundo tempo, e novamente Lucas, aos 36 minutos da etapa final

Gol do America: Bruno Reis, aos 45 minutos do segundo tempo

Local: São Januário (RJ)

Árbitro: Rodrigo Nunes de Sá

Cartão Amarelo: Guilherme (Botafogo) e Alan, Bruno Reis, Leandro e Michel (America)

Cartão Vermelho: Ruy (America)

O bom futebol retornou!

16/01/2011

Qual o peso de um treinador nas vitórias de uma equipe? No caso da Inter de Milão podemos dizer que a chegada do brasileiro Leonardo, ex-treinador do arqui-rival Milan, foi fundamental para a volta do bom futebol e das vitórias. José Mourinho venceu todos os torneios que disputou com a Inter na temporada 2009/2010, mas Rafa Benítez, apesar de vencer o Mundial de Clubes da Fifa, não emplacou no time milanês e foi demitido. O espanhol saiu atirando para todos os lados, dizendo que a Inter tinha um time velho e que não recebeu os reforços que pediu ao presidente Massimo Moratti.

Leonardo assumiu a equipe na sétima posição no Campeonato Italiano e após quatro vitórias seguidas já recolocou a Inter na briga pelo título. Mas qual foi o milagre? O zagueirão Materazzi – sempre ele! – deu uma declaração dizendo que Benítez era um guarda de trânsito dirigindo uma Ferrari! O certo foi que Benítez quis inventar e mudou o padrão de jogo de um time que venceu tudo o que disputou: Campeonato Italiano, Copa da Itália, Liga dos Campeões e a Supercopa da Itália – já sob o comando do espanhol. A derrota na final da Supercopa da Europa, 2 a 0 para o Atlético de Madrid, já mostrava que as mudanças feitas na equipe não estavam dando resultado. Benítez seguiu inventando, mudando e mexendo no time até ser demitido!

Campeão do mundo e demitido! Benítez não emplacou na Inter!

Assim que assumiu o time nerazurri, Leonardo deu liberdade para que Maicon e Eto’o voltassem a jogar abertos pela ponta e forçou as jogadas pelas laterais do campo, algo que não ocorria na formação desenhada pelo espanhol. Leo não tem todos os titulares disponíveis, Sneijder, Júlio César e Samuel estão lesionados, mas mesmo assim fez a equipe emplacar cinco vitórias seguidas, quatro pelo Italiano e uma pela Copa da Itália, e mostrar um padrão de jogo parecido com a Internazionale de José Mourinho.

A vitória deste sábado sobre o Bologna, por 4 a 1, foi construída de forma natural e com a participação efetiva de Samuel Eto’o que deu um passe preciso para Stankovic abrir o placar e ainda fez dois golaços – o segundo uma pintura em cobrança de falta. As comemorações alegres após os gols só reforçam que o bom ambiente está de volta e junto com ele vieram as vitórias que estavam em falta na gestão de Rafa Benítez.

Racismo, preconceito e golaço de Samuel Eto’o!

17/10/2010

Samuel Eto’o, camaronês, atacante do Inter de Milão, jogou três Copas do Mundo (1998, 2002 e 2010), ganhou duas Copas das Nações Africanas (2000 e 2002) e foi determinante na conquista do Ouro Olímpico em Sydney 2000. Eto’o conquistou a Copa del Rey, em 2003, jogando pelo modesto Mallorca, sendo comprado na temporada seguinte pelo Barcelona, onde venceu três Campeonatos Espanhóis (2004/2005, 2005/2006 e 2008/2009) e duas Champions League (2005/2006 e 2008/2009).

A história do camaronês no futebol italiano começou em 2009, após a milionária troca entre Barça e Internazionale envolvendo o sueco Zlatan Ibrahimovic. Pelo clube de Massimo Moratti, Eto’o teve uma temporada 2009/2010 perfeita, vencendo tudo: Campeonato Italiano, a Copa da Itália e a Champions League. Nesta temporada, a Inter de Milão já conquistou a Supercopa da Itália e irá jogar o Mundial de Clubes da Fifa, em dezembro.

Infelizmente, neste domingo, pela 7ª rodada do Campeonato Italiano, Samuel Eto’o foi obrigado a enfrentar insultos racistas por parte da torcida do Cagliari, no Estádio Sant’Elia. A resposta do jogador veio na bola, no campo, no talento! Aos 38 minutos da etapa inicial, o camaronês ajeitou na entrada da área, deu um corte seco no zagueiro e, de esquerda, disparou um balaço indefensável. Golaço para calar de vez a preconceituosa torcida da Sardenha.

Os italianos se revoltaram com a selvageria sérvia, no meio da semana, em partida válida pelas Eliminatórias da Eurocopa 2012, mas e agora? Qual a desculpa pela atitude no Estádio Sant’Elia? Existe desculpa, em pleno Século 21, para tais atos?

A Inter de Milão venceu fora de casa e segue na luta pelo título italiano!

Campeonato Italiano: 7ª Rodada

Sábado (16/10/2010)
13:00h – Milan 3 x 1 Chievo
15:45h – Roma 2 x 1 Genoa

Domingo (17/10/2001)
08:30h – Caglari 0 x 1 Inter de Milão
11:00h – Palermo 4 x 1 Bologna
11:00h – Juventus 4 x 0 Lecce
11:00h – Catania 1 x 1 Napoli
11:00h – Brescia 0 x 1 Udinese
11:00h – Cesena 1 x 1 Parma
11:00h – Sampdoria 2 x 1 Fiorentina
16:45h – Bari x Lazio

O Real Madrid de Cristiano Ronaldo lidera o Campeonato Espanhol!

