O Botafogo e a Copa do Mundo de 1938

A terceira Copa do Mundo organizada pela Fifa, em 1938, com sede na França, pode ser considerada uma das mais tensas e politizadas da história. Os países europeus sofriam com graves crises econômicas e com os regimes ditatoriais que se espalhavam pelo continente.

Se em 1934, a vitória da Itália foi marcada pelo obscurantismo, o que esperar de uma competição envolvendo o fascista Benito Mussolini e o nazista Adolf Hitler?

As eliminatórias contaram com trinta e sete países inscritos para as quatorze vagas disponíveis – Itália, atual campeã, e França, país-sede, estavam automaticamente classificadas. A ausência mais sentida foi a da Espanha que estava mergulhada numa terrível guerra civil desde 1936 e a grande surpresa do mundial foi a participação da seleção cubana, representante da Concacaf.

Cuba se classificou graças a desistência dos outros países filiados na América do Norte e Central. Os cubanos conseguiram empatar com a Romênia em 3 a 3 e assim forçaram a realização do jogo extra. No dia 9 de julho, em Toulouse, a seleção cubana venceu os romenos por 2 a 1, avançaram para as quartas-de-final e terminaram a Copa do Mundo num surpreendente sétimo lugar.

Saudação nazista antes do jogo Alemanha x Suíça, em 1938

Jules Rimet, criador do mundial, convenceu a Fifa a realizar a competição na França, seu país natal, e não utilizar o esquema de rodízio entre Europa a América – a terceira competição deveria acontecer na América do Sul, possivelmente na Argentina. Em represália a essa artimanha, diversos países se recusaram a participar do mundial, entre eles a Argentina, Colômbia, Estados Unidos, México e Uruguai.

O Brasil, como ocorrera nos outros dois mundiais, ganhou a vaga de presente, já que os argentinos se retiraram da disputa. O selecionado nacional contabilizava três jogos em copas, sendo uma vitória por 4 a 0 na Bolívia, em 1930, e duas derrotas, 2 a 1 para a Iugoslávia, na estréia em 1930, e 3 a 1 para a Espanha, em 1934. As brigas entre paulistas e cariocas que sempre atrapalhavam a seleção foram deixadas de lado e dessa vez os jogadores tiveram uma preparação focada apenas para o futebol.

Seleção brasileira consegue o terceiro lugar em 1938

Enquanto os brasileiros se preparavam por aqui, a Europa vivia momentos conturbados: Hitler decide anexar a Áustria em 13 de março de 1938. A seleção da Áustria conseguiu a classificação disputando as eliminatórias, mas não entrou em campo contra a Suécia protagonizando o primeiro e único W.O. da história da Copa do Mundo.

Os jogadores austríacos também foram “anexados” e obrigados a se apresentar ao selecionado alemão que, mesmo com esse reforço de última hora, foi eliminado precocemente, ainda na primeira fase, após perder a partida-desempate para a Suíça por 4 a 2.

Em 1938, o futebol não era apenas um simples esporte

A Fifa manteve o mesmo modelo de disputa do torneio anterior e a Copa do Mundo começava direto na fase de oitavas-de-final, assim o campeão precisaria de apenas quatro vitórias para erguer a taça e quem perdesse qualquer jogo ficaria pelo caminho.

Duas frases podem dimensionar o que representava vencer aquele mundial. Os jogadores italianos receberam, antes da decisão contra a Hungria, o seguinte telegrama do Dulce: “É vencer ou morrer”. Após o jogo, comentando a derrota por 4 a 2 que deu o bicampeonato para a Itália, o goleiro húngaro Szabo sentenciou: “Salvamos a vida de onze homens”.

Seleção italiana é a primeira bicampeão mundial de futebol

A seleção brasileira nunca havia passado da fase inicial e os jogadores estavam dispostos a mudar essa história. No dia 5 de junho, em Strasbourg, o nosso selecionado venceu a Polônia, por 6 a 5, depois de levar o jogo para a prorrogação. A partida ficou marcada pelas fortes chuvas que transformaram o campo num lamaçal e por um lance inusitado: Leônidas da Silva anotou um gol com o pé descalço enquanto os auxiliares técnicos tentavam costurar a chuteira do craque que havia estourado.

O Brasil precisou enfrentar a Tchecoslováquia duas vezes para seguir até a semifinal. Depois do empate em 1 a 1 no primeiro jogo, os brasileiros fizeram 2 a 1 e iriam encarar a temível Itália, campeã do mundo de 1930. No que foi considerado o melhor jogo da Copa de 38, os italianos venceram por 2 a 1, seguiram direto para a final, enquanto a seleção brasileira, eliminada, ainda disputaria o terceiro lugar contra a Suécia.

O jogo Itália 2 x 1 Brasil foi considerado o melhor do mundial

Com uma campanha que incluía duas vitórias, um empate e uma derrota, a seleção encerrou sua participação com uma boa vitória por 4 a 2 sobre os suecos e com a honra de figurar entre as três melhores potências do futebol mundial pela primeira vez. Leônidas da Silva ainda foi o artilheiro do mundial com oito gols e dois brasileiros foram selecionados para a seleção de estrelas do mundial: o próprio Leônidas e o zagueiro Domingos da Guia.

O Botafogo foi representado por cinco atletas: o zagueiro Nariz, Martim Silveira – que jogou também em 1934 – e Zezé Procópio para o meio de campo e os atacantes Patesko, em sua segunda participação, e Perácio que marcou três gols na competição. Zezé, Patesko e Perácio foram titulares nas cinco partidas realizadas pela seleção brasileira.

Anúncios

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: