Posts Tagged ‘Copa das Confederações’

A batalha de Munique!

16/03/2011

Louis van Gaal deve ter acordado nesta quarta com um gosto amargo na boca. A vitória por 1 a 0, em pleno Giuseppe Meazza, no jogo de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões praticamente garantia uma sensação de tranquilidade para o time alemão. O Bayern de Munique entrou em campo completo, com os astros Ribéry e Robben em plena forma física e técnica e contando com a ajuda de quase 70 mil torcedores no Allianz Arena! Somente uma catástrofe poderia tirar a classificação das mãos do técnico holandês.

Ao fim do primeiro tempo – e que primeiro tempo! – Louis van Gaal estava com a costumeira posse arrogante e com o nariz apontado pra lua! “Sou o melhor treinador do mundo todo!” Ah, essa frase certamente passou pela cabeça do homem que dispensou o zagueiro Lúcio, por e-mail, antes do fim do contrato, em 2009, durante a Copa das Confederações. A vingança de Lúcio viria com o título da Champions League justamente contra o ex-time na temporada passada, mas o destino preparou outra amarga surpresa para o Luizinho holandês.

A terrível falha de Júlio César no gol de Mário Gomez desestabilizou a Internazionale que sofreu a virada, minutos depois, em novo erro da zaga, desta vez com Thiago Motta. Parecia que não seria uma noite muito boa para os brasileiros. Como nada é definitivo no esporte, Júlio César fez duas grandes defesas e a primeira etapa terminou em bom momento para os italianos.

Nota 10! Samuel Eto'o jogou muito e desequilibrou a partida em Munique!

O caminho para o vestiário não deve ter sido nada agradável, mas a Inter de Milão mostrou que sabe lidar com a pressão e com o resultado adverso, afinal não se conquista três títulos na mesma temporada sem méritos. Vale lembrar que esse mesmo time, com Mourinho no comando, faturou o Campeonato Italiano 2009/2010, a Copa da Itália 2009/2010 e a Liga dos Campeões 2009/2010. E mesmo a turbulenta passagem de Benítez rendeu dois títulos: a Supercopa da Itália 2010 e o Mundial Interclubes da Fifa em dezembro de 2010.

Logo aos cinco minutos do segundo tempo, Leonardo arriscou tudo e colocou o jovem Philippe Coutinho na vaga do nervoso Stankovic. Coutinho tratou de colocar a bola no chão e começou a trocar bons passes com Sneijder. Mas a principal arma italiana para empatar e conseguir o gol da histórica classificação foi Samuel Eto’o. O camaronês abriu o placar logo aos 3 minutos e deu duas assistências perfeitas para Sneijder e Pandev! Uma partida para levar a nota 10! E o Júlio César? Fez duas defesas impressionantes na segunda etapa e se redimiu das falhas cometidas nos dois jogos contra o Bayern de Munique.

Ah, não posso me esquecer de avisar ao Luisinho holandês qual é o problema dele! Louis van Gaal, essa dor de estômago tem nome e sobrenome: Lucimar da Silva Ferreira! Você o conhece como Lúcio mesmo e… ele jogava no seu time, não é incrível como o mundo dá voltas?

Emoção! O brasileiro Leonardo comandou a Inter numa partida histórica!

Liga dos Campeões da Europa

Oitavas de Final – Bayern de Munique 2 x 3 Inter-ITA (15/03/2011)

Bayern de Munique: Kraft, Lahm, Breno (Kroos), Van Buyten (Badstuber) e Pranjic; Luiz Gustavo, Schweinsteiger, Robben (Altintop), Müller e Ribéry; Gomez

Técnico: Louis van Gaal

Inter-ITA: Julio César, Maicon, Lúcio, Ranocchia e Chivu (Nagatomo); Thiago Motta, Cambiasso e Stankovic (Coutinho); Sneijder; Pandev (Kharja) e Eto’o

Técnico: Leonardo

Gols do Bayern de Munique: Mário Gomes, aos 20, e Müller, aos 30 do primeiro tempo

Gols da Inter-ITA: Eto’o, aos quatro iniciais. Sneijder, aos 17, e Pandev, aos 42 minutos do segundo tempo

Local: Allianz Arena (ALE) / Árbitro: Pedro Proença (POR)

Cartão Amarelo: Luiz Gustavo e Breno (Bayern de Munique); Lúcio, Thiago Motta, Pandev e Kharja (Inter-ITA)

Nagatomo aproveita para mandar uma mensagem aos compatriotas!

