Posts Tagged ‘Diego Fórlan’

3ª Rodada: Espanhol & Italiano

19/09/2010

Com gols do argentino Di Maria e do português Cristiano Ronaldo, o Real Madrid venceu o Real Sociedad, fora de casa, pela terceira rodada do espanhol, conta sete pontos e está na terceira colocação no certame. A vitória foi a de número 300 na carreira do treinador português José Mourinho e mesmo sem uma grande exibição, o Real Madrid segue pontuando no campeonato. O grande jogo da rodada, no entanto, é o esperado duelo entre Diego Forlán, do Atlético de Madrid, e Lionel Messi, do Barcelona. A ESPN transmite ao vivo, neste domingo, às 14h.

Na terra da pizza e do panetone, o Inter de Milão venceu de virada o Palermo, por 2 a 1, e mesmo passando um grande sufoco conseguiu anotar mais três pontos. O time siciliano fez um bom segundo tempo, mas desperdiçou muitas chances na frente de Júlio César e a lei máxima do futebol foi aplicada: “Quem não faz, leva!” Samuel Eto’o mostrou ao uruguaio Abel Hernandes como um artilheiro deve se portar em campo e fez os dois gols que garantiram a virada. A equipe de Rafa Benítez soma sete pontos e lidera o italiano ao lado do Cesena que venceu o Lette, em casa, por 1 a 0.

Campeonato Espanhol: 3ª Rodada

Sábado (18/09/2010)
13:00h – Mallorca 2 x 0 Osasuna
13:00h – Espanyol 1 x 0 Almeria
15:00h – Sporting Gijón 2 x 2 Athtletic Bilbao
17:00h – Real Sociedad 1 x 2 Real Madrid

Domingo (19/09/2001)
12:00h – Racing Santander 2 x 0 Zaragoza
12:00h –Levante 1 x 2 Villarreal
12:00h – Hércules 1 x 2 Valencia
14:00h – Atlético de Madrid 1 x 2 Barcelona
16:00h – Málaga 1 x 2 Sevilla

Segunda-feira (20/09/2010)
16:00h – La Coruña x Getafe

Campeonato Italiano: 3ª Rodada

Sábado (18/09/2010)
13:00h – Fiorentina 1 x 2 Lazio
15:45h – Milan 1 x 1 Catania

Domingo (19/09/2001)
07:30h – Bari 0 x 0 Caglari
10:00h – Chievo 0 x 1 Brescia
10:00h – Palermo 1 x 2 Inter de Milão
10:00h – Roma 2 x 2 Bologna
10:00h – Parma 1 x 1 Genoa
10:00h – Cesena 1 x 0 Lette
10:00h – Udinese 0 x 4 Juventus
15:45h –Sampdoria 1 x 2 Napoli

2ª Rodada: Espanhol & Italiano

12/09/2010

Pela segunda rodada do Campeonato Italiano, o zagueiro Lúcio foi o grande destaque da vitória da Inter de Milão, por 2 a 1, sobre a Udinese. Com o resultado a equipe interista chegou aos quatro pontos e ocupa a sexta posição na tabela. O Chievo bateu o Genoa fora de casa, por 3 a 1, e assumiu a liderança isolada. Todos os jogos da terceira rodada acontecerão no próximo domingo. O campeonato começou com boas surpresas e promete ser equilibrado neste primeiro momento.

Váldez marca duas vezes e o Barcelona é derrotado no Camp Nou!

O poderoso Barcelona, com Lionel Messi em campo, foi surpreendido em casa pelo modesto Hércules e conheceu a primeira derrota no Campeonato Espanhol. O paraguaio Valdez fez os dois gols do jogo: Barcelona 0 x 2 Hércules. O rival direto na disputa pelo título não quis ver a zebra passear no Santiago Bernabéu e mesmo jogando sem inspiração somou três pontos: Real Madrid 1 x 0 Osasuna. O Atlético de Madrid, do uruguaio Diego Forlán, venceu o Athletic Bilbao na casa do adversário, por 2 a 1, e lidera a competição com seis pontos.

Campeonato Espanhol: 2ª Rodada

Sábado (11/09/2010)
13:00h – Barcelona 0 x 2 Hércules
13:00h – Valencia 1 x 0 Racing Santander
15:00h – Real Madrid 1 x 0 Osasuna
17:00h – Athtletic Bilbao 1 x 2 Atlético de Madri

Domingo (12/09/2001)
12:00h – Zaragoza 3 x 5 Málaga
12:00h – Sporting Gijón 2 x 0 Mallorca
12:00h – Getafe 4 x 1 Levante
14:00h – Villarreal 4 x 0 Espanyol
16:00h – Sevilla 0 x 0 La Coruña

Segunda-feira (13/09/2010)
16:00h – Almeria 2 x 2 Real Sociedad

Diego Forlán é o principal jogador do Atlético de Madrid na atual temporada

Campeonato Italiano: 2ª Rodada

Sábado (11/09/2010)
13:00h – Inter de Milão 2 x 1 Udinese
15:45h – Cesena 2 x 0 Milan
15:45h – Cagliari 5 x 1 Roma

Domingo (12/09/2001)
07:30h – Brescia 3 x 2 Palermo
10:00h – Lecce 1 x 0 Fiorentina
10:00h – Catania 2 x 1 Parma
10:00h – Genoa 1 x 3 Chievo
10:00h – Juventus 3 x 3 Sampdoria
10:00h – Lazio 3 x 1 Bologna
15:45h – Napoli 2 x 2 Bari

Temporada européia 2010/2011!

28/08/2010

Neste fim de semana começam dois dos mais interessantes campeonatos nacionais da Europa, o italiano e o espanhol. Na terra das touradas, diversos jogadores campeões do mundo pela seleção espanhola estarão em campo pelo Barcelona que tem como principal rival pela conquista do título a nova geração de galácticos do Real Madrid.

