Archive for outubro \14\UTC 2011

Emoção até o fim

14/10/2011

A torcida do Corinthians queria a liderança isolada da competição, queria ver “o imperador” Adriano em ação, queria uma goleada para sacramentar a nova boa fase do time, mas… sempre tem um “MAS”, não? Quem foi ver o Curintias acabou vendo uma grande exibição do Fogão! Quem foi ver o Adriano acabou vendo Loco Abreu! Quem queria uma arrancada fulminante acabou com o freio de mão puxado! O Botafogo de Caio Júnior incendiou o Campeonato Brasileiro outra vez!

Botafogo de Caio Júnior? Sim, isso mesmo! O treinador alvinegro escalou uma equipe que parecia retrancada – sacou Herrera, atacante, para colocar Felipe Menezes, um meia – MAS que pressionou a saída de bola dos paulistas e deixou a Fiel calada logo aos quatro minutos com o gol de Marcelo Mattos. Anulado? Isso seria o suficiente para mexer com os nervos da equipe e permitir uma reação do adversário, MAS esse Botafogo parece ter aprendido, finalmente, a lidar com a pressão de jogar fora de casa. O juiz errou, e daí? Faz outro gol! Quando o Corinthians tentava entender o que estava acontecendo na partida veio o primeiro golpe: contra-ataque armado com velocidade, eficiência e cabeçada certeira de Loco Abreu! Bando de loucos? Só basta um, ele, Loco Abreu! Fogão 1 a 0!

No lugar certo e na hora certa! Loco mergulha para abrir o placar!

O jogo se desenrolava para as jogadas de lado de campo e para as escapadas em velocidade e nesse momento pensei: “Hoje bem que podia ser a noite de Maicosuel!” Não demorou cinco minutos para o camisa 7 fazer o segundo e acabar com as esperanças do Timão! Sorte? Por que não? Podemos dizer que faltou sorte e competência nos duelos contra São Paulo e Bahia, não foi? Agora, no Pacaembu, a sorte brilhou para o Botafogo outra vez! A bola de Alex carimbou o travessão no início do segundo tempo, logo após a expulsão de Cortês, e ali tudo poderia mudar, MAS não mudou.

Adriano entrou no desespero e não produziu nada. Com a ideia de não dar “sopa para o azar”, Loco Abreu, com 1,93, recuou e foi jogar de zagueiro. Como? Hã? É possível? Sim, é possível. Loco chegou na beirada do campo, chamou Caio Júnior, conversou, apontou, gesticulou, recebeu a aprovação da loucura e foi para a grande área cortar as bolas alçadas que eram a única forma que os paulistas tinham para atacar. Marcelo Mattos, Renato e Alessandro foram implacáveis na marcação e quase nunca foram superados e Renan fez um partidaço, agarrou tudo e mostrou que o Jefferson tem razão em dizer que o Botafogo não deve se preocupar com seus goleiros!

E então, tudo certo? Tudo resolvido? Claro que não. O BR-11 não permite acomodação, não perdoa preguiça. É preciso entrar ligado contra o Atlético-PR, no domingo, no Engenhão. A torcida do Botafogo quer a liderança isolada da competição, queria ver Loco Abreu e Maicosuel em ação, quer uma goleada para sacramentar a nova boa fase do time, MAS… Precisamos saber que “vento que venta lá, venta cá”.

Vamos, FOGO!

Pode comemorar! Dois pontos separam o Fogão da liderança!

Ficha Técnica:

29ª Rodada: Corinthians 0 x 2 Botafogo (12/10/2011)

Corinthians: Julio Cesar; Alessandro (Ramírez), Paulo André, Leandro Castán e Fábio Santos (Welder); Moradei (Adriano), Paulinho, Alex e Danilo; Jorge Henrique e Willian

Técnico: Tite

Botafogo: Renan; Alessandro, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Cortês; Marcelo Mattos, Renato, Maicosuel (Bruno Tiago) e Elkeson (Herrera) e Felipe Menezes (Gustavo); Loco Abreu

Técnico: Caio Júnior

Gols do Botafogo: Loco Abreu e Maicosuel, no primeiro tempo

Local: Pacaembu (SP) / Público: 32.450  pagantes / Renda: R$ 1.097.396,00

Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)

Cartão Amarelo: Jorge Henrique (Corinthians); Cortês e Alessandro (Botafogo)

Cartão Vermelho: Cortês (Botafogo)

