Archive for agosto \29\UTC 2011

Balanço do Primeiro Turno

29/08/2011

A vitória de virada, por 2 a 1, sobre o Fluminense, ontem no Engenhão, pela 19ª rodada, no encerramento do primeiro turno do Campeonato Brasileiro pode ser considerada uma síntese da campanha alvinegra sob o comando de Caio Júnior. O time que começou a competição sendo derrotado pelo Palmeiras, no Teixeirão, pelo placar magro de 1 a 0, e sem mostrar nenhum poder de reação ficou no passado. Naquela ocasião, a comissão técnica estava formando a base do que viria a ser o estilo de jogo no Botafogo e a pressão da imprensa e, principalmente, das arquibancadas exigiam resultados imediatos. A diretoria não comprou a ideia e continuou apostando no trabalho de médio e longo prazo.

As primeiras dez rodadas foram difíceis e cheias de altos e baixos, algo normal para uma equipe em formação e ainda sem contar com os principais jogadores. Loco Abreu e Herrera estavam suspensos, Fábio Ferreira machucado, Maicosuel retornando aos poucos, Marcelo Mattos na Grécia e as contratações aprimorando a parte física e técnica. Mesmo nas turbulências Caio Júnior seguiu firme nas suas convicções e acreditava na posse de bola como um diferencial em relação aos adversários. Nada de chutões para o alto e estava proibido o chuveirinho! A ausência de Loco Abreu, então na Copa América, facilitou a adaptação do time ao novo jeito de jogar.

Loco Abreu não fez gol no clássico, mas teve atuação decisiva novamente!

Quis o destino que Loco voltasse exatamente contra o Cruzeiro de Joel Santana, pela 13ª rodada – olha quanta coincidência junta! – e aí o Botafogo encorpou de vez, sapecou 4 a 0 no Vasco, passou pelo Atlético-MG na Copa Sul-Americana, encontrou a escalação ideal, alugou vaga no G-4 e pode fechar o turno na terceira colocação do BR-11! Qualquer alvinegro sabe o time de cor e salteado: Jefferson no gol; Lucas e Cortês nas laterais; Antônio Carlos e Fábio Ferreira na zaga; Marcelo Mattos e Renato na proteção do meio campo; Elkeson centralizado com Maicosuel e Herrera caindo pelas pontas; e no ataque, fazendo o pivô e, claro, os gols Loco Abreu.

Agora é defender a posição conquistada no primeiro turno e olhar para o líder Corinthians. Sim, é possível e temos elenco para isso. Renan, Alessandro, Márcio Azevedo, Gustavo, Léo, Somália, Bruno Tiago, Everton, Felipe Menezes, Alex, Alexandre Oliveira, Caio e o garoto Cidinho já mostraram que podem entrar e resolver. Devemos acreditar em título e empurrar a equipe para conquistar também a Sul-Americana! Esse é o melhor momento do Botafogo no campeonato e temos que aproveitar.

Vamos, FOGO!

Lucas agradece ao passe magistral de Loco Abreu: "Gracias"

Ficha Técnica:

19ª Rodada: Fluminense 1 x 2 Botafogo (27/08/2011)

Fluminense: Diego Cavalieri; Mariano, Gum, Márcio Rosário e Carlinhos; Edinho, Diogo (Martinuccio), Souza (Ciro) e Lanzini; Fred e Rafael Moura

Técnico: Abel Braga

Botafogo: Jefferson; Lucas, Antônio Carlos (Gustavo), Fábio Ferreira e Cortês;  Marcelo Mattos, Renato, Elkeson e Maicosuel (Cidinho); Herrera (Felipe Menezes) e Loco Abreu

Técnico: Caio Júnior

Gol do Fluminense: Fred, aos dez minutos do segundo tempo

Gols do Botafogo: Elkeson, aos 11, e Lucas, aos 18 minutos da etapa final

Local: Engenhão (RJ) / Público: 22.762 presentes / Renda: R$ 437.755,00

Árbitro: Felipe Gomes da Silva (RJ)

Cartão Amarelo: Márcio Rosário, Fred, Rafael Moura e Edinho (Fluminense)

O pensamento agora está no clássico!

24/08/2011

A maratona que o Botafogo enfrenta com os jogos do Campeonato Brasileiro e da Copa Sul-Americana é desgastante, mas as vitórias ajudam a deixar o ambiente calmo, sem turbulências. O confronto de ontem, pelo torneio internacional, serviu apenas para carimbar o passaporte alvinegro para as oitavas de final, nada mais. A crítica aproveitou para “sentar a lenha no time”, a torcida vaiou – É novidade? – e o lado positivo é que nada disso abalou Caio Júnior:

– Acho que era um jogo para terminar logo e já pensar no clássico. O Fluminense é um adversário direto e depois temos o Palmeiras. É um momento crucial e fundamental para pensar nos primeiros lugares. É um momento decisivo e o torcedor tem que entender que vamos ter um forte adversário. É um jogo que considero fundamental o papel do torcedor para efetuar esse apoio – afirmou o treinador.

A conclusão parece óbvia, mas os especialistas, os professores-doutores da imprensa sempre buscam algo mais, o detalhe e, claro, levantar polêmica vende jornal e é sinônimo de Ibope alto. Os jogadores sentiram o cansaço e procuraram administrar a enorme vantagem conquistada no primeiro jogo, na Arena do Jacaré, e o gol de Herrera deixou o time mais tranqüilo ainda.

– Sem dúvida tínhamos uma vantagem e soubemos tirar proveito. Jogamos mal o primeiro tempo, mas no segundo fomos bem e administramos até o final – disse o goleiro Jefferson.

Marcelo Mattos, que jogou todos os jogos da maratona em agosto, confirmou:

– Corri no limite contra o Atlético-MG. Tínhamos a vantagem e jogamos com ela.

Marcelo Mattos fechou o meio de campo e foi perfeito na marcação!

O clássico no fechamento do primeiro turno é emocionante e uma vitória no sábado deixa o Botafogo muito próximo do líder Corinthians, a diferença pode cair para três pontos e na abertura do segundo turno outra pedreira: o Palmeiras de Felipão! Qual Botafogo entrará em campo para encarar esses dois jogos, o que encantou a torcida na vitória de 3 a 1 sobre o Atlético-MG ou o que se arrastou em campo e mesmo assim venceu ontem?

Caio Júnior está fazendo um excelente trabalho de acompanhamento fisiológico dos atletas e vem poupando os jogadores que mais se desgastam como Cortês e Renato. A ideia é não ter “quebras” na reta final da competição. O time ainda não perdeu no Engenhão e vem de quatro vitórias seguidas em seus domínios com doze gols marcados e apenas três sofridos. É hora dos torcedores comparecerem em peso e Caio Júnior faz o apelo:

– Sábado é muito importante, é um clássico, momento crucial e decisivo pela luta dos primeiros lugares. Preciso da torcida, será fundamental o papel dela já que vamos enfrentar o Fluminense, que é uma grande equipe, um time muito forte.

Vamos, FOGO!

O Mago voltou! Maicosuel pode ser fundamental contra o Fluminense!

Copa Sul-Americana

Fase 02 – Jogo 02: Botafogo 1 x 0 Atlético-MG (23/08/2011)

Botafogo: Jefferson; Lucas (Alessandro), Gustavo, Fábio Ferreira e Cortês (Márcio Azevedo); Marcelo Mattos, Lucas Zen, Felipe Menezes (Alex), Maicosuel e Elkeson; Herrera

Técnico: Caio Júnior

Atlético-MG: Renan Ribeiro; Serginho, Réver, Leonardo Silva e Eron; Dudu Cearense (Mancini), Fillipe Soutto, Richarlyson (Daniel Carvalho) e Caio; Guilherme e Jônatas Obina (Magno Alves)

Técnico: Cuca

Gol do Botafogo: Herrera, aos 47 minutos iniciais

Local: Engenhão (RJ) / Público: 4.070 pagantes / Renda: R$ 59.240,00

Árbitro: Wilson Luiz Seneme (SP)

Cartão Amarelo: Fábio Ferreira (Botafogo); Leonardo Silva e Richarlyson (Atlético-MG)

Sete gols! Elkeson mostra que o investimento alvinegro foi certeiro!

Campeonato Brasileiro:

18ª Rodada: Botafogo 3 x 1 Atlético-MG (20/08/2011)

Botafogo: Jefferson; Lucas, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Cortês; Marcelo Mattos, Renato, Felipe Menezes (Cidinho), Maicosuel (Alexandre Oliveira) e Elkeson (Thiago Galhardo); Alex

Técnico: Caio Júnior

Atlético-MG: Renan Ribeiro; Serginho, Leonardo Silva, Lima e Richarlyson (Triguinho); Pierre, Dudu Cearense, Bernard e Mancini (André); Magno Alves (Daniel Carvalho) e Guilherme

Técnico: Cuca

Gols do Botafogo: Elkeson, aos 16 minutos iniciais, e Felipe Menezes, aos 36 do primeiro tempo e aos 10 do segundo

Gol do Atlético-MG: André, aos 48 do segundo tempo

Local: Engenhão (RJ) / Público: 8.841 pagantes / Renda: R$ 149.795,00

Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (DF)

Cartão Amarelo: Richarlyson, Dudu Cearense e Leonardo Silva (Atlético-MG)

Atuação de gala! Felipe Menezes resgatou o respeito pela 10 do Fogão!

17ª Rodada: Internacional 1 x 0 Botafogo (17/08/2011)

Internacional: Muriel; Nei, Bolívar, Rodrigo Moledo e Zé Mário; Elton, Guinãzu, Andrezinho (Tinga), D’Alessandro (João Paulo); Jô (Dellatorre) e Leandro Damião

Técnico: Dorival Júnior

Botafogo: Jefferson; Alessandro, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Cortês; Marcelo Mattos (Lucas Zen), Renato, Maicosuel (Cidinho) e Felipe Menezes (Thiago Galhardo); Herrera e Alex

Técnico: Caio Júnior

Gol do Internacional: Leandro Damião, aos 12 minutos do segundo tempo

Local: Beira-Rio (RS) / Público: 11.080 pagantes / Renda: R$ 146.725,00

Árbitro: Paulo Henrique Godoy Bezerra (SC)

Cartão Amarelo: Élton, Rodrigo Moledo e Nei (Internacional); Marcelo Mattos e Herrera (Botafogo)

Contra o placar, contra a torcida, contra o juiz…

14/08/2011

Não é exagero dizer que a vitória do Botafogo sobre o América-MG representou mais do que os três pontos e a quarta colocação no Campeonato Brasileiro! O time da Estrela Solitária fez justiça ao nome e jogou contra um placar desfavorável, levou 2 a 0 em menos de 10 minutos; não obteve o apoio necessário da torcida para tocar a bola com calma e buscar o resultado; e ainda sofreu com a péssima arbitragem do trio escalado para comandar a partida.

O primeiro gol do América-MG veio num lance de sorte – para os mineiros, é claro! – e o segundo gol nasceu de um contra-ataque, bem articulado, que pegou a defesa desprevenida e que ainda contou com a categoria do Camisa 10 do Coelho ao deslocar Jefferson. Parabéns para eles que souberam aproveitar pequenos momentos de instabilidade da equipe de Caio Júnior, mas ficou aí. O América-MG sentou sobre a vantagem achando que o Botafogo era o Fluminense e que o terceiro gol seria questão de tempo. Bem, não foi.

A torcida não acreditava, o narrador tripudiava e o Sérgio Noronha – ele não aprende! – queimou a língua pela milésima vez ao vaticinar que o Botafogo estava entregue em campo. Não, não senhor, o time não estava entregue e já tinha criado ao menos quatro chances de diminuir o placar quando Elkeson acertou uma bomba da intermediária para fazer um golaço! Golaço! Golaço! Anota aí de novo: Golaço! Golaço! Golaço! O empate quase saiu na primeira etapa, mas se o jogo estava bom iria ficar melhor ainda no segundo tempo.

Herrera jogou bem e foi um tormento para os defensores mineiros!

