Archive for fevereiro \24\UTC 2011

Olé! E o fim da invencibilidade!

24/02/2011

O Botafogo entrou em campo como uma equipe pequena e por isso conheceu a primeira derrota da temporada. O Botafogo jogou como um time medíocre e por isso sofreu um gol aos 41 minutos do segundo tempo. A tão propagada “ofensividade do Joel Santana” não passou de balela, já que a escalação mostrava três volantes para segurar o inexistente ataque do poderoso River Plate de Sergipe!

O desenho no decorrer da etapa inicial revelou que Rodrigo Mancha foi obrigado a recuar para compor a zaga, e o pior, era visível a amarra nos laterais Alessandro e Márcio Azevedo. Renato Cajá foi obrigado a carregar a armação de jogadas nas costas, sozinho, e outra vez não deu conta do recado. E quem daria?

É verdade que o ataque funcionou com boas tabelinhas e Loco Abreu perdeu quatro chances de gol que resolveriam a partida e deixariam essa crônica bem mais leve e feliz! Herrera ainda não se recuperou totalmente, mas fez boas jogadas que poderiam ter resultado em gol. No meio do jogo a pergunta que não quer calar: “Onde está o Everton?” É impressionante como o Joel se apega aos jogadores mais antigos e teima em não dar chance aos novos contratados. O Renato Cajá não acerta escanteio, não consegue levantar uma bola alçada na área e deixa a impressão de que o gol contra o Fluminense fora obra do acaso.

Loco Abreu, Herrera e Antonio Carlos fizeram muitos gols de cabeça no ano passado em jogadas do Lucio Flavio, mas depois da saída do questionado meia é raro ver uma bola levantada com categoria. No jogo de ontem foi uma tragédia! Alessandro, Márcio Azevedo e Renato Cajá irritaram os torcedores com batidas ridículas e inofensivas. O meio de campo alvinegro é “Terra de Ninguém”, já que Joel é incapaz de fixar dois meias ofensivos e dois volantes sem invenções ou improvisações.

Herrera correu, perdeu gols, brigou e levou um cartão amarelo!

O que mantêm o Somália titular do Botafogo? Qual o segredo para que ele nunca seja substituído? Ontem o Joel fez apenas duas trocas e deixou os jogadores mofarem no banco de reservas. O Márcio Azevedo pode não ser o melhor lateral-esquerdo do Brasil, mas sempre tenta a linha de fundo e busca cruzar as bolas para a dupla Abreu e Herrera. O que faz o Joel? Saca um lateral de ofício e improvisa o “filhinho do Papai” por ali, todo torto e desengonçado! Com a bola no pé o Somália vai para o lado do campo e o Everton cai pelo meio, já sem a bola é o contrário e o resultado é uma embolação total e ninguém sabe onde fica quem!

Os jogadores estão insatisfeitos, os torcedores estão insatisfeitos e para piorar o Joel decidiu cortar a sagrada folga de domingo! Com essa atitude ele deixa claro que a culpa é do elenco e não dele! Não vou estranhar se o Botafogo for eliminado já na Primeira Fase da Copa do Brasil. Ah, e o gol do poderoso River Plate de Sergipe? Os sergipanos tocaram a bola por um minuto e cinco segundos antes da conclusão!

Os torcedores gritaram um Olé! de um minuto e depois comemoraram o gol! Ironia? Não. Tem coisas que só acontecem com o Botafogo! Foi numa partida contra o River Plate da Argentina, no México, que surgiu o grito de Olé! para o futebol mundial! Mané Garrincha deu um baile no lateral Vairo e os mexicanos responderam com o famoso grito das touradas: Olé! Olé! Olé!

Vamos, FOGO!

Coloquei essa foto só para dar uma levantada na moral da crônica...