Victor Valdés, Gerard Piqué, Carles Puyol, Sergio Busquets, Xavi Hernández, Andrés Iniesta, Pedro Rodriguez e David Villa se juntam a Daniel Alves, Gabriel Milito, Éric Abidal, Seydou Keita e Lionel Messi para formar uma equipe que vem encantando torcedores pelo planeta bola. O técnico Pep Guardiola comanda a máquina que foi a base da seleção espanhola.

O multicampeão José Mourinho assumiu o Real Madrid com a missão de devolver os títulos ao clube merengue. Sem Kaká, recém operado, o clube aposta em Cristiano Ronaldo para voltar a vencer. Mesmo tendo um ótimo elenco formado por Iker Casillas, Pepe, Sergio Ramos, Marcelo, Fernando Gago, Xabi Alonso, Karim Benzema e Gonzalo Higuaín, o presidente Florentino Perez abriu os cofres e reforçou o time com Mesut Özil, Ángel Di Maria, Sami Khedira e Ricardo Carvalho.

Sem dúvida este será um campeonato disputado rodada a rodada que terá ainda o Atlético de Madrid, de Diego Forlán, correndo por fora.

Atlético de Madrid: Campeão da Supertaça da Europa 2009/2010!

Na Itália, o desafio dos rivais será impedir o sexto título consecutivo da Internazionale de Milão. Sem José Mourinho, a equipe interista ainda está se adaptando ao estilo do espanhol Rafa Benitez que nesta temporada venceu a Supercopa da Itália, 3 a 1 sobre a Roma, mas foi derrotado na final da Supercopa da Europa, pelo Atlético de Madrid, por 2 a 0, e com uma atuação irreconhecível das principais estrelas do time.

Milan, Juventus e Roma contrataram, se reforçaram e querem acabar com a hegemonia de Júlio César, Lúcio, Maicon, Sneijder, Eto’o e Diego Milito. Podemos esperar um título muito disputado, apesar da evidente superioridade da Internazionale de Milão.

O Chelsea de Anelka, Terry e Malouda conquista a terceira vitória seguida

Na fria Inglaterra, o atual campeão Chelsea, de Carlo Ancelotti, já largou na frente com duas goleadas por 6 a 0 e hoje conquistou a terceira vitória seguida, 2 a 0 sobre o Stoke City e lidera com folga a Premier League. Manchester United, Liverpool, Arsenal e Manchester City lutarão para impedir o bicampeonato da equipe formada por Alex, John Terry, Michael Essien, Ramires, Frank Lampard e Didier Drogba.

Façam suas apostas! A emoção vai começar!

Campeonato Espanhol: Primeira rodada [ATUALIZADO]

Sábado
13h – Hércules 0 x 1 Athletic de Bilbao
15h – Málaga 1 x 3 Valencia
17h – Levante 1 x 4 Sevilla

Domingo
12h – Deportivo La Coruña 0 x 0 Zaragoza
12h – Espanyol 3 x 1 Getafe
12h – Real Sociedad 1 x 0 Villarreal
12h – Osasuna 0 x 0 Almería
14h – Racing de Santander 0 x 3 Barcelona
16h – Mallorca 0 x 0 Real Madrid

Segunda-feira
17h – Atlético de Madri 4 x 0 Sporting de Gijón

Campeonato Italiano: Primeira Rodada [ATUALIZADO]

Sábado
13h – Udinese 0 x 1 Genoa
15h45 – Roma 0 x 0 Cesena

Domingo
13h – Bari 1 x 0 Juventus
15h45 – Milan 4 x 0 Lecce
15h45 – Chievo 2 x 1 Catania
15h45 – Fiorentina 1 x 1 Napoli
15h45 – Palermo 0 x 0 Cagliari
15h45 – Parma 2 x 0 Brescia
15h45 – Sampdoria 2 x 0 Lazio

Segunda-feira
15h45 – Bologna 0 x 0 Inter de Milão

Inter vence a Supercopa da Itália 2009/2010!

23/08/2010

No sábado, a Internazionale de Milão venceu, de virada, o Roma, por 3 a 1, e conquistou a Supercopa da Itália, o primeiro título da temporada 2010/2011 do futebol italiano. Esse é também o primeiro título do novo técnico da equipe, o espanhol Rafa Benítez que tem a difícil missão de substituir o português José Mourinho, agora no Real Madrid.

O título desse fim de semana dá sequência aos impressionantes resultados obtidos por Mourinho na temporada 2009/2010: campeão da Copa da Itália, do Campeonato Italiano e da Liga dos Campeões da Europa. Por outro lado, o Roma foi vice-campeão da Copa da Itália e segundo colocado no italiano, ou seja, o adversário perfeito a ser batido numa final pelo Inter de Milão: são três vices campeonatos em menos de um ano!

O espanhol Rafa Benítez adota o esquema tático da moda: 4-3-2-1

Após a decepção italiana na Copa do Mundo da África do Sul, os jogadores só pensam nos clubes e a nova formação do Internazionale, sob comando de Rafa Benítez, promete ser tão eficiente quanto a da temporada passada. Os destaques da conquista foram o zagueiro Lúcio, o meia Sneijder e o camaronês Samuel Eto’o que anotou dois gols na etapa final – Pandev, no primeiro tempo, empatou a partida. O novo treinador fez alterações no esquema tático, mas a liberdade de criação para Sneijder continua. O camisa 10 interista deu belo passe para Eto’o fazer 3 a 1 e enterrar uma possível reação do Roma.