O Botafogo começou a etapa final encurralando o América-MG no campo de defesa e após perder algumas boas oportunidades chegou ao empate com o Gol Nº 50 do zagueiro-artilheiro Antônio Carlos: uma cabeçada fulminante, mesmo puxado, agarrado e empurrado pela marcação adversária. E o juiz? E o bandeira? Não viram nada. Não viram pênalti em Loco Abreu no primeiro tempo. Não viram as faltas violentas dos volantes mineiros. E não viram a encenação patética do goleiro Neneca que ficou quase três minutos sendo atendido dentro de campo. O nome disso é cera. E os deuses do futebol castigaram a covardia do Coelho.

Caio Júnior sacou o argentino Herrera para a entrada do garoto Alexsander e ouviu gritos de “Burro! Burro!” por parte da inteligente torcida alvinegra. E aí? Alex fez o gol da virada e ainda teve moral para pedir a bola de Elkeson e bater o pênalti sofrido por Cidinho. Sim, sim senhor, o juizinho até que teve peito para assinalar a penalidade máxima que de fato ocorreu. Mas então o jogo já tinha virado para o lado de cá, não? Ah, e o Herrera? Estava gripado, com dor de garganta e jogando no sacrifício. Esse é o Botafogo que eu quero ver: com raça e paixão! Uma vitória para calar os críticos e, infelizmente, para educar a “inteligente” torcida botafoguense.

Vamos, FOGO!

Gooooooooooooool! Antônio Carlos! Zagueiro-artilheiro do Fogão!

Ficha Técnica:

16ª Rodada: Botafogo 4 x 2 América-MG (14/08/2011)

Botafogo: Jefferson; Lucas, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Cortês; Marcelo Mattos, Renato, Elkeson e Maicosuel (Cidinho); Herrera (Alex) e Loco Abreu (Felipe Menezes)

Técnico: Caio Júnior

América-MG: Neneca; Otávio (Eliandro), William Rocha e Gabriel Santos; Marcos Rocha, Dudu, Amaral, Rodriguinho e Gilson; Alessandro (Fábio Júnior) e Kempes (Netinho)

Técnico: Givanildo Oliveira

Gols do Botafogo: Elkeson, aos 31 do primeiro tempo, Antônio Carlos, aos 17, e Alex, aos 30 e aos 34 minutos da etapa final

Gols do América-MG: Alessandro, com dois minutos de jogo, e Rodriguinho, aos oito da etapa inicial

Local: Engenhão (RJ) / Público: 13.101 presentes / Renda: R$ 182.925,00

Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO)

Cartão Amarelo: Renato e Elkeson (Botafogo), Amaral e Otávio (América-MG)

Vitória na tática e na garra!

11/08/2011

O time mineiro jogava em casa e tinha a estreia do novo treinador como um elemento motivacional, além de iniciar a arrancada em outra competição sem a pressão do BR-11, mas apesar de tudo conspirar para uma boa vitória do Atlético-MG, o que o torcedor viu foi um passeio carioca no Ipatingão! Cuca entrou com a força máxima enquanto Caio Júnior se deu ao luxo de poupar quatro titulares, só que em campo a impressão era exatamente a inversa tal o domínio botafoguense no jogo.

O Atlético-MG até teve algumas oportunidades de gol na segunda etapa e aí Cuca deve ter se lembrado de Max e Júlio César… Ah, se fosse o Jefferson no gol alvinegro com aquele timaço de 2007/2008! Teríamos conquistado o histórico Tricampeonato Carioca e ainda, quem sabe, uma Copa do Brasil, um Brasileiro ou até mesmo a Sul-Americana. Pois é, faltava goleiro! E não faltava um “loco”? Loco Abreu não fez gol, mas deu um passe perfeito para Herrera abrir o placar e correu o tempo todo. Esse é o espírito de Libertadores! É assim que o time tem que jogar para ser campeão de qualquer coisa!

Loco Abreu puxou a marcação e Maicosuel aproveitou o espaço! Goooool!

Elkeson, Renato, Lucas e Cortês. Quatro titulares poupados e o time vencendo na casa do adversário em uma competição internacional. Sei não, acho que não me recordo de ter visto isso na minha curta carreira de torcedor botafoguense. Os jogadores escalados deram conta do recado e apesar do time ter caído na segunda etapa com a entrada dos reservas, é possível falar em elenco alvinegro! Léo entrou disperso, Alexandre Oliveira não conseguiu nenhum contra-ataque e Alex não jogou perto do gol adversário. Mas vamos falar do que deu certo!

Felipe Menezes ainda aparenta estar fora de forma, meio pesadão, mas protege bem a bola e tem toques precisos, só precisa ganhar mais velocidade. Lucas Zen ocupou o meio de campo e ainda foi deslocado para a lateral-esquerda na etapa final. Como joga esse garoto! Sr. Presidente, faça um contrato de dez anos com o menino! Muito criticado em casa, ontem, longe da torcida, Alessandro foi o dono da direita e quase fez um golaço no fim. Não é o caso de apoiar mais e vaiar menos?

Caio Júnior terá que administrar um problemão no elenco: a lateral-esquerda. Cortês é dono absoluto da posição, mas é impossível jogar todas as partidas do ano e assim Márcio Azevedo precisa entrar bem e tentar ao menos ser uma sombra para o companheiro. Fica claro que o treinador não confia no reserva quando a pressão aumenta como aconteceu no segundo tempo do jogo de ontem. E não veremos mais contratações. O time é esse. É hora de apoiar. Depois da Sul-Americana, o BR-11 volta à pauta e uma vitória sobre o América-MG – não, não estamos disputando o estadual de Minas – irá selar de vez a união entre torcida e comissão técnica!

Vamos, FOGO!

União! Jogadores não buscam as câmeras de TV nas comemorações!

Copa Sul-Americana

Fase 02 – Jogo 01: Atlético-MG 1 x 2 Botafogo (10/08/2011)

Atlético-MG: Giovanni; Patric (Wesley), Réver, Leonardo Silva e Guilherme Santos (Mancini); Toró, Serginho, Richarlyson e Caio; Magno Alves (Neto Berola) e André

Técnico: Cuca

Botafogo: Jefferson; Alessandro, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Márcio Azevedo (Léo); Lucas Zen, Marcelo Mattos, Felipe Menezes e Maicosuel (Alexandre Oliveira); Herrera (Alex) e Loco Abreu

Técnico: Caio Júnior

Gol do Atlético-MG: Richarlyson, aos 44 minutos da etapa inicial

Gols do Botafogo: Herrera, aos 10 minutos iniciais, e Maicosuel, aos 38 do primeiro tempo

Local: Ipatingão (MG) / Público: 9.583 pagantes / Renda: R$ 43.270,00

Árbitro: Paulo César de Oliveira

Cartão Amarelo: Toró (Atlético-MG) e Lucas Zen (Botafogo)

Cartão Vermelho: Toró (Atlético-MG)

Presente de aniversário!

07/08/2011

Caio Júnior não conseguia esconder a satisfação na entrevista coletiva após o jogo. E o motivo não foi “apenas” a bela goleada sobre o Vasco da Gama, não senhor! Caio Júnior finalmente pôde soltar o verbo e reclamar publicamente dos “corneteiros de plantão” que tentavam minar seu trabalho em General Severiano. O time vinha jogando bem, mas ainda não havia feito uma “exibição de gala” como a desta noite. O treinador tem motivos de sobra para estar feliz, pois quando colocou a bola no chão e teve calma para trabalhar as jogadas, o Botafogo mostrou entrosamento e poder de definição. Tudo o que faltou na derrota para o Figueirense na rodada anterior.

– Estou no futebol há muito tempo, mas este primeiro tempo foi inesquecível, não só pelo placar e pelo adversário, mas pela forma como atuou. Ontem (sábado) foi um dia longo, fiquei o dia inteiro revendo vídeos de outros jogos, quebrando a cabeça para achar a melhor formação; quase não dormi. Logo, fico feliz que todo esse empenho tenha dado certo – explicou o comandante alvinegro.

Loco Abreu agradece ao belo passe de Elkeson para o terceiro gol!

Foi um milagre? Não, apenas a confirmação de que o planejamento está sendo bem realizado e que não adianta trocar o comando técnico a cada percalço encontrado no caminho, ainda mais quando estamos num campeonato com trinta e oito rodadas, competitivo e muito equilibrado como o BR-11. O adversário vinha de uma invencibilidade de seis jogos e acreditava na vitória, tanto que entrou em campo tranqüilo e descansado, exatamente o oposto do comportamento alvinegro. O Botafogo foi superior durante os noventa minutos e a falta de poder ofensivo que tanto atrapalhou nos outros jogos dessa vez não apareceu no Engenhão.

Loco Abreu, Herrera e Antonio Carlos fizeram Fernando Prass buscar a pelota no fundo do gol por quatro vezes e não fossem algumas boas defesas do goleiro vascaíno teríamos um 7 a 0 fácil, fácil. É verdade que após a expulsão infantil do Diego Souza o time pisou no freio, mas é justificável, já que na quarta temos um duelo decisivo pela Copa Sul-Americana contra o Atlético-MG e depois, no sábado, outro jogo pelo Brasileirão. Uma verdadeira maratona futebolística!

Caio Júnior parece ter encontrado a equipe ideal, mas precisamos de banco, precisamos dos reservas para encarar tantos jogos na sequência ou correremos o risco de chegar perto e naufragar outra vez. O objetivo imediato é se aproximar do G-4 e conseguir a classificação para a próxima fase do torneio internacional. O mês de agosto será decisivo para as pretensões do Botafogo na temporada!

Vamos, FOGO!

Gooooooooool do Botafogo! Loco Abreu, camisa número 13!

Ficha Técnica:

15ª Rodada: Botafogo 4 x 0 Vasco (07/08/2011)

Botafogo: Jefferson; Lucas, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Cortês (Márcio Azevedo); Marcelo Mattos, Renato, Felipe Menezes (Lucas Zen) e Elkeson (Cidinho); Herrera e Loco Abreu

Técnico: Caio Júnior

Vasco: Fernando Prass; Fagner, Dedé, Anderson Martins e Márcio Careca (Juninho Pernambucano); Jumar, Rômulo, Felipe (Leandro) e Diego Souza; Eder Luis (Julinho) e Alecsandro

Técnico: Ricardo Gomes

Gols do Botafogo: Antonio Carlos, aos 10 minutos iniciais, Loco Abreu, aos 27 e aos 40 da primeira etapa e Herrera, aos 46 do segundo tempo

Local: Engenhão (RJ) / Público: 21.238 pagantes / Renda: R$ 605.880,00

Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)

Cartão Amarelo: Cortês e Elkeson (Botafogo); Dedé, Jumar, Felipe e Diego Souza (Vasco)

Cartão Vermelho: Diego Souza (Vasco)

A volta do Ataque Mercosul do Fogão: Herrera & Loco Abreu!

14ª Rodada: Figueirense 2 x 0 Botafogo (03/08/2011)

Figueirense: Wilson; Coutinho (Roger Carvalho), João Paulo, Edson Silva e Juninho; Ygor, Túlio (Jackson), Maicon e Elias (Wilson Pittoni); Fernandes e Júlio César

Técnico: Jorginho

Botafogo: Jefferson; Alessandro (Lucas), Antônio Carlos, Gustavo e Cortês; Marcelo Mattos (Felipe Menezes), Renato, Maicosuel e Elkeson; Herrera (Alexandre Oliveira) e Loco Abreu

Técnico: Caio Júnior

Gols do Figueirense: Edson Silva, aos 17 minutos iniciais, e Júlio César, aos 39 do primeiro tempo

Local: Orlando Scarpelli (SC) / Público: 8.695 pagantes / Renda: R$ 103.185,00

Árbitro: Wagner Reway (MT)

Cartão Amarelo: Elias, Túlio, Edson Silva, Coutinho e Juninho (Figueirense); Herrera, Antônio Carlos, Alessandro e Marcelo Mattos (Botafogo)

Cartão Vermelho: Maicosuel (Botafogo)