Campeonato Espanhol: 7ª Rodada

Sábado (16/10/2010)
13:00h – Atlético de Madrid 2 x 0 Getafe
15:00h – Barcelona 2 x 1 Valência
15:00h – Málaga 1 x 4 Real Madrid

Domingo (19/09/2001)
13:00h – Levante 2 x 1 Real Sociedad
13:00h – Mallorca 0 x 1 Espanyol
13:00h – Racing Santander 1 x 0 Almeria
13:00h – La Coruña 0 x 0 Osasuna
15:00h – Athletic Bilbao x Zaragoza
17:00h – Sporting Gijón x Sevilla

Segunda-feira (20/09/2010)
17:00h – Hércules x Villareal

Obediência tática e talento para ser campeão

22/05/2010

O técnico José Mourinho levou o limitado elenco da Internazionale de Milão à conquista da Liga dos Campeões e ainda conseguiu a inédita tríplice coroa européia para um time italiano, já que antes havia faturado a Copa da Itália e o Campeonato Italiano. Os grandes favoritos como Real Madrid, Barcelona, Chelsea e Manchester United foram caindo pelo caminho enquanto a Inter seguia firme até a final.

O diferencial da equipe de Milão foi o padrão tático adotado por Mourinho, a entrega de seus jogadores e a incrível estrela do artilheiro Diego Milito – foram dele todos os gols nas duas finais e na rodada decisiva do italiano contra o Siena. Milito fez o gol da vitória de 1 a 0 sobre a Roma na final da Copa da Itália e marcou os dois tentos na grande decisão da Champions League temporada 2009/2010 sobre o favorito Bayern de Munique.

Diego Milito foi eleito o melhor jogador da final da Champions League

Chamado de retranqueiro por parte da imprensa italiana, José Mourinho respondeu aos críticos com títulos. Ciente que não tinha o melhor elenco em mãos, Mourinho armou a Internazionale para jogar nos contra-ataques e criou uma defesa quase intransponível. Lúcio, Samuel, Maicon, Chivu, Zanetti e Cambiasso formaram um muro de proteção diante da meta de Júlio César. Do meio pra frente, com toques curtos e rápidos, Sneijder e Pandev chegavam com perigo ao gol adversário em tabelas com Diego Milito e Samuel Eto’o.

A campanha até a grande final mostra que o título foi mais do merecido, foi incontestável. Na fase de grupos, a Inter se classificou em segundo lugar com nove pontos – duas vitórias, três empates e apenas uma derrota para o poderoso Barcelona de Lionel Messi por 2 a 0. O time ainda não apresentava o equilíbrio entre ataque e defesa que surpreendeu os favoritos no mata-mata: foram seis gols sofridos em seis jogos e apenas sete gols anotados.

Sacrificado pelo esquema tático, Eto'o foi recuado para ajudar na marcação

Nas oitavas-de-final, o primeiro grande desafio contra o Chelsea de Michael Ballack, Frank Lampard e Didier Drogba. A zebra correu solta no Stamford Bridge e a vitória por 2 a 1, fora de casa, deixou a classificação encaminhada. Os dois triunfos sobre o Chelsea chamaram a atenção da imprensa, dos adversários e trouxeram segurança e tranquilidade para a equipe. O CSKA Moscou foi a próxima vítima do estilo de jogo armado por Mourinho e novamente a classificação foi assegurada com duas vitórias.

Quem apostaria que o Barcelona de Messi, Ibrahimovic e Daniel Alves seria eliminado antes da final e pelo limitado time de Mourinho? Apesar da boa vitória por 3 a 1, no primeiro confronto em casa, até os mais fanáticos torcedores temiam enfrentar o Barcelona no Camp Nou. No jogo de ataque contra defesa, a disposição tática da Inter superou a técnica do Barça e a derrota por 1 a 0 foi suficiente para garantir a vaga na final contra o Bayern de Munique.

José Mourinho deu adeus aos torcedores da Inter

José Mourinho, o grande arquiteto da conquista, está de saída e o destino deverá ser mesmo o Real Madrid de Kaká e Cristiano Ronaldo. Diego Mitito, Lúcio, Maicon, Júlio César e Samuel Eto’o voltam o pensamento para a Copa do Mundo na África do Sul, mas com o Mundial de Clubes da Fifa em foco. Maicon interessa ao time madrileno, mas afirma que o desejo é continuar no clube:

– Eu fico na Inter, pois tenho contrato até 2014. Apesar do frio de Milão, eu me sinto bem. Ainda tenho muitas competições para disputar, como Mundial de Clubes e Supercopa Européia. O Mundial é um titulo que falta para o clube e é uma oportunidade de fazer história. Quero sair por cima – prometeu o lateral na coletiva de imprensa após a conquista.

Maicon quer ser campeão do mundo com a seleção e com a Inter

Ficha técnica:

Bayern de Munique 0 x 2 Inter de Milão (22/05/2010)

Bayern de Munique: Butt, Lahm, Demichelis, Van Buyten e Badstuber; Van Bommel, Schweinsteiger, Robben, Müller e Altintop (Klose); Olic (Mario Gomez).

Técnico: Louis Van Gaal.

Internazionale: Julio César, Maicon, Lúcio, Samuel e Chivu (Stankovic); Cambiasso, Zannetti e Sneijder; Eto’o, Pandev (Muntari) e Milito (Materazzi).

Técnico: José Mourinho

Gols: Milito, aos 34 minutos do primeiro tempo e aos 25 minutos do segundo tempo.

Local: Santiago Bernabéu, Madri (ESP).

Árbitro: Howard Webb (Inglaterra)

Cartões amarelos: Demichellis e Van Bommel (Bayern); Chivu (Inter)

Auxiliares: Michael Mullarkey e Darren Cann (Inglaterra)

Lúcio deu o troco em Van Gaal após ser dispensado na temporada passada