O próximo desafio do Inter de Milão, ainda colhendo os frutos da excelente temporada passada, será encarar o Atlético de Madrid, campeão da Liga Europa 2009/2010, na disputa pela Supercopa Européia, nesta sexta, 27/08, em Mônaco, com transmissão da ESPN. O título é inédito para as duas equipes e o confronto promete ser de alto nível!

Samuel Eto'o x Diego Fórlan: quem vai levar a melhor nesta sexta?

Espanha conquista a XIX Copa do Mundo!

11/07/2010

A Copa do Mundo 2010 já seria especial por ser a primeira realizada no continente africano, na África do Sul do lendário Nelson Mandela, mas depois de 64 jogos, e muita emoção, ainda vimos surgir uma nova potência no cenário mundial: a Espanha conquistou com méritos o título de melhor seleção do planeta-bola e afastou de vez a fama de “seleção do quase”!

Vicente Del Bosque conseguiu reunir um grupo talentoso e disciplinado que fez da posse de bola uma virtude. A Espanha joga no campo de ataque, em espaço reduzido, com toques rápidos e objetivos, sem pressa e sufocando a adversário. Um futebol ágil, ofensivo e muito bonito de se ver.

Os espanhóis provaram que é possível jogar de forma atraente e mesmo assim ser campeão do mundo. Engraçado, acho que fomos nós, brasileiros, que fizemos isso em 58, 62, 70 e até mesmo em 2002.

Já estou com saudades do Soccer City! Foram 64 jogos e belas imagens!

O time do arrogante técnico Bert van Marwijk chegou até a grande final agradecendo aos erros de arbitragem, contando com as falhas dos adversários e com uma boa pitada de sorte. O árbitro inglês Howard Webb – que fez diversas lambanças nos jogos que apitou – parecia estar com más intenções e, se disparou cartões amarelos para os dois lados, deixou de expulsar De Jong que deu um chute de Kung-Fu em Xabi Alonso ainda no primeiro tempo.

Isso é futebol? Só Howard Webb não viu o lance como violento!

A sorte da Holanda não apareceu na decisão e quem brilhou foi o goleiro Casillas que operou dois milagres e impediu que Robben abrisse o placar no Soccer City. O goleiro do Real Madrid foi eleito o melhor da Copa do Mundo. Wesley Sneijder e David Villa passaram em branco na final e assim dividiram a artilharia do mundial com Thomas Müller e Diego Forlán, todos com cinco gols.

Milagre! Com o gol aberto, Robben toca e Casillas tira com o pé!

A arrogância holandesa não encontrou espaços em campo e perdeu o título para a elegância espanhola. A Holanda amarga o tri-vice campeonato do mundo, mas dessa vez ninguém irá chorar pelo belo futebol da laranja mecânica. Venceu o melhor, venceu o bom futebol, venceu o jogo ofensivo.

Goooooooooool da Espanha! Iniesta recebe na área e bate cruzado!

Os amantes do futebol-arte podem comemorar a vitória sobre o futebol de resultados, o futebol pragmático. E ainda resta um parágrafo de nostalgia: a Espanha foi campeã mundial jogando com um ponta!

Desde o início do jogo, Pedro atuou aberto pelos dois lados do campo, tentando deixar espaços para as investidas de Iniesta, Xavi e Sérgio Ramos. Jesus Navas entrou aos 15 minutos do segundo tempo e foi um verdadeiro ponta-esquerda que enlouqueceu a marcação holandesa na prorrogação. Viva a Espanha! Olé!

Diego Forlán ainda foi eleito o craque do mundial e ficou com a Bola de Ouro!

Diego Forlán foi eleito o Melhor Jogador da Copa do Mundo 2010!

Ficha técnica:

Holanda 0 X 1 Espanha

Holanda: Stekelenburg, Van der Wiel, Heitinga, Mathijsen e Van Bronckhorst (Braafheid); Van Bommel, De Jong (Van der Vaart) e Sneijder; Kuyt (Elia), Van Persie e Robben

Técnico: Bert van Marwijk

Espanha: Casillas, Sergio Ramos, Piqué, Puyol e Capdevila; Xabi Alonso (Fabregas), Busquets, Xavi e Iniesta; Villa (Torres) e Pedro (Jesus Navas)

Técnico: Vicente del Bosque

Gol da Espanha: Iniesta, aos dez minutos do segundo tempo da prorrogação

Estádio: Soccer City, em Joanesburgo / Público: 84.490

Data/hora: 11/07/2010 – 15h30m (de Brasília)

Árbitro: Howard Webb (ING)

Auxiliares: Darren Cann (ING) e Michael Mullarkey (ING)

Cartão Amarelo: Van Persie, Van Bommel, De Jong, Van Bronckhorst, Heitinga, Robben, Van der Wiel, Mathijsen (HOL); Puyol, Sergio Ramos, Capdevila, Iniesta, Xavi (ESP)

Cartão Vermelho: Heitinga (HOL)

A Taça do Mundo é deles... até 2014!

O sonho uruguaio acabou!

11/07/2010

Abreu e Forlán não acreditam na derrota diante da Alemanha

Duas falhas do goleiro Muslera acabaram com o sonho uruguaio de conquistar a melhor colocação desde o título mundial de 1950. O time de Oscar Tabárez jogou de igual para igual com a Alemanha, mas num jogo decisivo como esse os erros individuais geralmente custam muito caro. Muslera tinha a confiança do torcedor uruguaio, ficou invicto durante toda a fase de grupos, sofreu apenas cinco gols em seis jogos e defendeu dois pênaltis contra Gana nas quartas de final.

Se a Celeste Olímpica voltou a brilhar no cenário internacional, Muslera é um dos grandes responsáveis por isso, mas ontem, diante da Alemanha, na disputa pelo 3º lugar, falhou em dois gols e deixou a defesa insegura – o que resultou na lambança que originou o gol da vitória alemã. Fucile, Lugano, Godin e Cáceres formam uma das melhores zagas da Copa do Mundo 2010, mas a péssima atuação do Camisa 1 impediu que o Uruguai comemorasse a medalha de bronze do mundial.

Caçador de borboletas: Muslera falha no gol de empate alemão

Diego Forlán fez um golaço, chegou aos cinco gols e se transformou numa das principais figuras do mundial da África do Sul. A temporada 2009/2010 foi ótima para o atacante uruguaio, mas ninguém apostaria em atuações tão convincentes na Copa do Mundo.

O Atlético de Madrid terminou o Campeonato Espanhol na 9ª posição, Forlán anotou 18 gols e ficou em 5º lugar na tábua de artilheiros, mas foi na conquista da Liga Europa que Diego Forlán deu pistas de que poderia ser decisivo para a seleção uruguaia ao fazer os dois gols do título: Atlético de Madrid 2 x 1 Fulhan.

Diego Folán comemora o gol do título da Europa League 2009/2010!

O Uruguai de Oscar Tabárez sentiu a falta de um jogador habilidoso para armar o meio de campo. A solução encontrada pelo técnico foi recuar Diego Forlán e assim jogar com três atacantes quando tivesse a posse de bola. Forlán, aos 31 anos, recuava para armar as jogadas e ainda corria para a área na tentativa de concluir o lance.

Mesmo sacrificado pelo esquema tático, Diego fez cinco gols na Copa do Mundo e está entre os principais artilheiros do mundial. Resta torcer para que nem Sneijder e nem Villa balancem a rede hoje: Diego Forlán merece sair da Copa do Mundo com um prêmio da Fifa.

Aos 48 do 2º tempo, Forlán manda a Jabulani no travessão: fim do sonho!

Ficha técnica:

Uruguai 2 X 3 Alemanha

Uruguai: Muslera, Fucile, Lugano, Godín e Cáceres; Pérez (Gargano), Arévalo Rios e Maxi Pereira; Forlán, Suárez e Cavani (Loco Abreu)

Técnico: Oscar Tabárez

Alemanha: Butt, Boateng, Mertesacker, Friedrich e Aogo; Khedira, Schweinsteiger, Müller e Özil (Tasci); Jansen (Kroos) e Cacau (Kiessling)

Técnico: Joachim Löw

Gols do Uruguai: Cavani, aos 28 da etapa inicial, e Forlán, aos 5 minutos da etapa final

Gols da Alemanha: Müller, aos 19 minutos iniciais. Jansen, aos 11, e Khedira, aos 37 do segundo tempo

Estádio: Nelson Mandela Bay, em Porto Elizabeth / Público: 36.254

Data/hora: 10/07/2010 – 15h30m (de Brasília)

Árbitro: Benito Archundia (MEX)

Auxiliares: Hector Vergara (CAN) e Marvin Torrentera (MEX)

Cartão Amarelo: Aogo, Cacau e Friedrich (ALE); Pérez (URU)

Alemanha repete campanha de 2006 e fica com a terceira colocação!

Gol irregular garante a Holanda na final

07/07/2010

Não era um caso de “Davi contra Golias”, mas passava um pouco perto disso. O Uruguai sem o capitão Lugano, o jovem Lodeiro e o artilheiro-goleiro Luisito Suaréz enfrentou de igual para igual a badalada seleção holandesa recheada de astros como Arjen Robben, Wesley Sneijder (parece nome de artista hollywoodiano!) e Van Persie.

O belíssimo Green Point foi o palco da semifinal entre Uruguai e Holanda

O técnico Oscar Tabárez foi obrigado a mudar o esquema de jogo e entrou em campo apenas com dois atacantes, já que durante todo o torneio atuou com três atacantes. E ainda dizem que o futebol moderno só pode ser refém da retranca! Os uruguaios exerceram uma forte marcação na saída de bola, o que deixou a equipe holandesa nervosa nos primeiros minutos de jogo.

O atacante Luis Suárez foi lembrado pela torcida uruguaia no Green Point

A marcação desde a saída de bola foi um recurso utilizado pelas seleções americanas neste mundial, com exceção para Argentina e Brasil que deixavam o adversário jogar sem ser pressionado. Uruguai, Paraguai, Chile e até o México se fechavam na defesa, mas começavam a marcar com os atacantes e homens de criação do meio-campo. Não se tratava apenas de uma retranca, com chutões para frente, a estratégia era roubar a Jabulani perto do gol adversário.

Os uruguaios fizeram um primeiro tempo impecável e o gol de Van Bronckhorst, aos 18 minutos de jogo, foi um presente dos céus para os holandeses que não conseguiam criar nada no ataque. Gol não, golaço com aço, aço! Um chute maravilhoso e com rara felicidade que acordou a coruja da trave esquerda de Muslera.

Forlán acerta um chutaço de canhota e agradece o erro do goleiro holandês

Quando tudo indicava que o Uruguai iria para o vestiário em desvantagem, o que seria injusto, a estrela do craque Diego Forlán brilhou forte no Green Point. Aos 41 minutos, após boa troca de passes do ataque uruguaio, Forlán dominou com a canhota e soltou uma bomba de fora da aérea. Defensável, mas o goleirão Stekelenburg foi enganado pelas idas e vindas da bola e falhou no lance. Tudo igual no fim do primeiro tempo.

O dono do time: Diego Forlán bate o escanteio e corre pra cabecear!

O Uruguai manteve a forte pegada durante quinze minutos, mas aos poucos a Holanda conseguiu avançar suas linhas e encurralou o time de Tabárez no campo defensivo. Dessa pressão surgiu o gol que decidiria a partida. Aos 25 minutos, Sneijder recebeu dentro da área, chutou fraco, a bola resvalou em dois zagueiros e Van Persie, completamente impedido, tentou dar um cutucão e desviar para o gol, ele erra a Jabulani, mas é o suficiente para enganar o goleiro Muslera que pula atrasado no lance. A bola ainda bate na trave antes de entrar.

Esse é o ano dele! Sneijder luta pelo título e pela artilharia do mundial!

Todos olharam para o bandeirinha, até as câmeras da transmissão da Fifa, mas o sujeito correu da responsabilidade e foi direto para o meio de campo. Não adiantou a reclamação dos uruguaios. Gol irregular, completamente irregular. Mas como será o futebol no Uzbequistão?

O lance desestabilizou a seleção uruguaia e bastou um momento de desatenção para o prejuízo ser definitivo. Bola levantada na área e Robben, sem ser incomodado, cabeceia no canto direito de Muslera. Outra vez a Jabulani beija a trave e entra. Sorte em excesso para os holandeses. O relógio marca 28 minutos do segundo tempo e o placar: Uruguai 1 x 3 Holanda.

A alegria de Arjen Robben depois de marcar o terceiro gol holandês!

Oscar Tabárez resolve lançar o amuleto El Loco Abreu para tentar salvar a nação uruguaia, mas o craque Diego Forlán, sobrecarregado com a dupla função de armar as jogadas e ainda ter que concluir a gol, se arrasta em campo e é substituído por Fernandez. Tudo acabado para o Uruguai? A Holanda se prepara para dar uma goleada? Nada disso.

O Uruguai não se abate, sufoca a Holanda e consegue diminuir, já nos acréscimos, com Maxi Pereira, em jogada ensaiada de cobrança de falta. Nova falha do goleiro Stekelenburg e displicência dos zagueiros holandeses. A soberba pode custar caro ao time de Bert Van Marwijk na grande decisão da Copa do Mundo 2010.

Os uruguaios mantiveram a bola dentro da área holandesa até o apito final do arbitro queridinho da Fifa, Ravshan Irmatov, do Uzbequistão. Irmatov já trabalhou em cinco jogos neste mundial e foi fundamental para a vitória holandesa.

Hum, comemoração estranha essa... bundinha pra cima... vem, meu bem...

A seleção uruguaia precisa recolher os cacos e juntar forças para vencer a disputa pelo terceiro lugar. Voltar para Montevidéu com a medalha de bronze da Copa do Mundo é um justo prêmio ao talento de Diego Forlán e pode indicar um renascimento de uma das primeiras potências do futebol mundial.

Lugano cobra do juiz o segundo gol holandês: "Sacanagem, hein!"

Ficha técnica:

Uruguai 2 X 3 Holanda

Uruguai: Muslera, Maxi Pereira, Godín, Victorino e Cáceres; Perez, Arévalo Rios, Gargano e Álvaro Pereira (Loco Abreu); Forlán (Fernández) e Cavani.

Técnico: Oscar Tabárez

Holanda: Stekelenburg, Boulahrouz, Heitinga, Mathijsen e Van Bronckhorst; Van Bommel, De Zeeuw (Van der Vaart), Robben (Elia), Sneijder e Kuyt; Van Persie

Técnico: Bert Van Marwijk

Gols do Uruguai: Forlán, aos 41 minutos do primeiro tempo, e Maxi Pereira, aos 47 da etapa final

Gols da Holanda: Van Bronckhorst, aos 18 minutos iniciais. Sneijder, aos 25, e Robben, aos 28 minutos do segundo tempo

Estádio: Green Point, na Cidade do Cabo / Público: 62.479

Data/hora: 06/07/2010 – 15h30m (de Brasília)

Árbitro: Ravshan Irmatov (Uzbequistão)

Auxiliares: Rafael Ilyasov (Uzbequistão) e Bakhadyr Kochkarov (Cazaquistão)

Cartão Amarelo: Maxi Pereira, Caceres (URU), Sneijder, Boulahrouz (HOL)

A torcida do Botafogo esteve no Fifa Fan Fest para apoiar a seleção uruguaia

Prazer, Loco Abreu!

03/07/2010

Uruguai x Gana foi um jogo épico onde aconteceu de tudo. Uma partida com emoção, belos gols, destaques individuais e suspense até o fim. Isso é futebol ou cinema? O personagem principal desse enredo apareceu apenas no fim e que fim! Sebastián El Loco Abreu escreveu o nome na história dos mundiais e garantiu a classificação uruguaia para a semifinal contra a Holanda!

Gana era a esperança africana na Copa do Mundo e 84 mil torcedores lotaram o Soccer City, em Joanesburgo, para empurrar o time de Asamoah Gyan rumo à inédita classificação para as semifinais. A África estava unida e torcendo contra o Uruguai. Seria a vingança contra a seleção que venceu a África do Sul por 3 a 0 na fase de grupos.

A Celeste Olímpica não chegava tão longe em mundiais desde a Copa de 70 e aproveitou a empolgação inicial para pressionar Gana. O goleiro Kingson teve muito trabalho para segurar o ataque uruguaio. Suárez, aos 11, Diego Fórlan, aos 17, e novamente Suárez, aos 25 minutos, deixaram o estádio em silêncio e as vuvuzelas só voltaram a ensurdecer, aos 29, após cabeçada perigosa do zagueiro Vorsah. Logo depois, Boateng fez excelente jogada e rolou com açúcar para Asamoah Gyan, mas o artilheiro perdeu um gol feito.

Pode comemorar! Muntari arriscou de muito longe e fez um golaço!

As ações estavam equilibradas e ficou claro que o jogo seria decidido nos detalhes. O técnico uruguaio Oscar Tabárez foi o primeiro a suar frio quando, aos 37 minutos, o capitão Lugano, machucado, pediu para sair. O zagueiro sentiu o joelho, após cair de mal jeito, e não conseguiu ficar em campo.

Do outro lado, o técnico de Gana, o sérvio Milovan Rajevac, fora pressionado para escalar o volante Muntari na partida decisiva. Enquanto pensava se tinha acertado em ceder à pressão, Ravejac viu o jogador da Inter de Milão acertar um chutaço da intermediária e fazer Gana 1 a 0. Fim de primeiro tempo.

Dia de golaços! Diego Forlán bate falta com violência e empata o jogo.

Com a saída de Lugano, Diego Fórlan, o camisa 10 uruguaio, ficou com a braçadeira de capitão e também com a responsabilidade de comandar a seleção na segunda etapa. Fórlan sabia que o Uruguai precisava do empate para esfriar Gana e calar a fanática torcida africana.

A oportunidade apareceu, aos 10 minutos, em cobrança de falta lateral, à esquerda da grande área. Fórlan não quis saber de cruzar e soltou uma bomba! A Jabulani fez o que se esperava dela e enganou o goleiro Kingson que ficou perdido no lance. Falha do goleirão? A bola mudou duas vezes a trajetória antes de tomar o destino final. Golaço!

O jogo virou uma luta de boxe, mas apenas no futebol! Uruguai e Gana partiram para o ataque, com força total, para evitar a exaustiva prorrogação, mas Muslera e Kingston fecharam o gol. Appiah e Adiyah entraram em Gana. Lodeiro e Loco Abreu no Uruguai. Reforço no setor ofensivo em busca da classificação, nada de retranca. Os times cansados e mais trinta minutos de emoção pela frente!

Vamos para mais trinta minutos de bola rolando!

Que defesa! No último lance da prorrogação, Suárez salva o Uruguai!

Na primeira etapa, Gana recuperou o fôlego, enquanto os uruguaios tentaram um abafa em busca da vantagem. Nada de gols e virada imediata para os últimos quinze minutos de bola rolando. A preparação física dos ganeses parecia superior e foi contando com o gás extra que Gyan, Appiah, Adiyiah e Boateng encurralaram os uruguaios no campo defensivo. Virou ataque contra defesa e o famoso “Bola pro mato que o jogo é de campeonato”!

O cronômetro marcava 15:50, o Uruguai, cansado, se defendia com valentia e esperava o apito final para decidir a vaga nos pênaltis. Cobrança de lateral para Gana no ataque e a Jabulani viaja para a área, bate-rebate, confusão, tira daqui e tira dali, até que Suárez, em cima da linha, faz uma defesa fantástica com as mãos! O juiz não vê, mas o assistente sinaliza! Pânico entre os uruguaios. Alegria nas arquibancadas. Suárez é expulso. Vuvuzelas enlouquecidas! Pênalti assinalado!

Vermelho no alto, bola na marca penal e desespero uruguaio no Soccer City!

Asamoah Gyan, o craque do time, três gols na Copa do Mundo, dois deles de pênalti (um contra a Sérvia e outro anotado contra a Austrália), coloca a bola na marca de cal, respira fundo e… PAUSA!

Com este pênalti, Gyan pode se igualar a Roger Milla como sendo o africano, jogando por uma seleção africana, que mais fez gols em Copa do Mundo. E mais: nunca uma seleção africana conseguiu chegar até a semifinal. Que responsabilidade!

PLAY: Gyan solta uma bomba que explode no travessão! Histeria no Soccer City! Choro de Luisito Suárez, incredulidade geral e o árbitro português Olegário Benquerença, que não é bobo nem nada, não quis foi mais confusão e apitou o fim de jogo.

Gyan muda a forma de cobrar a penalidade e manda a Jabulani no travessão!

Inacreditável! Gyan se desespera com a oportunidade desperdiçada!

É pênalti? Então é melhor chamar Sebastian El Loco Abreu!

Reunião de um lado, conversa de outro, replay e mais replay do lance capital da partida enquanto os atores, digo, jogadores se preparam para o ato final do espetáculo! O Uruguai larga na frente: Fórlan com categoria. Gyan não se abate, mostra enorme coragem, coloca a bola no ângulo e deixa tudo igual.

As cobranças se sucedem: Victorino, 2 a 1, Appiah, 2 a 2, e Scotti, 3 a 2 para os uruguaios. O zagueiro Mensah não toma distância, ajeita o corpo e cobra muito mal, nas mãos de Muslera. Pérez, com a chance de ampliar, olha fixo para a bola e dispara um foguete para longe do gol. Vuvuzela e mais vuvuzela. O jovem Adiyiah tem a responsabilidade de recolocar Gana na disputa, mas Muslera acerta o canto e defende. Três cobranças seguidas desperdiçadas. E agora?

O 13 da sorte! O 13 de Zagallo! O 13 de Abreu! O 13 da classificação!

Com o número 13 nas costas, cabelos compridos e jeitão de quem está numa pelada com os amigos, Washington Sebastián Abreu Gallo, o maior goleador inscrito no mundial com 305 gols, ajeita a bola, dá uma olhada para o lado esquerdo do goleiro Kingson, avança e com incrível frieza – e muita categoria – pega por baixo da Jabulani e reedita a já famosa cavadinha da final do Campeonato Carioca: Gooooooooool do Uruguai!

Os torcedores africanos não entendem o que aconteceu, não conhecem Abreu e não sabem se tocam as vuvuzelas ou aplaudem. Festa uruguaia, festa botafoguense, festa em Montevidéu e festa em General Severiano! O Botafogo está com o Uruguai no mundial. Loco Abreu é o Botafogo nas semifinais da Copa do Mundo 2010!

Jogadores do Uruguai correm em direção à Loco Abreu!

