Posts Tagged ‘Gonçalves’

Procura-se torcedor!

13/04/2011

O Botafogo de Futebol e Regatas, com sede em General Severiano, no Rio de Janeiro, procura torcedores que estejam dispostos a apoiar e amar um clube de futebol que já foi responsável direto por três títulos da Seleção Brasileira em Copa do Mundo, a saber, 1958, 1962 e 1970. Outros atrativos do pacote básico: conhecer a história de grandes craques do futebol mundial que atuaram pelo alvinegro como Nilton Santos, Mané Garrincha, Didi, Manga, Zagallo, Amarildo, Quarentinha, Jairzinho, Paulo César Lima, Gérson, Rogério e Roberto Miranda. Para os torcedores mais fanáticos temos a opção de ídolos recentes como Maurício, Paulinho Criciúma, Josimar, Valdeir, Gottardo, Gonçalves, Vágner, Sérgio Manoel, Donizete e Túlio Maravilha.

A diretoria do Botafogo não promete adiantamento de vencimentos, ou seja, os títulos podem demorar um pouco, mas apresenta uma bela sede social, no Palacete de General Severiano, na zona sul carioca, e atletas dispostos a honrar as tradições da Estrela Solitária, mas dentro do apertado orçamento que o clube dispõe. Não garante milagres e nem a compra da arbitragem – que historicamente sempre atrapalha a equipe. Só pede que esse “novo” torcedor vá para o moderno Estádio Olímpico João Havelange com a intenção de apoiar e torcer pelo time do coração! O Botafogo não precisa de vaias e apupos dentro de sua própria casa!

Ao contrário da torcida, Loco Abreu acreditou no lance e fez o gol de empate!

Esse novo torcedor já teria sido muito importante hoje, no primeiro mata-mata das Oitavas de final da Copa do Brasil. O Avaí atuou como se estivesse em campo neutro e voltará para Santa Catarina sem sentir “a pressão de jogar no Rio”. Os jogadores do Botafogo irão até a Ressacada felizes! Irão jogar longe dos palavrões e insultos de sua própria torcida e quem sabe até podem voltar com a classificação na bagagem. É certo que precisarão de um padrão tático e de muito inspiração para reverter a vantagem catarinense, mas longe do Engenhão e dessa terrível torcida tudo pode acontecer, até milagres…

Caio Júnior conferiu bem de perto o drama que Joel Santana viveu em 14 meses no banco de reservas alvinegro. Aos 13 minutos de jogo, João Filipe erra um passe bobo e o mundo desaba no estádio! Parte da torcida inicia inacreditáveis gritos de “Cuca! Cuca!” Como assim? O elenco é fraco e jogava na retranca no esquema Papai Joel, a torcida não gostava e clamava pela demissão do folclórico treinador. Caio Júnior chegou para mudar esse panorama, mas com os mesmos jogadores e os torcedores, muito inteligentes, acham que essa mudança será feita com varinha de condão… Parecido não é igual e Caio Júnior não é o Harry Potter!

Não é camisa 10! Everton não é articulador de jogadas e sim meia-atacante!

O João Filipe ficou nervoso com as vaias e atrapalhou toda a defesa no lance do segundo gol; o Antônio Carlos se perdeu com os erros do companheiro de zaga; o Alessandro voltou a ser sistematicamente vaiado a cada toque na bola; o Márcio Azevedo não se apresenta ao ataque com medo de ser xingado pela torcida e o Caio Júnior foi pressionado a mexer no time e acabou se enrolando todo nas substituições. É tudo culpa do torcedor? Claro que não, mas como dizem os norte-americanos, é “Fifty-fifty”.

O Tottenham foi eliminado pelo Real Madrid, na Liga dos Campeões, perdendo os dois jogos e mesmo assim o torcedor que lotou o White Hart Lane cantou e apoiou o time o tempo inteiro, do apito inicial ao apito final! Os jogadores ingleses, em retribuição, correram os noventa minutos, suaram a camisa, tentaram de tudo, mas não conseguiram vencer em casa, no jogo da volta. Claro que a superioridade de Cristiano Ronaldo & Cia era evidente, mas o torcedor compareceu em peso e incentivou o Tottenham mesmo em desvantagem! Pena ser tão caro importar torcida com cotação em Euro…

Vamos, FOGO!