Anúncios

Copa do Mundo 2014 & Olimpíadas 2016

15/07/2010

Copa do Mundo 2010: Alegria, Vuvuzelas e Jabulani em campo!

A Copa do Mundo disputada na África do Sul foi um sucesso de público e terminou com um balanço positivo da Fifa e das autoridades responsáveis. A desconfiança foi grande quando saiu o anúncio de que um Mundial seria realizado no continente africano, mas apesar dos constantes assaltos aos cofres dos hotéis e de alguns engarrafamentos nas vias de acesso ao Soccer City, o povo sul-africano mostrou que é possível receber bem os turistas e ter o mínimo de organização para um evento desse porte.

O lançamento da logomarca da Copa do Mundo 2014 foi o pontapé inicial para o nosso Mundial e fez com que as atenções da mídia se voltassem para nós. A descrença sobre a capacidade brasileira de organizar o campeonato pode ser até maior do que a que pairava sobre a África do Sul. Com o apito final nos estádios africanos, chegou a hora de estudar, pensar e planejar os passos que irão transformar a desconfiança em realidade. E esses quatro anos vão passar de forma rápida, muito rápida.

Preocupado com a responsabilidade que recairá sobre a Cidade Maravilhosa, o deputado estadual Fernando Gusmão, que preside a Comissão de Esportes da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, organizou, entre maio e junho deste ano, uma série de debates sobre o assunto em bairros como Tijuca, Copacabana e Botafogo. O blog O Glorioso participou da reunião realizada em Botafogo, no dia 9 de junho, que contou com a participação de Jandira Feghali, ex-Secretária de Cultura do município do Rio de Janeiro.

Fernando Gusmão está preocupado com os preparativos para 2014

Na abertura da palestra “Copa do Mundo 2014 e Olimpíadas 2016”, Fernando Gusmão ressaltou que é preciso pensar além da estrutura de estádios e parques esportivos. A melhoria nos transportes públicos, a ampliação da rede hoteleira, a reforma do Porto do Rio e o controle dos níveis da violência urbana devem entrar na pauta das discussões do setor público e privado.

Jandira Feghali elogiou o fim dos desentendimentos políticos e a recente parceria entre as esferas de poder Federal, Estadual e Municipal, o que permitiu um aumento nos investimentos no Estado do Rio e lembrou a maratona de eventos que irão acontecer na cidade até 2016: “No ano que vem, teremos os Jogos Militares com a participação de 160 países; em 2013, será a vez da Copa das Confederações; depois a Copa do Mundo 2014; as Olimpíadas em 2016 e, muito possivelmente, o Encontro Mundial de Jovens da Igreja Católica em 2015. Muito trabalho e com pouco tempo de preparação”.

Jandira conversa com Carlos Arthur Nuzzman, presidente do COB

Segundo Jandira, esses eventos podem ser fundamentais para divulgar uma imagem positiva da nossa cidade no exterior e aumentar ainda mais o fluxo de turistas. Para aproveitar esse momento será preciso investir em educação, como por exemplo, cursos de línguas para voluntários, guardas municipais e policiais.

O Rio sediará também os Jogos Paraolímpicos em 2016 e isso significa adaptar os aparelhos urbanos para receber os atletas com necessidades especiais. Além das óbvias transformações estruturais, que serão melhorias definitivas para o município, o legado das Olimpíadas passa pela mudança de comportamento da população.