Ficha técnica:

Uruguai 1 X 1 Gana (4 x 2)

Uruguai: Muslera, M. Pereira, Lugano (Scotti), Victorino e Fucile; Pérez, Arévalo Rios e Fernández (Lodeiro); Forlán, Suáres e Cavani (Loco Abreu)

Técnico: Oscar Tabárez

Gana: Kingson, Pantsil, Vorsah, Mensah e Sarpei; Annan, Inkoon (Appiah), Asamoah, Prince Boateng e Muntari (Adiyiah); Gyan

Técnico: Milovan Rajevac

Gol do Uruguai: Diego Fórlan, aos dez minutos do segundo tempo

Gol de Gana: Muntari, aos 46 minutos iniciais

Pênaltis do Uruguai: Diego Fórlan, Victorino, Scotti e Loco Abreu

Pênaltis de Gana: Gyan e Appiah

Estádio: Soccer City, em Joanesburgo / Público: 84.017

Data/hora: 02/07/2010 – 15h30m (de Brasília)

Árbitro: Olegário Benquerença (POR)

Auxiliares: José Cardinal e Bertino Miranda (POR)

Cartão Amarelo: Fucile, Arévalo Rios e Pérez (URU); Mensah, Pantsil e Sarpei (Gana)

Cartão Vermelho: Suárez (URU)

Loco Abreu dedicou o gol de pênalti aos torcedores do Botafogo!

A Celeste voltou!

26/06/2010

Gooooooooooool do Uruguai! Suárez foi o nome da vitória celeste!

A fase de mata-mata da Copa do Mundo 2010 começou em grande estilo! Uruguai e Coréia do Sul entraram nas oitavas de final para vencer e se jogaram ao ataque desde o apito inicial. Jogão de bola!

Oscar Tabárez manteve o esquema tático de três atacantes, com Forlán recuando para armar as jogadas ofensivas e não cedeu espaços para as rápidas arrancadas sul-coreanas. Os dois técnicos sabiam que tanto Diego Forlán quanto Park Chu Young podiam desequilibrar em lances individuais e todo cuidado era pouco. Os elogios de parte a parte que antecederam a partida contribuíram para o clima tranquilo dentro de campo e a Janulani foi disputada com lealdade.

A torcida uruguaia foi a primeira a vibrar! Diego Forlán escapou pela esquerda e centrou, a bola cruzou a área, passou caprichosamente pelo goleiro sul-coreano até encontrar Luis Suárez, em condição legal, que deu tapa, quase sem ângulo, para fazer 1 a 0. A Coréia do Sul não sentiu o gol e passou a pressionar a celeste ainda no campo de defesa.

Luisito Suárez bate quase sem ângulo e abre o placar no Nelson Mandela Bay

O jogo ficou aberto, com chances de claras de gol para os dois lados e o Uruguai poderia ter aumentado a vantagem ainda no primeiro tempo se o péssimo árbitro alemão Wolfgang Stark não estivesse de posse do instrumento de sopro.

Maxi Pereira deu um lençol na entrada da área, matou no peito e bateu com estilo. O zagueiro sul-coreano se jogou no lance com os braços abertos e interceptou a bola. Penalti, pênalti, pênalti! Wolfgang Stark mandou o jogo seguir da mesma forma como ignorou um pênalti claro a favor da Eslovênia contra a Inglaterra. Suspeito, muito suspeito.

A Coréia do Sul começou a etapa final disposta a mudar o resultado do jogo e não deixou os uruguaios passarem do meio de campo, mas fazer gol no Uruguai não é nada fácil, as redes da Celeste Olímpica ficaram intactas na fase de grupos. O empate sul-coreano aconteceu depois de uma enorme trapalhada do goleiro Muslera e do capitão Lugano: Lee Chung Young aproveitou e deixou tudo igual.

Ele de novo! Suárez faz um golaço e classifica o Uruguai!

As duas equipes buscavam o gol, mas paravam nas boas defesas dos goleiros Jung Sung e Muslera. Quando tudo indicava que a prorrogação estava próxima, o talento de Luisito Suárez decidiu a vaga para o Uruguai. Aos 32 minutos, Suárez dominou a bola na área, tirou dois adversários e bateu no ângulo para fazer o gol da classificação.

Os sul-coreanos não desistiram e continuaram no ataque. Lugano falhou no gol de empate, mas conseguiu se redimir depois de interceptar um chute de Park, em cima da linha, aos 42 minutos do segundo tempo! O Uruguai soube suportar a pressão da Coréia do Sul e esperar pelo apito final. Festa nas arquibancadas do Nelson Mandela Bay e nas ruas de Montevidéu! A Celeste voltou!

Loco Abreu não larga a filmadora e registra a festa uruguaia!

Ficha técnica:

Uruguai 2 X 1 Coréia do Sul

Uruguai: Muslera; Maxi Pereira, Lugano, Godín (Victorino) e Fucile; Pérez, Arévalo e Alvaro Pereira (Lodeiro); Forlán, Suárez (Fernández) e Cavani

Técnico: Oscar Tabárez

Coréia do Sul: Jung Sung Ryong; Cha Du Ri, Cho Yong Hyung, Lee Jung Soo e Lee Young Pyo; Ki Sung Yueng (Yeom Ki-Hun), Kim Jung Woo, Park Ji Sung, Lee Chung Yong e Kim Jae Sung (Dong Cook); Park Chu Young

Técnico: Huh Jung-moo

Gols do Uruguai: Suárez, aos 8 minutos iniciais, e aos 35 da etapa final

Gol da Coréia do Sul: Lee Chung Yong, aos 23 minutos do segundo tempo

Estádio: Nelson Mandela Bay, em Porto Elizabeth / Público: 30.597

Data/hora: 26/06/2010 – 11h (de Brasília)

Árbitro: Wolfgang Stark (ALE)

Auxiliares: Mike Pickel e Jan-Hendrik Salver

Cartão Amarelo: Kim Jung Woo, Cha Du Ri e Cho Yong Hyung (Coréia do Sul)

Uruguai e México classificados!