Que sufoco! Cortês já pediu protetores de ouvido para jogar em paz!

Copa do Brasil

Oitavas de Final – Jogo 01: Botafogo 2 x 2 Avaí (13/04/2011)

Botafogo: Jefferson, Alessandro (Somália), João Filipe, Antônio Carlos e Márcio Azevedo (Cortês); Marcelo Mattos, Arévalo Ríos, Everton e Caio; Herrera (Lucas) e Loco Abreu

Técnico: Caio Júnior

Avaí: Renan, Felipe (Acleisson), Gian, Cássio e Julinho; Diogo Orlando, Marcinho Guerreiro, Bruno e Marquinhos Gabriel; Willian (Evandro) e Rafael Coelho (Fabiano)

Técnico: Silas

Gols do Botafogo: Herrera, aos 22, e Loco Abreu, aos 45 minutos iniciais

Gols do Avaí: Willian, aos 13, e Rafael Coelho, aos 21 minutos do 1º tempo

Local: Engenhão (RJ) / Público: 5.574 presentes / Renda: R$ 77.400,00

Árbitro: Fabrício Neves Correa

Cartão Amarelo: Gian, Cássio, Juninho, Diego Orlando (Avaí), Marcelo Mattos e Antônio Carlos (Botafogo)

100% Botafogo!

30/03/2011

Joel Santana deixou o comando do Botafogo nesta temporada após uma derrota para o Vasco da Gama, mas foi contra esse mesmo time que o treinador conseguiu três títulos no ano de 1997. Edmundo, Ramon, Carlos Germano, Felipe, Mauro Galvão, Pedrinho, Evair e Sorato, a equipe da Cruz de Malta tinha um timaço que acabaria vencendo o Campeonato Brasileiro, mas no Estadual não teve chances diante da Estrela Solitária que formava com Wagner, Wilson Goiano, Jorge Luis, Gonçalves e Jefferson; Marcelinho Paulista, Pingo, Djair e Aílton; Bentinho, Sorato e, claro, o amuleto Dimba. Alguma semelhança com 2010?

Com um forte esquema de marcação, que os implicantes chamariam de retranca, o Botafogo levou a Taça Guanabara de ponta a ponta, com 100% de aproveitamento, ou seja, invicto e vencendo todos os 12 jogos, incluindo a final contra o Vasco, por 1 a 0, gol de Gonçalves. A Taça Rio também foi para General Severiano e o torneio deveria ter acabado ali, mas um item do regulamento, escrito pelo Sr. Eurico Miranda, mandava a realização de um turno-extra para apontar um adversário para a final – se o Botafogo vencesse o 3º turno haveria o quarto turno?

O time campeão tinha Wagner, Gonçalves, Djair, Aílton e Sorato

Depois de muitas tramóias e arbitragens suspeitas, Botafogo e Vasco se enfrentaram na grande final. A vantagem era botafoguense, vencedor de dois turnos, e o time de Antônio Lopes precisava vencer os dois jogos decisivos para ficar com o título. Na primeira partida deu Vasco e o polêmico atacante Edmundo balançou a bundinha em frente ao zagueiro Gonçalves, num claro deboche ao time adversário.

O gesto mexeu com os alvinegros que comeram a grama no 2º jogo! Dimba, abençoado por Mané Garrincha, avançou pela ponta-direita, driblou dois, três, quatro marcadores, cortou o último e desferiu um tirambaço cruzado, de canhota, para estufar as redes de Carlos Germano!

É campeão! É campeão! É campeão! Um grito para cada título! Botafogo Campeão da Taça Guanabara 1997! Botafogo Campeão da Taça Rio 1997! Botafogo Campeão Carioca de 1997! Joel Santana pode até seguir receita de bolo naquela prancheta, pode sempre querer ter um Talismã, era o Dimba agora foi o Caio, pode sempre armar retranquinhas, pode ser folclórico e falastrão, mas aquele título foi inesquecível e o de 2010 também! Obrigado Joel!