Uma imagem comum para os usuários do Metrô no Rio de Janeiro

O transporte público é uma das principais deficiências da cidade, tanto Gusmão quanto Feghali se mostraram apreensivos sobre o assunto. Fernando destacou que é preciso ramificar as linhas do Metrô e não somente acrescer estações no mesmo ramal. Jandira apontou o transporte marítimo como uma possível solução para diminuir os engarrafamentos no trecho entre a Praça XV, no Centro, e Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste da cidade.

Basta cair uma chuvinha para ser instaurado o caos no trânsito carioca

A nova distribuição dos royalties do petróleo não foi esquecida. Fernando Gusmão não acredita que o presidente Lula irá deixar passar a nova proposta e Jandira Feghali afirmou que é preciso lutar pela manutenção dos recursos, mas lembrou que a fiscalização na aplicação das verbas precisa ser mais severa. Os números que envolvem a realização da Copa do Mundo 2014 são astronômicos: estima-se que os investimentos serão da ordem de R$ 116 bilhões gerando 18 milhões de empregos diretos em todo o país.

A Copa da África terminou, o polvo Paul está descansando em seu aquário, a Espanha ainda comemora o merecido título, e nós, brasileiros, temos mais uma batalha pela frente: não podemos nos esquecer que 2010 é também ano de eleição para presidente, governador, senador, deputado federal e deputado estadual. É hora de esquecer um pouco a seleção brasileira e pensar no futuro do país.

O mapa do Metrô-Rio mostra a pouca ramificação das linhas

É preciso saber vencer!

22/06/2010

Será que o Dunga um dia aprenderá a vencer?

A bela vitória da seleção brasileira e até mesmo os golaços do Luís Fabiano e a injusta expulsão de Kaká ficarão em segundo plano, pois o foco deste texto é a inexistente capacidade de adaptação do técnico brasileiro Dunga. Aprendemos na escola que é preciso saber perder. Algumas pessoas vieram ao mundo para vencer ou vencer, e aprendem rápido como se portar na derrota e como se portar na vitória.

Dunga recebeu toda a carga da derrota da seleção na Copa do Mundo de 90 e “A Era Dunga” o perseguiu durante quatro anos. A imprensa o perseguiu durante quatro anos. A volta por cima aconteceu em grande estilo e Carlos Caetano Bledorn Verri entrou para a eterna galeria dos vencedores no futebol brasileiro. Dunga (1994), Cafu (2002), Bellini (1958), Mauro (1962) e Carlos Alberto (1970) estão eternizados na mente dos torcedores brasileiros e nada pode tirar essa vitória do sisudo volante.

Em 1994, Romário e Branco observam Dunga com a Taça Fifa

Comandando a seleção brasileira, Dunga foi Campeão da Copa América, Campeão da Copa das Confederações e classificou o Brasil em primeiro lugar nas eliminatórias sul-americanas, ou seja, venceu tudo o que disputou e convocou quem quis para a Copa do Mundo. Após duas vitórias e uma boa atuação diante da forte Costa do Marfim do artilheiro Drogba, Dunga perdeu o pouco de compostura que lhe restara e desandou a xingar o apresentador Alex Escobar da Rede Globo.

Não entro aqui no mérito do que o Escobar fez para merecer palavras tão gentis, a defesa diz que ele falava ao telefone com outro colega de emissora, o que impressiona é o destempero e a falta de postura do técnico da seleção brasileira. Ele estava nervoso daquela maneira depois de uma vitória… já imaginaram o que ele fará diante de uma possível eliminação no mata-mata?

Imagem rara, muito rara: Dunga com sorriso largo!

Esse episódio me fez lembrar uma cena do filme “Um drink no Inferno” (From dusk till dawn, 1996), escrito por Quentin Tarantino e dirigido por Robert Rodriguez – infelizmente esse filme não foi lançado em DVD no Brasil. Na referida cena, um dos personagens consegue escapar do cerco policial e fugir para o México. Ao chegar num bar para comemorar, Seth arruma confusão com o primeiro que aparece e está pronto para mais uma briga. O personagem de Harvey Keitel que o acompanha pergunta:

– Você está tão acostumado a perder que não percebe quando ganhou?