22/06/2010

Loco Abreu ganhou a torcida dos filhos na partida decisiva!

Muito se especulou sobre um possível “empate amigo” entre uruguaios e mexicanos, o que classificaria as duas seleções, mas o que se viu em campo foi uma verdadeira batalha para fugir da Argentina de Maradona, já que o segundo colocado do Grupo A irá enfrentar o líder do Grupo B.

Oscar Tabárez foi ousado e escalou a mesma equipe que venceu a África do Sul, por 3 a 0, ou seja, jogou com três atacantes: Diego Fórlan, Suárez e Cavani. E Javier Aguirre? Mesmo não entrando com três atacantes, o México só precisava do empate, Aguirre não deixou por menos e encostou o habilidosos Giovanni dos Santos no ataque formado por Blanco e Franco.

Gooooooooooooooooool do Uruguai!

Os mexicanos dominaram, colocaram a bola no chão, rondaram a meta defendida por Muslera, mas foi o Uruguai quem tirou o zero do placar: Suárez escorou cruzamento da direita e cabeceou no canto de Pérez para garantir a vitória e também a classificação em primeiro lugar do Grupo A. E a Argentina? Os uruguaios deixaram o problema para os mexicanos.

A torcida alvinegra esteve presente no estádio para apoiar Loco Abreu e seleção do Uruguai! Vamos com tudo para a próxima fase!!!

Fogooooooooooooo!

Presente! Torcedores alvinegros dão apoio ao ídolo Loco Abreu

Ficha técnica:

Uruguai 1 X 0 México

Uruguai: Muslera; Maxi Pereira, Lugano, Victorino e Fucile; Pérez, Arévalo e Álvaro Pereira (Scotti); Forlán, Suárez (Alvaro Fernandéz) e Cavani

Técnico: Oscar Tabárez

México: Pérez; Osório, Rodriguez, Moreno (Castro) e Salcido; Rafa Márquez, Torrado e Guardado (Barrera); Giovanni dos Santos, Blanco (Hernandéz) e Franco

Técnico: Javier Aguirre

Gol do Uruguai: Suárez, aos 43 minutos iniciais

Estádio: Royal Bakofen, Rustemburgo / Público: 33.425 presentes

Data/hora: 22/6/2010 – 11h (de Brasília)

Árbitro: Viktor Kassai (HUN)

Auxiliares: Gabor Eros (HUN) e Tibor Vamos (HUN)

Cartão Amarelo: Hernandéz e Castro (MEX); Fucile (URU)

África chora! Não faltou apoio e empolgação das arquibancadas!

Classificação do Grupo A:

Seleção Pontos Jogos Vitória Empate Derrota GP GC Saldo
Uruguai 7 3 2 1 0 4 0 4
México 4 3 1 1 1 3 2 1
África do Sul 4 3 1 1 1 3 5 -2
França 1 3 0 1 2 1 4 -3

África do Sul se despede da Copa do Mundo com vitória!

Mphela aproveita a bobeira da zaga francesa e não perdoa!

A torcida africana lotou o estádio, fez barulho com as vuvuzelas e apoiou a equipe de Carlos Alberto Parreira até o fim. Os Bafana Bafana sentiram o peso da derrota para o Uruguai por 3 a 0, na segunda rodada, e tinham a obrigação de golear a França para ainda sonharem com a classificação para as oitavas de final.

O resultado foi um presente para o país e para os amantes do bom futebol. A França sequer merecia estar presente na Copa do Mundo 2010 – a vaga deveria ser da Irlanda. A expulsão de Gourcuff, por agressão, aos 25 minutos do primeiro tempo, facilitou o toque de bola do selecionado sul-africano que já vencia o jogo por 1 a 0, gol anotado por Khumalo, aos vinte. Parreira mandou o time para o ataque e foi recompensado com outro gol, aos 37, dessa vez com Mphela.

A pequena seleção francesa não merecia, mas diminuiu aos 25 minutos do segundo tempo, após boa jogada de Ribéry para a conclusão de Malouda. Foi o único gol feito pelos franceses no mundial! Uma vergonha! Assim como a atitude de Domenech que se recusou a cumprimentar Parreira ao final da partida. Era melhor ter deixado a Irlanda jogar, não?

Parreira não aceitou levar desaforo de Domenech em rede mundial!

Ficha técnica:

África do Sul 2 X 1 França

África do Sul: Josephs, Ngcongca (Gaxa), Mokoena, Khumalo e Masilela; Sibaya, Khuboni (Modise), Pienaar e Tshabalala; Mphela e Parker (Nomvethe)

Técnico: Carlos Alberto Parreira

França: Lloris; Sagna, Gallas, Squillaci e Clichy; Alou Diarra (Govou), Diaby, Gignac (Malouda), Ribéry e Gourcuff; Cissé (Henry)

Técnico: Raymond Domenech

Gols da África do Sul: Khumalo, aos 20 iniciais, e Mphela, aos 37 do primeiro tempo

Gol da França: Malouda, aos 25 minutos da etapa final

Estádio: Free State, Bloemfontein / Público: 39.415 presentes

Data/hora: 22/06/2010 – 11h (de Brasília)

Árbitro: Oscar Ruiz (COL)

Auxiliares: Abraham Gonzalez (COL) e Humberto Clavijo (COL)

Cartão Amarelo: Diaby (FRA)

Cartão Vermelho: Gourcuff (FRA)

Não vai usar a mãozinha dessa vez, Henry?