Copa do Brasil:

Primeira Fase – Jogo 01: River Plate-SE 1 x 0 Botafogo (23/02/2011)

River Plate-SE: Max, Glauber, Bebeto, Váldson e Pedrinho; Wallace, Fernando Pilar (Lucas), Bruno Ramos e Éder (Fábio Junior); Bibi (Claudinei) e Bebeto Oliveira

Técnico: Aílton Silva

Botafogo: Jefferson, Rodrigo Mancha, Antônio Carlos e Márcio Rosário; Alessandro, Somália, Bruno Tiago, Renato Cajá (Caio) e Márcio Azevedo (Everton); Herrera e Loco Abreu

Técnico: Joel Santana

Gol do River Plate-SE: Bebeto Oliveira, aos 41 minutos do segundo tempo

Local: Batistão (SE) / Público: 14.000 presentes

Árbitro: Marielson Alves Silva (BA)

Cartão Amarelo: Bibi, Bruno Ramos, Váldson e Bebeto Oliveira (River Plate), Somália, Herrera, Márcio Rosário e Antônio Carlos (Botafogo)

Maicosuel de malas prontas para a Rússia!

22/02/2011

Segundo informações de bastidores, Maicosuel estaria negociando junto com Lê, seu empresário, uma transferência para o futebol russo, após o fim Campeonato Brasileiro de 2011. A fonte entrevistada pelo blog “O Glorioso” não soube precisar qual clube estaria envolvido na transação, mas disse que a proposta balançou o jogador e que a oferta seria muito generosa. O empresário do Mago já teria deixado tudo encaminhado e agora aguarda apenas a recuperação do atleta para fechar os números. Maicosuel jogaria as fases finais da Copa do Brasil – se o Botafogo avançar, o Campeonato Brasileiro e a Copa Sul-Americana antes da transferência. Lê aposta que Maicosuel fará boas exibições nessas competições, o que levaria a uma valorização do jogador.

Maicosuel marca na reestreia diante da torcida alvinegra no Engenhão!

Maicosuel retornou ao Botafogo no dia 22 de julho de 2010, depois de uma passagem apagada pelo TSG 1889 Hoffenheim, envolvendo uma negociação milionária e um complicado sistema de cotas entre investidores. O clube alemão fixou o passe do jogador em quatro milhões de euros, aproximadamente R$ 8,7 milhões. O Botafogo pagou R$ 6,5 milhões no ato da transferência e parcelou o restante, ou seja, o clube ainda está pagando pelos direitos econômicos do atleta. Uma grande operação de marketing foi montada para dar suporte aos investidores e uma linha de produtos licenciada envolvendo camisas, chinelos e até uma miniatura do Mago foram postos à venda.

Com Maicosuel em campo, o alvinegro conseguiu a recuperação no BR-10 e chegou a brigar pelo título se mantendo firme no G-4 entre agosto e setembro. Foram treze jogos com oito vitórias, três empates e apenas duas derrotas. Após a lesão do meia, o time desandou e acumulou seis empates seguidos, o que foi determinante para a perda do título brasileiro e a conseqüente vaga na Taça Libertadores em 2011. A grave contusão sofrida na partida contra o Vasco, no dia 22 de setembro, apenas dois meses após o retorno oficial, frustrou torcida, diretoria e os investidores que esperavam uma rápida valorização do jogador.

Maicosuel levou o Botafogo ao G-4 até sofrer a grave lesão contra o Vasco!

O sucesso dos brasileiros que atuam na Ucrânia pode ter apressado a saída de Maicosuel do Botafogo. Jadson, Douglas Costa e Luiz Adriano brilharam na vitória do Shakhtar Donetsk sobre a Roma, pelas oitavas de final da Liga dos Campeões. Na semana passada, Roberto Carlos foi para o modesto Anzhi, da Rússia, e irá receber R$ 11,5 milhões por temporada! Muito dinheiro por um jogador de 37 anos. Maicosuel tem apenas 24 anos e está para atingir o auge na parte física e técnica.

Uma transferência agora não seria uma ação prematura e impensada por parte do jogador e de seu empresário? Será que Maicosuel não teria mercado na Itália, Espanha ou na Inglaterra? Boas atuações nesse ano não poderiam levar o jogador à Seleção Brasileira? A diretoria do Botafogo está participando das negociações? Como a torcida alvinegra receberá a notícia? Maicosuel está em fase final de recuperação e o presidente Maurício Assumpção declarou que está ansioso pelo retorno do Mago aos gramados… Mas por quanto tempo? Pelo visto será por apenas sete meses…

Ídolo? Maicosuel perto de deixar o Botafogo mais uma vez!

Faltou competência!

20/02/2011

Pênalti não é sorte! Pênalti não é loteria! Pênalti é competência! Futebol é competência! Faltou competência ao Botafogo nesta tarde de domingo! Faltou ousadia ao Joel Santana nesta semifinal! Faltou preparo físico ao time para correr mais do que o Flamengo! Faltou o Marcelo Mattos para fechar o meio de campo! Faltou o faro de artilheiro para o Herrera deixar o seu nessa decisão antecipada!

O Botafogo perdeu a vaga na final contra o Boavista e o possível Tricampeonato da Taça Guanabara por seus próprios erros e limitações. Erros e limitações que já se apresentaram nas sete rodadas iniciais do Campeonato Carioca. A torcida alvinegra fez a sua parte e compareceu em bom número ao Engenhão, mas teve que enfrentar nova derrota nas penalidades máximas para o time da Lagoa…

Jogadores comemoram o empate! Dava para vencer no tempo normal...

Joel Santana afastou Fahel, que será negociado ao Bahia, tirou um zagueiro e aboliu o esquema de três zagueiros – Amém! – mas manteve o “filhinho” Somália em campo! Márcio Azevedo vinha fazendo uma boa partida e deixando a zaga do Flamengo preocupada com seus avanços e cruzamentos. Renato Cajá passou o primeiro tempo inteiro isolado na armação das jogadas e pouco criou – lembram do Lucio Flavio jogando sozinho? – e quando teve a companhia de Everton, não contava mais com as subidas de Azevedo que fora sacado no vestiário e estava exausto de tanto correr e marcar! Mas não tínhamos três cabeças de área?

Felipe acertou o canto nas cobranças de Everton e Somália, contou com a incompetência do Renato Cajá e saiu da partida como herói. O Botafogo mais uma vez consagra um goleiro rubro negro! Felipe escolheu pular no canto do pé do cobrador! Everton é canhoto? Vai bater na esquerda! Somália é destro? Vai bater na direita! Só não acertou a cobrança do Márcio Rosário que fechou o olho e soltou uma bomba no meio do gol!

Sempre ele! Loco Abreu fez um belo gol, mas não foi o suficiente!

Se o Joel não teve coragem de sacar o Cajá, que estava morto de cansaço, para colocar um terceiro atacante porque sacrificar o Herrera? A partida estava com todo jeitão de pênaltis e perder um cobrador frio e experiente como o argentino foi burrice, muita burrice!

Resta apagar as cinzas e juntar forças para golear o River Plate de Sergipe na próxima quarta! Nada de trazer a partida para o Rio! O Botafogo tem a obrigação de golear e garantir a vaga na Segunda Fase da Copa do Brasil! E Joel, esqueça de vez o 3-5-2, por favor!

Vamos, FOGO!

Ficha Técnica:

Semifinal da Taça Guanabara: Flamengo 1 x 1 Botafogo (20/02/2011)

Flamengo: Felipe; Léo Moura, Welinton, David Braz e Ronaldo Angelim (Diego Maurício); Fernando, William, Renato, Thiago Neves e Ronaldinho Gaúcho; Deivid (Negueba)

Técnico: Vanderlei Luxemburgo

Botafogo: Jefferson; Alessandro, Antônio Carlos, Márcio Rosário e Márcio Azevedo (Everton); Arévalo Ríos (Marcus Vinícius), Rodrigo Mancha, Somália e Renato Cajá; Herrera (Caio) e Loco Abreu

Técnico: Joel Santana

Gol do Flamengo: Ronaldo Angelim, aos 14 iniciais

Gol do Botafogo: Loco Abreu, aos três minutos do segundo tempo

Local: Engenhão (RJ) / Público: 26.854 pagantes / Renda: R$ 805.654,00

Árbitro: Luis Antonio dos Santos

Cartão Amarelo: Herrera, Renato Cajá, Rodrigo Mancha (Botafogo); Willians, Deivid, David Braz, Thiago Neves (Flamengo)

Ronaldo será sempre o Fenômeno!

14/02/2011

Ronaldo Luís Nazário de Lima nasceu no Rio de Janeiro, no dia 22 de setembro de 1976, e apareceu para o mundo do futebol nas categorias de base do São Cristovão de Futebol e Regatas. Antes de completar 15 anos, Ronaldo teve o passe comprado pelos empresários Reinaldo Pitta e Alexandre Martins por míseros U$ 7.500,00. Na sequência, em 1991, a dupla tenta vender 50% do passe do garoto ao Botafogo que declina da oferta.

Dois anos depois, em 1993, Ronaldo é convocado para a Seleção Brasileira pela primeira vez e se destaca no Sul-Americano Sub-17 sendo goleador da competição. O Cruzeiro decide apostar no jovem de 16 anos e desembolsa U$ 50 mil por 55% dos direitos do jogador, quantia muito superior aos U$ 7.500,00 da oferta inicial feita aos dirigentes do Botafogo. Ronaldo brilha com a camisa do Cruzeiro e entra para a história do futebol mundial.

É, realmente tem coisas que só acontecem com o Botafogo…

O Cruzeiro não dormiu no ponto e acreditou no Fenômeno!

Título pelo Cruzeiro (1993/1994):

Campeonato Mineiro (1994)

Título pelo PSV Eindhoven (1994/1996):

Copa dos Países Baixos (1996)

Títulos pelo Barcelona (1996/1997):

Supercopa da Espanha (1996)

Copa da Espanha (1997)

Recopa Européia (1997)

Título pela Internazionale (1997/2002):

Copa da Uefa (1998)

Ronaldo conquistou a torcida de Madrid após jogar pelo rival Barcelona!

Títulos pelo Real Madrid (2002/2007):

Copa Intercontinental de Clubes (2002)

Campeonato Espanhol (2003 e 2007)

Supercopa da Espanha (2003)

Títulos pelo Corinthians (2009/2011):

Copa do Brasil (2009)

Campeonato Paulista (2009)

O gol do Penta! Ronaldo aproveita falha do alemão e estufa as redes!

Títulos pela Seleção Brasileira (1994/2006):

Copa do Mundo (1994 e 2002)

Copa América (1997 e 1999)

Copa das Confederações (1997)

Medalha de Bronze nas Olimpíadas de Atlanta (1996)

90. Ronaldo: 152 gols! Meu jogador irá continuar balançando as redes!

Time sem inspiração…

13/02/2011

Tem coisas que só acontecem com o Botafogo… Lá vem aquela frasezinha outra vez! Depois de vencermos o clássico na semana passada com um show de bola no Fluminense, eis que aparece o temível Macaé, o ex-Botafogo de Macaé, como era chamado o time da cidade do petróleo! Anunciada a escalação, novamente o cruel 3-5-2, e percebi que estava sendo escrito o drama no Engenhão!

Boas chances desperdiçadas na etapa inicial e um gol espírita, quase de jogo de botão: uma desatenção na zaga, um chute de tornozelo, mascado, que pega na trave e mata nosso goleirão Jefferson! “Rio 40ºC! Cidade Maravilha. Purgatório da beleza e do caos”. E lá se vai o torcedor alvinegro sofrer neste domingão escaldante!

Qual a solução mágica para tentar vencer a partida? Acabar com o 3-5-2 e voltar ao bom e velho 4-4-2, ou qualquer variação que não tenha três zagueiros! Não entendo isso, confesso que não entendo e não suporto mais! Sempre que a equipe está em apuros, atrás no placar, empatando ou jogando mal, o Joel apela e saca um zagueiro. Então, qual o motivo de não começar a partida a “100 por hora”? A equipe precisa sempre levar um sufoco? Precisa sempre sofrer o primeiro gol?

Ainda longe da forma física ideal, Arévalo sofreu com o forte calor carioca!

Claro que o calor é um grande adversário para uma equipe em formação que ainda procura o auge do preparo físico e é bom lembrar que os times pequenos iniciaram a preparação para o Campeonato Carioca ainda em dezembro, mas mesmo assim nada justifica a apatia demonstrada na etapa inicial.

Joel Santana tentou reanimar a equipe, mas ao contrário do duelo contra o Fluminense, as mudanças não surtiram efeito. As mexidas prejudicaram o sistema defensivo, os zagueiros ficaram expostos, e o ataque ficou totalmente embolado já que Caio, Herrera, Alex, Renato e Everton não sabiam onde se posicionar em campo.

Agora resta esquecer as lamentações e pensar em repetir a façanha do ano passado quando despachamos o time da Gávea na reta final. Se hoje Joel reclamou da péssima arbitragem de Péricles Bassols… espere até ver o nível da arbitragem na semifinal! O Botafogo terá que se superar e marcar no mínimo três gols para avançar, pois um pênalti e um gol em impedimento já estão garantidos na cota. A semifinal já começa com o placar marcando: Flamengo 2 x 0 Botafogo.

Vamos, FOGO!

Renato foi muito marcado pelo Macaé, mas fez um golaço de falta!

Ficha Técnica:

7ª Rodada: Botafogo 1 x 1 Macaé (13/02/2011)

Botafogo: Jefferson, Márcio Rosário (Caio), Antônio Carlos e João Felipe; Alessandro (Lucas), Arévalo (Everton), Renato Cajá, Bruno e Márcio Azevedo; Herrera e Alex

Técnico: Joel Santana

Macaé: Lugão; Marcos Tamandaré, Ciro, Eduardo Luiz e Bill; Gedeil, Osmar, Rincón (Romário) e Danilo; Luís Mário e Robson (Hyantony)

Técnico: Marcelo Buarque

Gol do Botafogo: Renato Cajá, aos 3 minutos do segundo tempo

Gol do Macaé: Robson, aos 38 iniciais

Local: Engenhão (RJ) / Público: 6.229 presentes

Árbitro: Péricles Bassols

Cartão Amarelo: Romário, Lugão e Ciro (Macaé). Bruno Tiago e João Felipe (Botafogo)

Vitória na raça e na tática!

06/02/2011

O melhor jogo do ano! Espetáculo! Jogão de bola recheado com polêmicas para encher duas horas dos programas de debate na TV! Fluminense, atual Campeão Brasileiro, e Botafogo, o atual Campeão Carioca, protagonizaram um clássico eletrizante e de enlouquecer! A vitória alvinegra veio na base da raça, da superação e da tática. Joel Santana assustou a torcida ao anunciar que escalaria Fahel e Somália de saída, e isso, sem dúvida, ajudou a afugentar parte do público nesta noite no Engenhão! O torcedor botafoguense não iria pagar R$ 40,00 para ver o Fahel entregar a rapadura ou um desfile do Mariano pela Avenida Somália!

Mantendo o esquema com três zagueiros, mas soltando Márcio Azevedo, Joel surpreendeu Muricy ao atacar desde o início e pressionar a saída de bola tricolor. Com apoio pelas duas laterais – Azevedo e Alessandro fizeram um partidaço – o Botafogo apertou o Campeão Brasileiro e saiu na frente com um golaço do Renato Cajá! Que cobrança de falta espetacular! Cajá jogou muito e assumiu a camisa 10 como algo natural: fez lançamentos, tomou conta das bolas paradas e dominou a armação das jogadas ofensivas! E que passe para o terceiro gol! O gol da vitória!

Gooooooool! Muita raça! Herrera teve o nome gritado pela torcida!

No primeiro tempo muita correria e confusão! O Fluminense virou o placar logo após um gol não assinalado pelo juiz e vem a famosa frase na mente do supersticioso botafoguense: “Tem coisas que só acontecem com o Botafogo!” Não temos um gol validado e tomamos outro em impedimento! É para deixar qualquer um maluco… ou louco? Loco Abreu mostrou mais uma vez que será um ídolo eterno do O Glorioso! Não apenas pela insanidade de bater o segundo pênalti, mas pelas declarações:

– Quem veste a camisa com essa estrela solitária veste uma camisa que foi de Nilton Santos e Garrincha. Precisa entrar em campo pensando apenas em vencer!

Quer cavadinha? Toma! Loco Abreu desloca o goleiro e empata o jogo!

Comentando a atuação do nosso camisa 1 após a partida cometi um ato falho: “Vocês viram como agarrou o Vagner?” Foi na empolgação, eu sei, mas o Jefferson me faz lembrar das defesas do Vagner diante do Santos! Não são belas lembranças? Espero que o Mano Menezes esteja de olho! E falando em técnico… Não posso deixar de elogiar a escalação e as mexidas do Joel! Não gosto do esquema com três zagueiros e não entendo como o Arévalo Ríos pode ver o Márcio Rosário do banco de reservas, mas até mesmo nisso o Joel acertou!

O Bruno Tiago teve uma grande atuação, jogou muito bem, e lançar o Márcio Azevedo em cima do Mariano foi fundamental para a vitória! Viu como o 4-4-2 é mais eficiente do que o 3-5-2, Joel? Ah, claro que estávamos com menos um e a formação final ficou no 4-3-2, mas o que importa é que vencemos e convencemos sem o esquema com três zagueiros! E um último agradecimento ao Herrera! O argentino não desiste NUNCA!

Vamos, FOGO!

Raça e técnica! Jogadores alvinegros deram um show no Engenhão!

Ficha Técnica:

6ª Rodada: Fluminense 2 x 3 Botafogo (06/02/2011)

Fluminense: Diego Cavalieri, Mariano, Gum, Leandro Euzébio (André Luis) e Carlinhos; Edinho, Valencia, Souza (Araújo) e Conca; Rafael Moura (Fernando Bob) e Fred

Técnico: Muricy Ramalho

Botafogo: Jefferson, João Filipe (Arévalo), Antônio Carlos e Márcio Rosário; Alessandro, Marcelo Mattos, Bruno, Renato Cajá (Everton) e Márcio Azevedo (Somália); Herrera e Loco Abreu

Técnico: Joel Santana

Gols do Fluminense: Rafael Moura, aos 30 e aos 44 iniciais

Gols do Botafogo: Renato Cajá, aos 23 minutos do primeiro tempo. Loco Abreu, aos 11, e Herrera, aos 18 da etapa final

Local: Engenhão (RJ) / Público: 16.759 presentes / Renda: R$ 389.735,00

Árbitro: Gutemberg de Paula Fonseca

Cartão Amarelo: Gum, Valencia, Rafael Moura, Edinho, Souza, Diego Cavalieri, Fred (Fluminense); Loco Abreu, Alessandro, Herrera, Márcio Azevedo (Botafogo)

Cartão Vermelho: Valencia e Marcelo Mattos

Vale a pena ver de novo! Aprendeu Cavaliere? Cavadinha é assim!

Joel tira o Fahel!

05/02/2011

“Joel tira o Fahel! Joel tira o Fahel! Joel tira o Fahel!” A torcida cantava no Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, e os milhões de alvinegros colados no radinho ou em frente à TV confirmavam o pedido: Joel tira o Fahel! Mas o Joel não tirou o Fahel, nem mesmo depois de mais um milagre operado por São Jefferson! O gol de empate do Bangu era questão de tempo e o pênalti defendido pelo nosso camisa 1 só retardou o sofrimento. O empate veio numa jogada boba, despretensiosa do ataque banguense. E adivinhem quem dava condição de jogo aos atacantes do Bangu? Sim, ele mesmo: Fahel! Vejam na imagem e tirem suas dúvidas:

A defesa faz a linha de impedimento, mas esquece de avisar ao Fahel...

Somália e o Papai Joel disseram depois da partida que não existe vantagem em escolher adversário nas semifinais… Como assim? O Botafogo sofre para vencer o Duque de Caxias, empata com Bangu e o Joel acha que é mais fácil bater o Flamengo do que o Resende? Ah, eu não devo entender mais nada de futebol, mas o Fred, atacante Campeão Brasileiro com o Fluminense e atual artilheiro da Taça Guanabara, disse em alto e bom som que não quer um clássico antes da final! Mas o Joel quer…

É preciso avaliar com muita calma as declarações do Loco Abreu após a partida. O uruguaio elogiou o Bangu, mas deixou claro nas entrelinhas que o Botafogo jogou como time pequeno. E ele está certo outra vez! Não foi o Bangu quem fez uma excelente partida, não senhor! Foi o Botafogo que se rebaixou ao nível do Bangu, do Duque de Caxias, do Madureira, da Cabofriense e do Olaria. Na próxima rodada, contra o Fluminense, a equipe pode fazer uma grande exibição motivada pelo fator clássico, mas o temor da torcida irá continuar.

Arévalo para Loco: "Foi para essa furada que você me chamou?"

Nos treinos de sexta e sábado, Joel parece propenso a escalar Fahel e Somália no clássico e a barrar Arévalo Ríos e Marcio Azevedo. Qual será o motivo? Medo? Não sei. O técnico alvinegro pediu e recebeu da diretoria um pacotão de reforços e agora chegou a hora de sair do terrível 3-5-2 e voltar a jogar como time grande! Não existem mais desculpas para improvisações e invenções! O Somália não é lateral-esquerdo, o Fahel não é um falso-volante-zagueiro e o Caio não vai voltar para marcar o atacante adversário.

Um treinador inteligente precisa se adaptar aos jogadores e não tentar fazer os jogadores se adaptarem ao seu estilo de jogo. O Caio não pode atuar ao lado do Alex, simplesmente não funciona. Os dois só querem ficar de toquinhos e se esquecem do time! Não é possível armar um esquema de três zagueiros com o Márcio Rozário. É pedir para acender vela para defunto! O Botafogo precisa voltar a jogar no clássico 4-4-2, com dois zagueiros (Antonio Carlos e João Filipe), dois volantes (Cacha e Marcelo Mattos) e dois armadores (Everton e Renato)! Sem invenção!

Vamos, FOGO!

Alessandro fez 200 jogos com a camisa alvinegra...

Ficha Técnica:

5ª Rodada: Bangu 1 x 1 Botafogo (02/02/2011)

Bangu: Thiago Leal, China (Gedeilson), Diego Padilha, Abílio e Fabiano Silva; Joziel, André Barreto, Thiago Galhardo (Allan Possato) e Ricardinho; Pipico e Leandro Costa (Charles Chad)

Técnico: Gabriel Vieira

Botafogo: Jefferson, Fahel (Everton), Antônio Carlos e João Filipe; Alessandro, Arévalo, Somália, Renato Cajá (Caio) e Márcio Azevedo; Herrera (Alex) e Loco Abreu

Técnico: Joel Santana

Gol do Bangu: Abílio, aos 32 minutos da etapa final

Gol do Botafogo: Loco Abreu, aos 25 do primeiro tempo

Local: Raulino de Oliveira (RJ) / Público: 5.635 presentes

Árbitro: Rodrigo Nunes de Sá

Cartão Amarelo: Joziel, Diego Padilha, Abílio (Bangu); Renato Cajá, Somália, Caio (Botafogo)