Pois essa pergunta poderia ser feita ao técnico da seleção brasileira:

– Dunga, você está tão acostumado a perder que não percebe quando está ganhando?

Ficha técnica:

Brasil 3 X 1 Costa do Marfim

Brasil: Julio Cesar, Maicon, Lúcio, Juan e Michel Bastos; Gilberto SIlva, Felipe Melo, Elano (Daniel Alves); e Kaká; Robinho (Ramires) e Luis Fabiano

Técnico: Dunga

Costa do Marfim: Boubacar Barry, Demel, Kolo Touré, Zokora e Tiéné; Yaya Touré, Eboué e Tioté; Dindane (Gervinho), Drogba e Kalou (Keita)

Técnico: Sven-Goran Eriksson

Gols do Brasil: Luis Fabiano, aos 24 minutos iniciais, e aos seis do segundo tempo; Elano, aos 17 minutos da segunda etapa

Gol da Costa do Marfim: Drogba, aos 33 minutos da etapa final

Estádio: Soccer City, em Joanesburgo / Público: 84.455

Data/hora: 20/06/2010 – 15h30m (de Brasília)

Árbitro: Stephane Lannoy (FRA)

Auxiliares: Eric Dansault e Laurent Ugo (FRA)

Cartão Amarelo: Tiéné, Keita, Tioté (Costa do Marfim) e Kaká (Brasil)

Hum, sem comentários...

Portugal aplica a maior goleada da Copa do Mundo 2010!

A média de gols da primeira rodada foi decepcionante, 1,5 gol/jogo, e apenas a goleada da Alemanha, 4 a 0 na Austrália, deu trabalho para os editores de imagem. A seleção portuguesa decidiu abrir a caixa de ferramentas e desceu o sarrafo na Coréia do Norte: 7 a 0.

A preocupação agora é com a segurança dos jogadores norte-coreanos, já que não sabemos qual a reação do ditador Kim Jong Il ao resultado da humilhante partida. Foi a primeira vez que a seleção jogou com transmissão ao vivo para o país.

Classificação do Grupo G:

Seleção Pontos Jogos Vitória Empate Derrota GP GC Saldo
Brasil 6 2 2 0 0 5 2 3
Portugal 4 2 1 1 0 7 0 7
Costa do Marfim 1 2 0 1 1 1 3 -2
Coréia do Norte 0 2 0 0 2 1 9 -8

Cristiano Ronaldo faz malabarismo com a bola antes do gol

Ficha técnica:

Portugal 7 X 0 Coréia do Norte

Portugal: Eduardo, Miguel, Ricardo Carvalho, Bruno Alves e Fabio Coentrão; Pedro Mendes, Raul Meireles (Miguel Veloso) e Tiago; Cristiano Ronaldo, Hugo Almeida (Liedson) e Simão (Duda)

Técnico: Carlos Queiroz

Coréia do Norte: Myonge Guk, Jong Hyok (Song Chol), Chol Jin, Jun Il, Nam Chol (Kum Il) e Kwang Chon; In Guk (Yong Jun), Yun Nam, Yong Jo e Yong Hak; Tae Se

Técnico: Kim Jong Hun

Gols de Portugal: Raul Meireles, aos 29 iniciais; Simão, aos oito, Hugo Almeida, aos nove, Tiago, aos 12, Liedson, aos 35, Cristiano Ronaldo, aos 42, e Tiago, aos 44 do segundo tempo

Estádio: Green Point, na Cidade do Cabo

Data/hora: 21/06/2010 – 8h30m (de Brasília)

Árbitro: Pablo Pozo (CHI)

Auxiliares: Patrício Basualto (CHI) e Francisco Mondria (CHI)

Cartão Amarelo: Pedro Mendes e Hugo Almeida (Portugal); Pak Chol Jin e Yong Jo (Coreia do Norte)

Cartão Vermelho: Kaká (Brasil)

Cristiano Ronaldo é só alegria com a goleada portuguesa