Fogoooooo! Joel comemora o Campeonato Carioca de 1997!

Vamos, FOGO!

Botafogo Campeão Carioca de 1997

Treinador: Joel Santana

Goleiros: Wagner e Alex

Zagueiros: Gonçalves, Jorge Luis, Grotto e Alexandre Seixas

Laterais: Wilson Goiano, Jefferson, Bruno Carvalho, Marcelo Augusto e Arcelino

Volantes: Marcelinho Paulista, Pingo, Alemão, França e Cidiclei

Apoiadores: Djair, Aílton e Renato

Atacantes: Bentinho, Sorato, Dimba, Zé Carlos, Robson e Serginho

Dimba marcou um golaço na final e entrou para a história do Maraca!

Águas de Março…

22/03/2011

Joel Santana assumiu o comando do Botafogo após a terrível goleada sofrida por 6 a 0, para o Vasco, ainda na Taça Guanabara 2010, e deixou o clube após outra derrota para o Vasco, dessa vez por 2 a 0, pela Taça Rio 2011. Foram 14 meses dirigindo o time da Estrela Solitária e três títulos: Taça Guanabara 2010, Taça Rio 2010 e o Campeonato Carioca 2010. Foram 76 jogos, com 41 vitórias, 23 empates e 12 derrotas, 142 gols pró e apenas 58 contra, um aproveitamento de 64% dos pontos possíveis e a sexta colocação no Campeonato Brasileiro em 2010.

O pecado do Natalino, nesse início de temporada, foi não conseguir se adaptar aos anseios dos jogadores e de grande parte da torcida alvinegra. Elenco e arquibancada não agüentavam mais ver a equipe na defensiva! Loco Abreu foi o único a expor esse problema publicamente, mas jogadores como Herrera e Cajá não se mostravam muito satisfeitos em ter que recuar para ajudar na marcação. Caio aumentou a polêmica ao postar sua insatisfação no Twitter depois de entrar com a missão de acompanhar o lateral adversário.

Qualquer jogo, qualquer competição... Joel se irrita com falhas da defesa!

O título de 2010 jamais será esquecido e a luta, até a última rodada, pela vaga na Libertadores também encheu o alvinegro de orgulho, mas depois de um ano era de se esperar que treinador e diretoria conseguissem levar o Botafogo a jogar com mais técnica e qualidade. A quase eliminação ainda na primeira fase da Copa do Brasil diante do modestíssimo River Plate de Sergipe revelou toda a instabilidade do esquema tático de Joel. A liberação de Renato Cajá ao futebol chinês agravou a crise que parecia contornada após a bela exibição da equipe contra o Americano com a goleada por 4 a 0.

Pior do que a derrota para o Vasco, o Botafogo ainda é líder do Grupo B, foi a forma como a equipe atuou. A irritação do torcedor que estava no Engenhão chegou ao extremo com a saída de Everton e a manutenção do Somália. Erro duplo! O jogador deveria ter caído em campo, já que estava com câimbras nas duas pernas, e a torcida exagerou ao pedir a expulsão do treinador – o que de fato acabou ocorrendo.

Chuvas e trovoadas no céu alvinegro! Abreu e Joel entram em choque!

Futebol é paixão e paixão é desmedida. Agradeço ao Joel pelo resgate da auto-estima botafoguense, por vencer duas vezes o Flamengo em jogos decisivos, por bater o Vasco na decisão da Taça Guanabara e por eliminar o Fluminense na semifinal da Taça Rio. Fizemos um bom Campeonato Brasileiro e sexta colocação foi a melhor desde o título de 1995. Obrigado Joel!

Vale lembrar que esses não foram os únicos títulos que o Natalino conquistou em General Severiano! Em 1997 algo parecido ocorreu quando o Botafogo de Gonçalves e Dimba bateu o tão badalado Vasco de Edmundo & Cia. Joel era o comandante alvinegro! Vou escrever sobre o título de 97 depois.

Ligação afetiva! Joel e a foto com Nilton Santos na famosa prancheta!

Ficha Técnica:

Nome: Joel Santana

Data de Nascimento: 25/12/1948

Natural de: Rio de Janeiro (RJ)

Títulos pelo Botafogo:

Campeonato Carioca: 1997, 2010

Taça Guanabara: 1997, 2010

Taça Rio: 1997, 2010

Botafogo Campeão Carioca de 2010

21/04/2010

O capitão Leandro Guerreiro levanta a Taça Rio

Depois de três anos amargando o vice-campeonato estadual para a equipe a Gávea, finalmente e merecidamente, time e torcida puderam gritar pelas ruas do Rio de Janeiro: “É Campeão!”. A vitória sobre o arquirival foi incontestável!

A Estrela Solitária brilhou com as defesas milagrosas de Jéfferson – que pegou até pênalti de um ex-imperador – e com a categoria de Sebástian ‘El Loco’ Abreu na hora da decisão. Frente a frente com o dito ‘grande pegador de penalidades’, Abreu bateu com frieza, no meio do gol, um toque sutil e o guarda-metas adversário não saiu nem nas fotos dos jornais.

Abreu comemora um dos seus três gols contra o Resende

Nos últimos quatro estaduais conseguimos o goleador máximo da competição, mas neste ano esse objetivo não foi alcançado. Menos mal que nossos artilheiros foram solidários e repartiram os gols sem egoísmo. O lateral-esquerdo Marcelo Cordeiro anotou cinco tentos, sendo um deles decisivo: o gol de empate na semi-final da Taça Guanabara contra o Flamengo. Na mesma partida, o jovem Caio fez o gol da virada e terminou o estadual com sete, mesmo entrando sempre no segundo tempo dos jogos.

Herrera, que já foi chamado de Sr. Quase-Gol por alguns críticos, fez gols em momentos importantes e chegou aos nove com o pênalti convertido na primeira etapa da final da Taça Rio. Quem poderia roubar a cena rubro-negra e levar a artilharia seria Loco Abreu. O irreverente atacante uruguaio fez onze gols no Estadual e foi o vice-artilheiro. Nada que atrapalhe a festa.

Herrera caiu nas graças da torcida: técnica e raça para ser campeão!

Nos últimos anos conseguimos a artilharia, mas ficamos com o título apenas em 2006. Dodô foi o artilheiro daquele ano com nove gols e repetiu o feito em 2007 com 13. Wellington Paulista chegou cercado de desconfiança e se sagrou artilheiro do Carioca 2008 com 14 gols.

No ano passado, o Botafogo deu um show com o trio ofensivo formado por Reinaldo, oito gols, Victor Simões, onze gols, e Maicosuel que com doze gols foi o quarto goleador alvinegro consecutivo do Estadual. Neste ano perdemos a artilharia, mas levamos todos os títulos: Campeão da Taça Guanabara, Campeão da Taça Rio e Campeão Carioca!

Joel conquista o segundo Carioca no comando do Fogão!

Joel Santana conquista seu sétimo campeonato carioca e o segundo pelo Botafogo. A campanha vitoriosa de 2010 lembra aquela de 1997, quando o vascaíno Edmundo rebolou na frente do zagueiro Gonçalves e levou o troco com a perda do título. Os 6×0 do primeiro turno serviram como combustível para a reação e para a contração de Joel Santana, o Rei do Rio.

O Botafogo pode e deve comemorar os merecidos três títulos, mas não podemos nos esquecer do Campeonato Brasileiro que começa no próximo dia 8 de maio. O Fogão vai receber no Engenhão a sensação da atual temporada e o virtual campeão paulista: o Santos de Neymar, Robinho e Paulo Henrique Ganso. E nada de jogo festivo! Entrega de faixas é bom, mas garantir uma estréia com vitória é melhor ainda!