Archive for the ‘Ídolos alvinegros’ Category

Leandro Guerreiro

14/01/2011

Leandro Guerreiro chegou ao Botafogo, no início de 2007, pelas mãos do então treinador Cuca, depois de fazer uma boa temporada no Criciúma onde inclusive foi Campeão Brasileiro da Série C, em 2006. No alvinegro carioca disputou 222 jogos e marcou cinco gols. O objetivo de Leandro não era balançar as redes, mas sim evitar os gols adversários, e nesse quesito o torcedor pode lembrar a raça e categoria do volante que nunca desistia de uma jogada.

Os três vice-campeonatos perdidos para o clube da Gávea quase fizeram o camisa 5 se transferir antes da hora, mas quis o destino que Leandro Guerreiro fosse o capitão na conquista história do Campeonato Carioca 2010! O aguerrido volante já não era unânime entre os torcedores, mas afinal quem é? De malas prontas para o Cruzeiro de Cuca – sim, os velhos amigos irão se reencontrar – Leandro disse que o Botafogo ganha mais um torcedor.

Obrigado, Leandro! Não apenas por se declarar torcedor alvinegro, mas pelos títulos conquistados e pelo suor derramado em cada partida! Boa sorte nessa nova empreitada. Ficarei torcendo também por você, mesmo de longe!

Capitão Leandro Guerreiro ergue a Taça Rio!

Ficha Técnica:

Apelido: Leandro Guerreiro

Nome Completo: Leandro Luchese Guerreiro

Data de Nascimento: 17/11/1978 (32 anos)

Natural de: São Borja – RS

Posição: Volante

Títulos pelo Botafogo:

Campeonato Carioca: 2010

Taça Guanabara: 2009 / 2010

Taça Rio: 2007 / 2008 / 2010

Copa Peregrino 2008

Primeiro gol de Leandro Guerreiro pelo Botafogo:

Anúncios

Túlio Maravilha 4.1

02/06/2010

O nome de Túlio Humberto Pereira Costa está eternizado na galeria dos grandes ídolos do futebol alvinegro e essa história começou como um caso raro de amor à primeira vista. No dia 30 de janeiro de 1994, um domingo quente como tantos outros no Rio de Janeiro, no Estádio Caio Martins, em Niterói, um limitado time do Botafogo iniciava a disputa de mais um Campeonato Carioca de Futebol.

Desde o desmonte do timaço que perdeu o Campeonato Brasileiro de 1992, os torcedores sofriam com equipes desentrosadas e jogadores de aluguel. Um vislumbre de felicidade ocorreu com a conquista da Copa Conmebol em 1993, uma espécie de Copa Sul-Americana de hoje, mas nomes como Eliomar, Alésio, Sinval e Eliel não eram escalados nem nos times de botão da garotada.

Montenegro e Túlio: início de uma parceria vitoriosa

Na tarde daquele domingo, na estreia do estadual, o Botafogo goleou o América por 6 a 0, Túlio marcou três gols e caiu imediatamente nas graças da apaixonada e carente torcida alvinegra. O apelido que o atacante carrega atrelado ao nome surgiu naquele dia.

Túlio Maravilha foi o artilheiro do Campeonato Carioca com 14 gols e o Botafogo ficou na quarta posição. Era o início da trajetória de sucesso do artilheiro falastrão com a camisa alvinegra. Na primeira passagem de 1994 até 1996, Túlio conquistou o Campeonato Brasileiro de 1995 e venceu todos os torneios da vitoriosa excursão internacional do clube, em 1996, incluindo o prestigiado Teresa Herrera, e enfrentando adversários como Valência, La Coruña e Juventus.

Em 1998, Túlio retornou ao Botafogo para fazer a dupla de ataque com o tetra-campeão mundial Bebeto e o resultado foi o título do Torneio Rio-São Paulo. Ao todo foram 159 gols anotados e o posto de oitavo maior goleador do clube.

O Artilheiro da Mídia: Túlio entrega a camisa do Gol 900 para Pelé

Túlio passou por diversos clubes desde que saiu do O Glorioso e hoje representa o co-irmão de Brasília. No Botafogo-DF, o artilheiro comemora 41 anos, treina para jogar a Série D do Campeonato Brasileiro e se aproximar da meta do Gol 1.000. O Maravilha contabiliza 913 gols na carreira, incluindo 16 pela Seleção Brasileira.

Que o “Milésimo Gol” venha com a camisa do Botafogo no Engenhão!

Túlio no Engenhão: palco do Gol 1.000?

Ficha Técnica:

Apelido: Túlio Maravilha

Nome Completo: Túlio Humberto Pereira Costa

Data de Nascimento: 02/06/1969 (41 anos)

Natural de: Goiânia – GO

Posição: Atacante

Peso: 68 Kg

Altura: 1,75m

Clube Atual: Botafogo – DF

Número: 900

Túlio e o inédito título de Campeão Brasileiro em 1995

Títulos pelo Botafogo:

Torneio Internacional Triangular Eduardo Paes (1994)

Copa Rio (1995)

Campeonato Brasileiro (1995)

Taça Cidade Maravilhosa (1996)

Copa Nippon Ham (1996)

III Torneio Presidente da Rússia (1996)

Troféu Teresa Herrera (1996)

Copa Rio-Brasília (1996)

Torneio Rio-São Paulo (1998)

Túlio foi o goleador máximo do Brasileirão 95 com 23 gols

Artilharia pelo Botafogo:

Campeonato Carioca (1994): 14 gols

Campeonato Brasileiro (1994): 19 gols

Campeonato Carioca (1995): 27 gols

Campeonato Brasileiro (1995): 23 gols

III Torneio Presidente da Rússia (1996): 3 gols

Taça Cidade Maravilhosa (1996): 10 gols

Troféu Teresa Herrera (1996): 4 gols

O presidente Lula pode ser corinthiano, mas posou com a camisa alvinegra