Anúncios

Botafogo se afasta da liderança em péssima hora

09/10/2011

O Botafogo tinha tudo para assumir a ponta do Campeonato Brasileiro e ainda fazer uma “gordurinha extra” com o jogo adiado contra o Santos, mas três tropeços seguidos acabaram com as esperanças de conciliar a Copa Sul-Americana e o BR-11. E o pior é ter que escolher uma das duas e acabar decidindo errado. Caio Júnior está fazendo um belo trabalho à frente do Glorioso, mas pisou na bola na reta final de setembro. Por que poupar os titulares no jogo de ida do torneio continental aqui no Engenhão? Por que abrir o time num estádio grande como o Serra Dourada? Por que usar Loco Abreu em três jogos seguidos dessa forma?

Não sei como os jogadores encararam a decisão de relegar a Sul-Americana ao segundo plano. Não seria mais produtivo entrar com tudo aqui no Rio, fazer um placar elástico e jogar fora com uma equipe reserva só para administrar o resultado? Agora será necessário ir até Bogotá em busca da classificação e com o time principal. Faltariam seis jogos para o título da Sul-Americana que viria com a vaga da Libertadores carimbada. Não garantimos a vaga e ainda levamos um baile do Atlético-GO. Péssima escolha da direção e do comando técnico.

Por que apenas seis mil torcedores foram ao estádio de São Januário apoiar o time? A torcida já jogou a toalha? Já desistiu do título? É muito cedo para achar que o campeonato está perdido, mas os jogadores precisam demonstrar mais atitude para trazer o ressabiado alvinegro de volta ao Engenhão. O empate do São Paulo no último minuto e a cabeçada de Renato, no travessão, sem goleiro, no segundo final do jogo contra o Bahia caíram como uma ducha de água fria em General Severiano.

A torcida não acredita mais no time? Só seis mil em São Januário...

Os erros da equipe se sucedem e algumas questões são incompreensíveis! Quem mandou o Cortês ficar na marcação do Souza nas jogadas aéreas do Bahia? E por que diabos o Marcelo Mattos foi se preocupar em marcar o Fahel com a bola dominada? Será que ninguém avisou que o Fahel com a bola no chão é um reforço para nós? Dali não iria sair nada, nada… Difícil é ver o Souza bater o pênalti no meio do gol, de forma displicente e o Renan pulando pra qualquer lado. Por isso perdemos dois títulos cariocas para aquele time de m….!

Somente uma vitória contra o líder Corinthians, na quarta, em pleno Pacaembu, irá amenizar a irritação com esses quatro pontos perdidos em casa. É preciso mais para ser campeão nacional – mesmo num campeonato fácil como esse – e o Botafogo está deixando escapar mais um título que serviria para resgatar a imagem do clube no cenário internacional. Esse é o momento do Botafogo ser grande! Agora precisamos de Jefferson, Loco Abreu, Herrera, Maicosuel, Elkeson, Cortês, Antônio Carlos, Marcelo Mattos e Renato. Essa é a hora de entrar para a história como fez aquele timaço que tinha Túlio, Donizete, Wagner, Gottardo, Gonçalves, Leandro, Jamir e Sergio Manoel!

Vamos, FOGO!

Fahel Eterno! Volante tirou 4 pontos do Fogão nos dois confrontos!

Ficha Técnica:

28ª Rodada: Botafogo 2 x 2 Bahia (08/10/2011)

Botafogo: Renan; Lucas (Willian), Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Cortês; Marcelo Mattos, Renato, Maicosuel e Elkeson; Caio e Alex

Técnico: Caio Júnior

Bahia: Marcelo Lomba; Marcos, Paulo Miranda, Titi e Dodô; Fahel, Hélder, Camacho e Maranhão (Reinaldo); Souza (Júnior) e Jones Carioca (Lulinha)

Técnico: Joel Santana

Gols do Botafogo: Alex, aos 10, e Caio, 12 da etapa final

Gols do Bahia: Souza, aos 28 iniciais e aos 15 minutos do segundo tempo

Local: São Januário (RJ) / Público: 6.765 presentes / Renda: R$ 87.350,00

Árbitro: Francisco Carlos Nascimento (AL)

Cartão Amarelo: Lucas, Caio, Marcelo Mattos e Maicosuel (Botafogo); Jones Carioca, Hélder e Souza (Bahia)

Cartão Vermelho: Hélder (Bahia)