3-5-2 e uma chuva de gols!

O Botafogo só faz cair na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro e o sistema defensivo é um dos principais problemas do técnico Joel Santana. No Campeonato Estadual, a defesa com três zagueiros até funcionou e o título parecia confirmar que esse era o melhor jeito de jogar o nacional, mas os números provam que o esquema 3-5-2 está deixando o Jefferson com úlcera. Só o Jefferson?

A equipe sofreu 13 gols em nove jogos e anotou 14, ou seja, um saldo ridículo e a 15ª posição na tábua de classificação. Levamos logo três gols na estreia, contra o Santos, e todos foram feitos de dentro da área, diante do São Paulo, Leo Lima fez de cabeça, livre dentro da pequena área, de novo. Jefferson não foi vazado diante do Goiás, pela terceira rodada e comemorou muito o feito. Vendo em retrospecto foi um feito e tanto.

Wellington foi esperto, pediu para sair, fez as malas e voltou para Minas

A derrota de 1 a 0 para o Cruzeiro, na quarta rodada, é a síntese desse time. Desperdiçamos inúmeras chances de gol, incluindo um pênalti perdido por Renato Cajá, e deixamos o Thiago Ribeiro livre, na pequena área. No empate contra o Vasco, mais um gol anotado dentro da área. A patética virada sofrida diante do Atlético-PR começou com um gol de Paulo Baier dentro da área. Normal, certo?

A defesa levou mais dois gols do Corinthians antes da pausa para a Copa do Mundo e adivinhem? Um foi anotado dentro da área e o outro dentro da pequena área. Treino, Granja Comary, jogos amistosos, mais treino e os mesmos erros. O gol da derrota para o time da Gávea? Dentro da pequena área. O gol do empate com o Guarani? Dentro da pequena área. Não é possível que ninguém da comissão técnica consiga fazer essa análise?

Joel: pode usar a minha prancheta virtual para ver as falhas da defesa!

Os números não mentem e podemos avaliar friamente o desempenho do sistema defensivo do Botafogo. Dos 13 gols sofridos no BR-10, 7 foram anotados de dentro da pequena área, 5 de dentro da área e apenas 2 foram feitos com chutes de fora da área.

Se a defesa estivesse fechada e treinada essas falhas não aconteceriam com tanta frequência. Gol feito de dentro da pequena área é falha de marcação! Isso é inegável. Sofremos apenas 1 gol de falta, o segundo do Atlético-PR, em cobrança de Paulo Baier e isso mostra que o Jefferson está salvando as bolas de longa distância.

Joel, valeu pela Taça Guanabara, Taça Rio e o Carioca, mas faz alguma coisa!

O técnico Joel Santana precisa abolir o esquema com três zagueiros agora! Não é possível esperar mais tempo. A solução é voltar para o velho 4-4-2, sem invenções, e deixar as posições bem definidas em campo. No esquema atual ninguém sabe quem marca quem, todos correm atrás do adversário no desespero e parece que um zagueiro não tem confiança no outro.

Ainda é possível reverter essa situação, mas se o Joel insistir em manter a mesma equipe que conquistou o estadual, o Botafogo novamente irá lutar contra o rebaixamento e infelizmente dessa vez com uma matéria-prima melhor do que no ano passado.

Só rezando mesmo! Nilton Santos ilumina essa defesa!

Notícia de última hora! Botafogo acerta com dois reforços:

Marcelo Mattos

Clubes: São Caetano, Corinthians e Panathinaikos-GRE

Nome: Marcelo de Mattos Terra

Nascimento: 10/02/1984

Altura: 1,79m / Peso: 71kg

Elizeu

Clubes: Sport e Internacional

Nome: Elizeu Araújo de Melo Batista

Nascimento: 28/05/1989

Altura: 1,83m / Peso: 78kg

Marcelo Mattos deve fazer a dupla de volantes com Leandro Guerreiro.

Anúncios

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , ,

2 Respostas to “3-5-2 e uma chuva de gols!”

  1. Zero Santana Says:

    Caríssimo. Você está mesmo certo. O 3-5-2 pode ser um sistema traiçoeiro. Ou mortal, como preferir. Principalmente quando um time não tem jogadores para efetivá-lo (nosso caso). O que vimos hoje no jogo contra “os porco” foi isso. Dois tempos distintos. No segundo gol deles o Fahel (toc, toc, toc) voltou lentamente e o Kléber finalizou praticamente sentado, sem ser incomodado. Quando entraram o Edno e o Renato a coisa mudou completamente! Num 4-3-1-2 (depois do empate, 4-4-2) o time foi outro. Lúcio Flávio não pode ser mais o titular.

    • christianjafas Says:

      Quero ver ainda o Lucio Flavio jogando ao lado de outro meia armador. Ele fica muito isolado, não sei se a culpa é só dele.

      O Somália vai correndo com a bola dominada e só para quando esbarra num adversário. A zaga com os três mosqueteiros não sobe, o Leandro Guerreiro fica com medo que os zagueiros façam besteira e não passa do meio de campo.

      É preciso aproveitar melhor o Marcelo Cordeiro. O Botafogo precisa jogar com dois meias de armação. O Renato Cajá ficou isolado do mesmo jeito ontem.

      Os gols saíram do abafa, de bolas jogadas para a área e não jogadas armadas, criadas pelo time.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: