Archive for maio \31\UTC 2011

Um conto de Mané

31/05/2011

Poucos clubes no mundo podem se dar ao luxo de escrever capítulos inteiros na história de suas seleções e aqui no Brasil, o país do futebol por excelência, apenas Santos e Botafogo têm essa honra. No Mundial de 1962, no Chile, a Seleção Canarinho já não era uma novidade e os feitos de Pelé e Garrincha assombravam o mundo da bola desde a vitória incontestável na Suécia, em 1958. Defendendo o título mundial e recheada de craques, a nossa seleção desembarcou em terras chilenas com a responsabilidade de repetir o bom futebol apresentado quatro anos antes.

Imarcável!!! Será esse o tal de Flowers? Mané não quis nem saber!

Já li e ouvi esse conto diversas vezes, mas nunca tão bem narrado quanto no livro de Nilton Santos, “Minha bola, Minha vida”, da editora Gryphus. Não à toa, é claro. Devemos lembrar que Nilton sempre esteve nas conversas dos amigos Sandro Moreyra e Armando Nogueira – onde um deveria contar “um causo” melhor do que o outro! Sem Pelé, machucado na segunda partida, o Brasil iria encarar a forte Inglaterra. Sandro Moreyra resolveu provocar Garrincha dizendo que o lateral inglês, Flowers, numa entrevista, dissera que o Mané não iria passar por ele de jeito nenhum. Garrincha ficou invocado e foi pedir conselhos para Nilton Santos:

– Nilton, o lateral deles disse que eu não era de nada!

– Ah, então ele nunca te viu jogar.

– Viu sim. Eu queria acabar com ele, mas não sei quem ele é.

– Acabe com todos os ingleses porque cada um deles pode ser o tal de Flowers!

O hilário diálogo entre os amigos resultou num dos maiores passeios da história da Copa do Mundo! Nilton Santos continua:

Garrincha ficou endiabrado. Dribles e mais dribles no time todo da Inglaterra. Dizem que o Aimoré ficou desnorteado no banco quando via o Mané correr por todo o campo a driblar todo mundo. Pedia a ele pra voltar para a ponta, segurando assim o zagueiro inglês. Ele não ouvia, continuava a fazer o seu carnaval. Marcou até gol de cabeça nesse jogo. Vavá fez um gol, sobra de bola de um chute violento do Mané em cima do goleiro. Depois, com um passe de Amarildo, encerrou o placar. Ali, Mané foi batizado de ‘O Anjo das Pernas Tortas’, que enlouquecia todas as defesas e fazia o Brasil acreditar ser impossível não sermos bicampeões.

De fato, mesmo sem Pelé, Mané acabou com os adversários e trouxe o caneco para casa. Leia o livro de Nilton Santos. Essa e outras histórias incríveis do nosso futebol estão lá, apenas esperando para serem redescobertas.

Vamos, FOGO!

Anúncios

O início da escalada!

28/05/2011

Caio Júnior não tinha alternativa a não ser colocar o jovem Elkeson, recém contratado junto ao Vitória, para começar a partida de hoje contra o Santos. A derrota na estreia, combinada com a péssima atuação do setor ofensivo, obrigou o treinador a ousar na escalação do time. Sem poder contar com Loco Abreu e Herrera, suspensos, e com poucas opções no banco de reservas, o Botafogo foi presa fácil para o Palmeiras de Felipão e nova derrota, agora em casa, iria deixar a torcida mais irritada e impaciente ainda – se é que isso é possível! Vencer logo no início do campeonato é fundamental para tirar o peso da equipe e não criar a famosa frase que os comentaristas esportivos amam usar: “O time busca a primeira vitória na competição”.

Maicosuel, Evérton e Elkeson se movimentaram pelos lados do campo e tentaram municiar o ataque formado apenas pelo garoto Alex que, mesmo não jogando bem, conseguiu segurar mais a bola na frente do que fez Caio no jogo de estreia. A equipe formou uma espécie de losango no meio de campo e os quatro jogadores ofensivos trocaram de posição constantemente para confundir a zaga santista. Maicosuel começou centralizado e antes do intervalo trocou de lugar com Elkeson que foi mais perigoso jogando de frente para o gol de Aranha do que aberto na ponta-direita. Já Evérton fez um lado esquerdo forte com o apoio eficiente de Bruno Cortês.

Marcelo Mattos e Lucas Zen se entenderam perfeitamente na marcação, deram um toque de classe na saída de jogo e ainda conseguiram se aventurar em jogadas ofensivas. A volta dos zagueiros titulares deve ser muito comemorada pela torcida, já que Antonio Carlos e Fábio Ferreira têm um ótimo entrosamento e a prova disso foi o solitário gol alvinegro que começou com um leve desvio de Antonio Carlos e acabou no bonito arremate de Fábio Ferreira.

Alegria! Operação no joelho e oito meses sem jogar? Pode comemorar!

Esse novo Botafogo irá se encaixar perfeitamente com Herrera, e depois da Copa América com Loco Abreu, pelas jogadas trabalhadas buscando a linha de fundo e bom toque de bola perto do gol adversário. Bruno Cortês jogou tudo o que o Márcio Azevedo se recusou a jogar e, se não cair nas tentações e ilusões da fama, pode ser titular absoluto da lateral-esquerda. Alessandro fez um bom jogo, não comprometeu e deve ser um reserva competente para Lucas.

Os meninos Cidinho, Alex, Tiago Gallardo e Willian precisam de treino e um melhor preparo físico para suportar o ritmo do Campeonato Brasileiro. Os gols perdidos contra o Santos quase custaram os três pontos e Caio Júnior sabe que ainda não poderá contar com eles para mudar o andamento de uma partida.

O ataque, antes solução, agora é um problema. A volta de Herrera já na próxima rodada permitirá que Maicosuel atue como gosta, de frente para o gol e sem precisar girar o tempo todo para sair da marcação dos zagueiros adversários. Caio Júnior errou ao tirar o estreante Elkeson do jogo e deixar a equipe sem um finalizador, forçando o Mago a jogar de costas para o goleiro. O castigo quase veio no fim com uma bomba de Maikon Leite no canto direito de Jefférson – que só olhou e torceu. Herrera cabeceia bem, nunca desiste das jogadas e irá preocupar mais o técnico do Ceará do que os jovens Caio e Alex preocupariam.

A vitória sobre o Santos, além dos três pontos, vai dar a tranquilidade necessária que o elenco precisa para trabalhar firme nessa semana e depois encarar a boa equipe do Ceará fora de casa!

Vamos, FOGO!

Nota 6? Velocidade, chutes a gol, bons passes e desenvoltura na estreia!

Ficha Técnica:

2ª Rodada: Botafogo 1 x 0 Santos (28/05/2011)

Botafogo: Jefferson, Alessandro, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Cortês; Lucas Zen, Marcelo Mattos, Everton (Cidinho), Maicosuel e Elkeson (Tiago Galhardo); Alex (Caio)

Técnico: Caio Júnior

Santos: Aranha, Bruno Aguiar, Vinícius e Bruno Rodrigo; Pará, Possebon, Charles (Roger Gaúcho), Alan Patrick (Rychely) e Alex Sandro; Tiago Alves (Maikon Leite) e Keirrison

Técnico: Muricy Ramalho

Gol do Botafogo: Fábio Ferreira, aos minutos da etapa inicial

Local: Engenhão (RJ) / Público: 8.662 presentes / Renda: R$ 143.110,00

Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa/PR)

Cartão Amarelo: Tiago Galhardo (Botafogo); Alex Sandro, Bruno Rodrigo, Vinícius (Santos)

Marketing & Futebol

26/05/2011

A atual gestão do presidente Maurício Assumpção pode ser contestada por parte da torcida, mas é inegável a valorização da marca Botafogo no cenário nacional e também, ainda que timidamente, vemos uma projeção internacional que não existia desde 1996, quando Túlio Maravilha & Cia bateram grandes equipes européias e conquistaram três títulos em excursão no Japão e na Europa. A contratação de Loco Abreu e o sucesso do Uruguai no Mundial da África do Sul fizeram a Estrela Solitária viajar o mundo inteiro com a famosa cavadinha na final da Taça Rio, em 2010. Hoje, o Botafogo tem três jogadores de seleção: Abreu e Arévalo Ríos, no Uruguai, e Jefferson na seleção nacional.

Maurício Assumpção conquistou o bicampeonato da Taça Guanabara 2009/2010, a Taça Rio 2010, o Campeonato Carioca 2010 e viu a equipe lutar até o fim por um vaga na Libertadores da América – grande sonho de todos os botafoguenses. A diretoria sabe que vencer uma competição continental é a única forma de fazer o clube crescer e atrair mais investidores e patrocinadores. Enquanto a projeção internacional não vem, a equipe de Marketing consegue estabelecer o Botafogo no mercado caseiro com boas campanhas e diversos produtos lançados. O torcedor alvinegro é fanático pela história do clube e sabe valorizar os ídolos do presente e do passado, com essa ideia em mente, diversas ações propostas pela diretoria mantêm a loja oficial vendendo mesmo quando o time vai mal.

Sem folga! Mais de mil botafoguenses prestigiaram o evento com o artilheiro!

Camisas personalizadas, bonecos, bonés, chinelos, bermudas, foto com fãs, tarde de autógrafos, são várias as atrações onde os alvos prioritários são Maicosuel e Loco Abreu, dois ídolos recentes que abraçaram o projeto de marketing. O eterno goleador Túlio Maravilha lotou a nova mega-loja, em General Severiano, no dia da inauguração, para uma tarde de autógrafos e duas semanas depois foi a vez de Loco Abreu esgotar as duas mil senhas disponibilizadas pela equipe de produção. Sinal de que a torcida, a verdadeira, está aí para apoiar o time e que basta apenas uma equipe guerreira e voluntariosa para reverter todo o quadro atual de críticas e vaias que infelizmente partem de uma minoria.

É certo que a torcida está irritada: foram cinco eliminações em apenas cinco meses! A perda de jogadores como Leandro Guerreiro, Lucio Flavio e Renato Cajá enfraqueceram a equipe e a troca de treinador ainda não surtiu o efeito desejado, nem tanto por culpa de Caio Júnior que ainda não conseguiu ter todos os titulares à disposição. O retorno de Maicosuel e de Fabio Ferreira, dois jogadores importantíssimos para o grupo, e as recentes contratações devem fazer o grito de “FOGO!” ecoar pelo Engenhão! Basta uma vitória, uma boa apresentação para o torcedor alvinegro se apaixonar novamente pelo time!

O Mago precisa de ajuda para compor o meio de campo alvinegro!

Elkeson é uma grande aposta de 21 anos, mas que já deu um título para o Vitória no ano passado e vem com muita vontade de aparecer por uma equipe de ponta; Marcelo Mattos já disse que quer ficar e é uma peça muito importante para ser liberado; Gilberto ainda pode fechar e a contratação de Renato, ex-Sevilla, promete dar o toque de qualidade que o meio campo alvinegro tanto sente falta. Se não perder ninguém na janela de transferência e com mais dois nomes, é possível afirmar que teremos elenco para disputar o BR-11 até o fim – como aconteceu no ano passado. Ah, e precisamos encarar a Copa Sul-Americana como prioridade, um ensaio para a conquista da América!

Caio Júnior poderá finalmente escalar uma equipe com bom toque de bola e poder de definição no ataque. Loco Abreu, Arévalo e Jefferson só devem retornar após a Copa América, em agosto, assim teremos que esperar até vermos a força máxima em campo. O provável Botafogo da primeira metade do BR-11 deve ser: Renan, Lucas (Alessandro), Fábio Ferreira, Antônio Carlos e Cortês; Lucas Zen, Marcelo Mattos, Tiago Galhardo e Maicosuel; Caio e Elkeson. Esse time precisa somar pontos agora para que no segundo turno, com todos os titulares, a briga seja pelo título! Jefferson, Lucas, Fábio Ferreira, Antônio Carlos e Cortês (Gilberto); Arévalo Ríos, Marcelo Mattos, Renato e Maicosuel; Loco Abreu e Herrera (Elkeson): time para ser Campeão Brasileiro em 2011!

Vamos, FOGO!

"Quero jogar sábado!" Elkeson chega com moral ao Botafogo!

Ficha Técnica:

Nome: Elkeson de Oliveira Cardoso

Nascimento: 13/07/1989 (21 anos)

Natural de: Coelho Neto, Maranhão

Posição: Meia-atacante

Clubes: Vitória e Botafogo

Ficha Técnica:

Nome: Renato Dirnei Florêncio

Nascimento: 15/05/1979 (23 anos)

Natural de: Santa Mercedes, São Paulo

Posição: Volante

Clubes: Guarani, Santos, Sevilla e Botafogo

Não, não falta nada! Renato é do Fogão por três anos!!!

Perdemos para um time grande!

23/05/2011

O Botafogo aplicou uma goleada histórica, 8 a 3, no favorito Vasco da Gama, atual campeão do mundialito, e ficou com o título de campeão da I Copa Brasil de Clubes de Futebol de Areia. Parecia o prenuncio de um domingo perfeito para os botafoguenses, mas era uma simples ilusão. Assim como foi ilusão o primeiro tempo entre Palmeiras e Botafogo pela 1ª rodada do BR-11. O jogo equilibrado, com duas boas chances para cada lado e grande atuação dos goleiros, foi apenas uma ilusão. Na volta do intervalo, bastou um jogador palmeirense acertar uma jogada para ficar evidente a falta de preparo dos atletas alvinegros. O placar em branco seria a única forma de garantir um ponto na estreia, já que era impossível esperar algo do inoperante ataque botafoguense.

A relação entre torcida e diretoria só tende a piorar. Nenhuma contratação aconteceu durante o período de treinos, muitos nomes foram levantados, nada avançou e Caio Júnior ficou sentado esperando pelos prometidos reforços ao invés de treinar e encontrar um padrão tático com os jogadores disponíveis. O que se viu no Estádio Teixeirão é motivo de muita, mas muita dor de cabeça para o torcedor! O medo das comparações com o Joel Santana fez o novo treinador esbravejar que não jogaria com três zagueiros, mas jogou com que formação? Caio Júnior não teve coragem para escalar o Botafogo, apenas lançou os jogadores em campo e ficou rezando na arquibancada.

Atuação apagada! Caio só sabe cair e reclamar da falta de oportunidade!

O meio de campo não existiu, a defesa ficou exposta e o ataque não funcionou. E os treinos? E as jogadas ensaiadas? Maicosuel jogou o primeiro tempo de costas para a zaga e na etapa final foi deslocado para a ponta-esquerda e pra quê? Caio não achou posição em campo e jogou como ponta-direita, mas quem estava na área para receber os cruzamentos? Ninguém. Marcelo Mattos e Arévalo Ríos corriam como loucos para cobrir os avanços dos laterais e a intermediária alvinegra era um verdadeiro deserto que logo foi preenchida por palmeirenses. E a torcida? Ah, a torcida deve estar satisfeita nesta segunda! Irá vaiar Lucio Flavio, Joel Santana, Alessandro, Leandro Guerreiro e Fahel! Ora, mas eles jogaram? Ah, vamos vaiar a diretoria então!

Maicosuel disse que o Botafogo perdeu para um time grande? Como assim? E o Botafogo é o quê? Melhor ouvir o Jefferson que deixou clara sua insatisfação com os companheiros:

– Temos que acreditar mais em nós e ter mais personalidade.

Personalidade! Foi o que faltou para Caio Júnior. Foi o que faltou a Caio e Maicosuel. O esquema estava errado e eles foram incapazes de mudar em campo ou conversar no vestiário. Mas até o intervalo estava tudo bem, estava 0 a 0, não? E a ideia era só empatar, nada mais. É possível aprender algo com essa derrota? Difícil, muito difícil, já que todos pareciam satisfeitos em perder por apenas um gol. É será um campeonato longo, muito longo…

Vamos, FOGO!

Fora de foco! A fase é tão ruim que não deu nem pra sair na foto...

Ficha Técnica:

1ª Rodada: Palmeiras 1 x 0 Botafogo (22/05/2011)

Palmeiras: Marcos, João Vitor (Chico), Danilo, Thiago Heleno e Gabriel Silva; Márcio Araújo, Marcos Assunção, Tinga (Patrik) e Luan (Pierre); Kleber e Adriano

Técnico: Luiz Felipe Scolari

Botafogo: Jefferson, Lucas (Cidinho), Antonio Carlos, Fabio Ferreira e Lucas Zen, Arévalo, Marcelo Mattos (Alex), Cortês e Galhardo (Bruno Tiago), Maicosuel e Caio

Técnico: Caio Júnior

Gol do Palmeiras: Kleber

Local: Teixeirão (SP) / Público: 13.705 presentes / Renda: R$ 400.178,00

Árbitro: Márcio Chagas da Silva (RS)

Cartão Amarelo: Thiago Heleno e Kleber (Palmeiras); Lucas e Marcelo Mattos (Botafogo)

Botafogo Campeão da I Copa Brasil de Clubes de Futebol de Areia 2011